ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

20 novembro 2016

Parece o teu reflexo, mas é o meu......


Internet foi uma coisa que chegou na vida das pessoas sem manual, aprendemos a usar sem saber o que estávamos fazendo.

Hoje já existe uma nova geração que conhece melhor os perigos da rede, sabe se mexer com mais rapidez e segurança, mas os primeiros não sabiam.

Eu fui uma das que não tinha a menor ideia do que estava fazendo.

Quando comecei o blog há seis anos não tive noção dos limites, nem dos perigos. Como eu escrevia muito sobre síndrome do pânico pensei que apenas as pessoas interessadas nesse assunto passariam por aqui.

Com o tempo me surpreendi com os emails e mensagens, mesmo assim não me dei conta do tamanho da exposição. Até que um dia tive uma experiência que mudou minha percepção.

Eu estava em uma festa quando uma moça se aproximou e me chamou de ''vadia'' e de repente parece que perdeu o tom em tudo, me ofendeu de todos os nomes, disse que eu era ''ridícula'' por tentar chamar a atenção do meu ex-Romeu escrevendo posts sobre ele no meu blog.

Deu uma confusão porque eu respondi as ofensas, mesmo sem saber quem a moça era e ainda com a sensação de que ela estava me confundindo com alguém.

Uma amiga a puxou e levou embora, depois me disseram que ela era namorada de um ex-namorado meu e o mal entendido aconteceu porque eu escrevia sobre um Romeu e ela lia, pensando que eu falava sobre o namorado dela. 

Achei confuso, mas na festa estava minha ex-cunhada, que ao ver o problema se aproximou e me disse:

-Tudo culpa do meu irmão. A namorada foi checar nos favoritos dele e apareceu teu blog, que ele olha todos os dias, ela abriu o link, leu alguns textos e pensou que você escrevia sobre ele.

Foi uma péssima noite porque me dei conta que eu estava deixando pegadas na areia, eu não contava que meu blog fosse lido por pessoas que eu não gosto e quero longe de mim, mas desse jeito percebi que tudo era mais exposto do que eu pensava e gostaria.

Pensei naquele momento em fechar o blog, saber que um ex-namorado lia meu blog todos os dias quebrou meu limite mental, talvez se o blog fosse sobre esmaltes não me incomodaria, mas saber que era tão pessoal e íntimo me incomodou saber sobre essas visitas indesejadas.

Mas nessa mesma noite, naquelas coincidências estranhas da vida, acabei me sentando em uma mesa com um rapaz que sabia tudo de informática, eu perguntei a ele se tinha algum jeito de blindar meu blog, fechar a porta aos indesejados. Ele disse algumas coisas, mas concluiu que não fazia sentido, e me disse:
-Não se preocupe, todos que ligam a internet deixam pegadas na areia, todos são indiscretos e sem noção, estamos vivendo em um mundo onde as pessoas se conectam e não sabem os riscos que correm. Não existe privacidade e podemos revirar e acompanhar a vida de qualquer um, não tem mais onde se esconder.

Deixei o assunto de lado, já que não poderia fazer nada a respeito, resolvi não pensar mais nisso, mas de vez em quando me irrita pensar que algumas pessoas que odeio profundamente passem por aqui.

Um dia encontrei minha ex-cunhada e perguntei a ela porque seu irmão lia meu blog, já que foi tão indiferente a ele durante anos, e ela me respondeu:

-Acho que ele procurava entender algumas coisas.

É, esse é o problema, a gente quer entender algumas coisas e acaba revirando a internet, como se fosse uma caixa com todas as explicações que precisamos.

E há pouco tempo me vi na mesma situação similar, ''revirando o lixo'', querendo entender algo. Em janeiro deste ano tive uma briga com um ex-namorado, que até então era meu amigo, foi uma discussão estranha, cheia de curvas, um assunto que ele começou e eu não soube lidar. Em alguns momentos as pessoas se aborrecem e jogam nos outros suas frustrações, mas quem está recebendo essa descarga de ódio rara vez percebe que não tem nada a ver com a situação. Eu não percebi que Romeu estava em um dia ruim e eu nem sabia do que ele estava falando, assim acabamos brigando por nada e colocando um ponto final a uma amizade de anos.

Tudo isso me causou um enorme sofrimento, quando não entendo a origem da briga fico remoendo e não consegui assimilar a discussão, até porque nunca tinha brigado com ele, nem quando éramos namorados.

Tentando entender o que tinha acontecido comecei a ver o que ele postava, mas desde a briga e o ódio descomunal que ele demonstrou, eu estava bloqueada em todas suas redes sociais, coisa que também não entendi. Procurei esquecer tudo, já que não tinha nenhum tipo de acesso, até que uma amiga em comum me mandou um perfil de uma rede, dizendo que era a atual namorada do meu ex-Romeu.

Quis saber se as datas batiam, talvez ele tivesse inventado a briga para se livrar de mim porque estava com outra e nas nossas conversas de repente rolavam umas lembranças e juras de amor.

Não consegui saber quando se conheceram, mas sei que começaram a namorar pouco depois da briga que tive com ele.

E percebi que ela tinha transformado uma de suas redes em uma espécie de diário virtual, colocando ali o que sentia, sem pudores. Comecei a me identificar com o que lia, tudo o que ela dizia sobre Romeu também senti um dia.

Acabei acompanhando esse diário virtual por umas semanas, ela postava longas declarações de amor, fotos e mais fotos, inclusive do cachorro dele. Não sei se ele postava as mesmas coisas, porque fui bloqueada e não pude ler nada.

Mas de repente o barco virou, ela trocou as declarações de amor por frases enigmáticas, talvez metáforas.

Da certeza de que eram almas gêmeas pulou sem vírgulas para a dúvida, se perguntando se estava amando sozinha, se ele realmente queria estar com ela, porquê ele não fazia nada para que ficassem juntos se estavam tão certos de que tinham nascido um para o outro.

Nas frases que eu lia meu coração se quebrava, era o mesmo que eu tinha sentido meses antes, a mesma sensação de estar lidando com dois homens, o que chegou era amável e seguro, o que ficou era agressivo e irônico.

Tive uma vontade louca de escrever para ela, de dizer que sabia do que estava falando, o que sentia. Mas a internet tem barreiras naturais, não é comum uma ex-namorada procurar a atual namorada do Romeu para prestar apoio. E a moça me parece apaixonada, segue o mesmo roteiro que segui, ainda esperançosa de que Romeu reaja e volte a ser quem era.

E não tenho tantas coisas para dizer, nem conselhos que oferecer, só queria dizer que hoje, depois de analisar mil coisas, parar o tempo, ler mensagens e juntar peças, cheguei a uma conclusão. Não sei os motivos, mas para mim Romeu não sabe amar, não sei se é algum bloqueio, ou nega sua natureza e tenta fingir o que não é, não tenho a menor ideia do que acontece na cabeça dele, mas posso quase afirmar que Romeu não sabe amar, diante de mulheres que o amam ele paralisa e saca sua faceta violenta.

Parece muita coisa, mas é simples, um homem que não sabe amar. Tenho certeza que essa namorada dele é tão fantástica e amorosa como eu fui um dia, mesmo assim Romeu não a merece.

A moça continua navegando em águas turbulentas, alguns dias ela posta mensagens de amor e esperança, mas na maioria do tempo deixa clara a sensação de dúvida, a certeza de que está recebendo menos do que dá.

Durante algum tempo pensei que o seu perfil era sobre ela, mas percebi que é como se fosse o meu, ela sente as mesmas coisas, chora pelo mesmo motivo e tenta se animar um pouco quando vê alguma demonstração de amor, por pequena que seja.
Ela suspira com a lua, se sente melhor com o sol, lamenta o frio, reclama da ausência dele, posta fotos meigas dos dois com frases de amor, luta todos os dias como eu lutei um dia, tenta manter um namoro em uma areia movediça, que cada dia a engole mais.

Fiz tudo isso e percebi tarde demais que quando é um sentimento mútuo a gente não faz tantas coisas nem se sente sozinha a maior parte do tempo.

Ela está no mesmo ponto que um dia eu estive, na margem, entre a dúvida e o suposto amor.

E vai deixando pegadas, me ajudando a entender tantas coisas que não vi antes, a dificuldade dele em amar, o mesmo modo de agir, deixando a mulher entre a dúvida e a falsa certeza.

No meu silêncio leio as coisas que ela posta e desejo do fundo do meu coração que perceba quem ele é, que apareça em seu caminho um homem melhor e digno do amor que ela sabe demonstrar. Vontade enorme de abraçar essa moça e dizer que ele não vale a pena, não ama ninguém, não vale a lua que ela manda para cuidá-lo de noite, ele é um lixo de ser humano.

Amor é como água potável, não pode correr pelo esgoto, não pode se perder na calçada, nem ser usado para lavar o lixo.

Que essa história tenha um desfecho melhor do que o meu, que ela seja mais forte do que fui, que seja mais rápida e sofra menos. É tudo o que eu desejo a uma pessoa que não conheço, mas suas pegadas se confundiram com as minhas, a vi no espelho e pensei que a dor era seu reflexo, mas era o meu.

Iara De Dupont

Um comentário:

Edileidi Cañete disse...

Triste, mas ela escolheu as migalhas, vc ñ!

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...