ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

10 janeiro 2017

Sem essa de ''morar junto''! Se case!


A minha avó era extremamente conservadora. Não digo conservadora pela idade, não, era daquelas conservadores da idade média, bem lá trás.
Mas sabia respeitar, ela dizia o que não gostava e ficava quieta, não perturbava nem jogava praga.

Me mudei de lugar e fui morar com um namorado, não deu certo, mas quando voltei contei a minha avó sobre a experiência, achei que o final tinha sido deprimente, ele me tratou como se eu tivesse sido uma página do seu livro, virou e pronto. Ela me olhou e disse:

-Você não me disse que iria morar com ele, se tivesse dito eu teria falado para não ir.

Por quê?

-Porque homens são conservadores, você não tem ideia, eles não respeitam namoradas que dividem a casa com eles, enquanto não for esposa eles nem consideram a mulher.

É verdade, nos teus tempos era assim! Mas agora isso mudou, as mulheres ganham dinheiro e dividem o aluguel, o homem não sustenta mais ninguém, acabaram esses tempos de o homem não respeita a namorada porque não é esposa, isso já passou.

-Isso não passou e não vai passar, porque é a base da sociedade construída por eles, a santa esposa e a puta da rua, a cabeça deles não tem uma terceira opção. Me prometa que se você for morar com um homem vai se casar antes.

E se não der certo?

-Separa, mas nunca seja a namorada que mora com ele, na cabeça do rapaz é a mesma coisa que a puta da rua.

Achei aquilo um absurdo, imagina, que homem, no século XX vai pensar que uma namorada é a mesma coisa que uma puta da rua?

Algum tempo depois uma prima se mudou para a casa do namorado e escutou o mesmo sermão da minha avó, mas todo mundo relevou, o rapaz era um encanto, desconstruído e apaixonado pela minha prima, já tinha morado na Europa, não carregava mais essas larvas latinas de pensamento machista.

Uns anos depois o namoro terminou e ele foi gelado com minha prima, virou uma briga de cão dividir o que tinham na casa, as discussões se arrastaram.
Meu tio comentou que se eles estivessem casados seria mais simples, lei é lei, mas assim, morando juntos e separando, era mais complicado.

Minha prima ficou chateada com o fim do namoro, o rapaz se comportou de maneira estranha e minha avó disse:

-O que ela esperava? Eles são assim, já casados não respeitam nada, imagina morando juntos! Cabeça de homem é a mesma desde que o mundo é o mundo, eles não assume compromisso mentalmente com namorada, para eles é só um passatempo até a ''moça séria e para casar'' chegar.

Continuei pensando que minha avó estava parada no tempo, congelada nas ideias conservadoras, mas venho observando há anos o casamento de amigos e percebo isso, os homens são conservadores, os que levam a sério a ideia de ''esposa'', mas ignoram as namoradas, percebi isso com meus amigos, alguma coisa mexe na mente deles quando dizem ''esposa'' e isso puxa as cordas da memória, mas dizer ''moro com minha namorada'' é a mesma coisa que dizer ''o nome do meu gato é Toby''.

Palavras constroem nossa ideia de sociedade, as coisas que acreditamos. Eu olho um tomate e sei que é um tomate, porque isso foi dito desde que eu nasci, reajo ao instante, se o garçom me diz ''a pizza vem com tomate'' logo imagino o vermelho do tomate, é construção verbal que cimenta a construção social.

A palavra ''casamento'' tem seu peso, assim como ''marido'' e ''esposa''.

Um amigo namorou durante um tempo e se mudou a casa da namorada, parecia estar envolvido ali, mas não estava ''submetido a uma ordem social'', era apenas um namorado morando com sua namorada. Decidiram se casar e o comportamento dele mudou, agora era ''marido''.

Já vi várias vezes isso acontecer, muda algo no cérebro dos homens quando dizem ''esposa''.

Reparei quando um amigo se referia a sua namorada chamando-a pelo nome, depois de casados me dizia ''minha esposa''.

Cada dia percebo mais como minha avó tinha razão, os homens são um milhão de vezes mais conservadores do que as mulheres, até porque o machismo exige isso, eles são mais fechados, limitados e presos a clichês sociais.

Talvez seja porque não tem que lidar com milhões de questões que as mulheres enfrentam todos os dias, isso nos tornou flexíveis, eles ainda têm espaço para fugir quando não gostam das situações, mas uma mãe não abandona um filho especial ou um filho gay, assumem seus filhos e os apoiam, e isso construiu mulheres fortes e mais abertas para o mundo e suas diferenças, somos menos preconceituosas do que os homens.

Um amigo se separou recentemente, de uma namorada e seu comportamento foi de adolescente, pegou suas coisas e voltou para a casa dos pais, como se nunca tivesse conhecido namorada. Eu falei para ele que me surpreendeu a rapidez do fim e ele respondeu:

-É que você é dramática, mas era apenas uma namorada.


Nossa, o desconstruído falando isso, o rapaz que chama casamento de ''instituição falida'' ou ''suicídio burguês'', ele dizendo que era apenas uma namorada!

Meses depois começou a namorar outra moça, mas com essa não teve conversa, ela não quis morar junto ele a pediu em casamento, agora é sua esposa, não apenas ''uma namorada''.

Levando em conta a situação do planeta e o que vejo todos os dias no mundo virtual percebo como os homens são conservadores e lutam para se manter assim, até aqueles que se dizem livres a favor do poliamor, só aceitam isso se for com duas mulheres!

Entendo hoje minha avó, são os homens que já definiram as mulheres na sua cabeça e só existem essas duas opções, a santa ou a puta, a esposa santa, ou a puta da vizinha que usa um shorts.

Nós, mulheres, gostamos de acreditar que eles mudaram, são mais conscientes agora e evoluíram, mas é a mesma coisa, não mudou nada, só porque pintam a barba de rosa, choram em comercial e usam bicicleta, não quer dizer que são mais honestos que meu avô, pelo contrário, hoje os homens praticam mais putarias que acham na internet e continuam frequentando os mesmos bordéis dos anos trinta, ou seja, o que mudou? Nada.

O que mudou foi a maneira deles nos enrolarem, agora fingem que são parceiros e amigos, mas estão apenas fazendo tempo em nossa cama enquanto chega a ''moça pra casar''.

Se a mulher que experimentar, viver o momento, recomendo que more com o namorado, mas se quiser uma coisa mais séria, pelo menos na cabeça dele, é bom ir para o cartório.

Não dá mais para viver achando que eles estão alinhados com nosso pensamento, que acreditam na igualdade e coisa e tal. É tudo mentira, eles são conservadores e machistas, quanto mais desconstruído, mas misógino é.

É só contar quantas vezes as palavras ''puta'' e ''vadia'' saem da boca dele para se referir a outra mulher, é só reparar no seu comportamento e vamos ver como é outro machista disfarçado de ''cara legal''.

Eu namorei um Romeu desconstruído, respeitava as mulheres e tal, mas um dia se referiu a uma cantora como ''ordinária'', perguntei o motivo e ele respondeu ''tá de brincadeira? Olha esse vídeo dela se esfregando em um monte de homens''.

Olhei o vídeo e disse ''não vi nenhum homem sendo abusado, então tudo bem, acho que todos curtiram''. E ele disse ''é o que eu disse, mulher que curte isso é uma ordinária''.

Meu Romeu desconstruído!

E meu amigo, o cara legal, doce, que apóia o feminismo, que está se separando da namorada, se mudou do apartamento, me disse:

-Nossa, ainda bem que não é esposa né? Porque quando é casamento é coisa séria, a gente assume um compromisso na frente dos amigos, fica feio fazer merda assim, graças a Deus era só namorada.

É, graças a Deus. Mulheres acordem, eles são piores do que vocês acham, mais conservadores do que vocês imaginam e mais machistas do que vocês pensam, muito, muito, muito mais machistas.


Iara De Dupont

3 comentários:

Anônimo disse...

Iara, seu texto realmente serviu para abrir meus olhos! Eu sempre afirmei que nunca me casaria, que não gosto da sensação de aprisionamento que a palavra casamento me causa... Percebi que, por pensar assim, não sou levada a sério pelos homens com quem me relaciono. Agora, meu discurso mudou: só aceito dividir o mesmo teto depois de casar!!

Mônica disse...

Ótimo Texto, Iara! Nos faz refletir e perceber o quanto ainda somos ingenuas e romanticas!! Nota 10 para sua vó e para você. Feliz 2017!

Anônimo disse...

Eu já acho dividir a casa com homem o fim da picada, ainda mais se eu aguento bancar sozinha. O certo é cada um morar na sua casa e pronto. Dividir casa só com pais mesmo ou aquele parentes BEM chegados, tipo avó, mas só se a relação for boa, porque de resto... É fria.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...