ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

20 junho 2016

Outro método de exploração (cadê Rosa?)


Desde pequena escuto uma frase ''mulher só enche o saco '', às vezes mudavam e diziam ''mulher só pega no pé dos homens''.

Ficou claro para mim que mulheres são terríveis, as casadas são piores, loucas, obsessivas com limpeza e com o cuidado dos filhos enlouquecem os homens, os levam ao limite. Tudo porque pedem coisas, querem a casa organizada e tentam se virar com pouco dinheiro.

E cresci sem conhecer um homem prestativo, não sei, nunca vi, nem posso dizer se existe, um homem que antes da mulher dizer algo em relação a casa, ele vá lá e resolva.

Minha mãe percebeu esse ambiente e me ensinou a fazer de tudo, para que eu não dependesse de homem nenhum, mesmo assim de vez em quando me vejo em situações que preciso de ajuda e pago caro por isso.

Eu tinha um móvel pequeno na minha casa e queria colocá-lo em uma caçamba, mas não podia carregar sozinha, então pedia ajuda ao meu irmão, que disse que tudo bem, e tirou o móvel....duas semanas depois do meu pedido.

Isso é porque ele é homem e tem mais o que fazer, sua cabeça é cheia de responsabilidades, como de todos os homens e pedidos de mulheres, seja irmã, namorada, mãe, são todos uma bobagem sem fim.

Quando eu tinha seis anos estava na casa da minha avó e minha tia saiu, mas me pediu antes para dizer ao meu tio não esquecer de comprar pão. Fui lá para falar isso e ele respondeu ''tua tia e sua besteiras, como enche o meu saco''.

Era pão, apenas isso, mas para ele foi uma enchação de saco parar na padaria antes de ir pra casa.

Escutei essas frases a vida inteira, até hoje escuto, nunca vi uma tia pedir algo ao marido e ele responder ''é, você tem razão, precisamos mesmo comprar manteiga''.

Nunca disseram algo assim, a resposta é sempre a mesma ''mulher só enche o saco''.

E sou uma observadora do sistema de exploração que as mulheres sofrem, fico só vendo e corro aqui para escrever, me parece importante que as mulheres tenham plena consciência do que está acontecendo.

E além dessa frase de ''mulher só enche o saco'', percebi outro mecanismo de exploração, dar canseira na mulher, até ela não pedir mais nada e resolver tudo. Homens são mestres nisso, é só reparar.

Tenho uma amiga que adotou um cachorro com seu namorado e pediu a ele que o levasse a passear quando chegasse do trabalho, porque ela chega mais tarde.
Durante um ano um ritual se repetiu, ela entrava em casa e via o cachorro, perguntava ao marido se ele tinha passeado o animal e ele respondia:

-Porra, hoje não deu.
-Porra, estou cansado.
-Porra, eu tenho mais o que fazer.
-Porra, trabalhei demais.
-Porra, faz frio.
-Porra, faz calor.

Até que um dia encostou no nervo e soltou a clássica frase ''você só enche meu saco, se eu soubesse que mulher pega tanto no pé jamais teria me casado''.

Minha amiga pensou em doar o cachorro, mas foi convencida pelos seus amigos budistas que não era assim que a situação se resolveria, ela estava se concentrando no lado errado da questão e usando energias negativas. Disseram a ela que o melhor era chegar em casa e ela mesma levar o cachorro para passear, sem drama.
Ela fez isso e duas semanas depois me disse:

-Iara, como a vida é simples sem guerra né? Passei um ano brigando com meu marido, cultivando a energia ruim e olha como era fácil ter resolvido antes a questão, não falo mais nada, eu chego em casa, pego a coleira e levo o cachorro para dar sua volta, acabaram os gritos e ofensas na minha casa.

Mas não é? Lógico que acabaram! Método budista de resolver as coisas!
Era apenas isso que o homem queria, não ser perturbado e minha amiga caiu na freqüência dele, mas segundo os budistas ela está ''cultivando a paz''.
Sei.

Homens são mais rápidos em escravizar, já sabemos disso, desenvolveram ao longo dos séculos métodos para explorar pessoas sem que elas percebam, a maioria dos autores de livros sobre como ''explorar seus funcionários até o limite e fazer eles acreditarem que são felizes e vestem a camisa da empresa'' são autores homens.

E eles perceberam que mulheres recuam diante de gritos e ofensas, não dá para negar que isso intimida, até a mulher perceber que aquilo não vai dar em nada, que é apenas um cachorro ladrando, ela vai se submeter.

Homens repetem as frases ''você só me enche o saco'', ''só pede besteira'', até a mulher se cansar e não pedir mais nada.

Quando esse método não dá certo eles aplicam outro, o espaço de tempo.
Pediu um favor para um homem? Talvez ele faça, mas daqui a seis meses e se você colocar pressão vai dizer um monte, que não obedece mulher, que não é frouxo para levar ordens e coisas assim.

Eu já passei por isso até no trabalho e nem era favor, era uma coisa que tinha que ser feita e acabaram gritando comigo, dizendo que eu era louca e chata, ficava pegando no pé dos ''outros''.

O espaço de tempo funciona horrores, mulheres que cuidam de sua casa sabem que o tempo é curto, almoço e jantar tem hora, conhecem o tempo da casa, sabem que não se pode esperar, por isso somos mais metódicas, mas para eles somos um bando de loucas maníacas que os perseguem, eles sabem que é uma questão matemática, é só enrolar e não fazer nada, até a mulher se cansar e fazer sozinha o que pediu ao homem para fazer.

Já vi amigas que se cansaram de pedir para o marido arrumar algo em casa, nem que seja trocar uma lâmpada, mas eles enrolam durante meses até a mulher se mexer, é truque e dos mais baratos, mas funciona.

Eu sei fazer de tudo em uma casa, só não gosto de mexer com a parte elétrica, mas hoje posso dizer tranquilamente, se eu me cassasse não faria nada além do minímo, porque não me parece justo me mexer tanto e resolver tudo enquanto meu marido é um encostado e se aproveita disso. Hoje eu fingiria tranquilamente não saber nada,  nem a diferença entre cloro e água sanitária, fingiria ser uma tonta o tempo inteiro, só para não ser explorada, porque sei que eles exploram sem dó.

Não é que as mulheres sejam delicadas e precisem de ajuda de homens em casa, ninguém  precisa deles, mas é injusto dividir uma casa com uma pessoa folgada, que encosta, pressiona e ainda por cima se faz de vítima!

Sempre digo as mulheres, peçam e exijam dos homens que façam sua parte em casa, porque senão daqui a pouco vocês vão estar fazendo tudo, inclusive empurrando móveis enquanto o inútil assiste televisão.

Sou uma pessoa impaciente, prefiro eu mesma fazer as coisas do que ficar esperando ajuda de homem, mas percebi que o mundo é perigoso e nem sempre sair batendo independência no peito é uma coisa boa, de vez em quando é melhor recuar, pelo menos até o mundo melhorar um pouco.

Uma vez me contaram uma história que mostra como essa pouca atitude dos homens e o fato de não serem prestativos pode ter consequências terríveis na vida de uma mulher.

Uma vizinha me disse que a máquina de lavar roupa de sua filha quebrou, ela pediu ao marido que desse uma olhada, porque ele consertava tudo e ela não sabia o que tinha acontecido. Ele enrolou durante semanas e ela via a roupa dos filhos se acumulando, começou a ficar irritada e o marido dizia ''para de encher meu saco, quando der eu arrumo''.

Um dia ela se cansou daquilo, não aguentava mais passar uma água nas roupas no tanque, então saiu e viu um cartaz de uma pessoa que dizia consertar máquinas de roupa. Ela chamou o rapaz, que foi lá e fez um orçamento. Ele percebeu que ela estava sozinha em casa, era tarde e ela só trabalhava meio período, bom, acabou estuprando e espancando a moça.

Pois é! Mas parece uma história machista, de que uma mulher sempre precisa de um macho para se proteger de outro!

Mas a realidade é essa, não podemos negar, se ela não tivesse marido talvez teria procurado ajuda para consertar a máquina entre conhecidos, mas na irritação e com o tempo em cima acabou chamando um desconhecido. 

E ainda me surpreende a proteção do divina que os homens recebem, o marido não ajudou, não consertou e no fim quem apanhou foi a mulher! E ainda posso apostar que ao sair do hospital deve ter chegado em casa para lavar a roupa dos filhos, duvido que o marido se mexeu.

Eu nunca fui alertada sobre essas coisas pela minha família, quem começou a me dizer que eu não podia chamar homens para consertar coisas na minha casa foram eles mesmos. 
O rapaz da água foi o primeiro a me dizer, me parecia normal que ele subisse o galão de água e deixasse na cozinha, até que um dia o rapaz me disse:

-Moça, eu vou trocar de emprego e vai vir outro entregador, não sei quem é, mas acho melhor a senhora pedir para deixar seu galão na portaria, não é bom abrir a porta a estranhos.

Perguntei qual era o problema......

-Tem muito louco por aí, é melhor não deixar subir nunca.

Pois é! Conclusão: eu subo meu galão hoje.
Porque fui alertada pelo homem que consertou minha geladeira, pelo entregador de gás, enfim, vários me disseram ''não chame ninguém se está sozinha'', homens me alertando sobre outros homens.

O melhor conselho foi do rapaz da televisão a cabo, me disse para sempre que receber um estranho em casa ter facas em diferentes lugares e carregar uma comigo, então ele disse:

-Pega um avental com bolso e coloca uma faca, assim se alguém se aproximar você tem tempo para puxar e rasgar a pessoa antes dela encostar em você!

Bom saber disso! E foi um homem que me disse, não foram minhas amigas feministas, nem os coletivos da rede!

E não tenho marido, imagina ter marido e se arriscar porque ele não quer resolver nada!

Homens não são prestativos e não é questão de ''ajudar'', odeio essa palavra, é questão de usar as calças e cumprir com sua responsabilidade no lar, em sua casa, se quiseram se casar que façam sua parte ou continuem solteiros, mas sem explorar mulheres.

E por que acordei tão furiosa hoje em relação a isso?
Porque ontem li uma história e uma detalhe me chamou a atenção e causou uma profunda revolta.

Na Cidade do México, uma moça, Rosa, com menos de trinta anos, saiu para trabalhar de manhã, mas antes percebeu que faltavam fraldas para o bebê e leite. Como estava em cima da hora foi embora, mas ao chegar ao trabalho ligou para seu marido e pediu que comprasse fraldas e leite antes de voltar para casa porque ele chegava antes, quatro horas antes dela!

As nove da noite Rosa voltou a sua casa. Quando chegou lá reparou que o marido não tinha comprado o leite nem as fraldas, o bebê estava no colo de sua mãe.

Posso adivinhar o diálogo que deve ter acontecido naquele momento, o marido deve ter alegado preguiça, sonho, frio, enfim e Rosa resolveu ir à loja pelas fraldas, aproveitando que sua mãe estava em casa. Ela deixou a bolsa, pegou a carteira e foi a uma loja pequena, a dois quarteirões de sua casa, comprar leite e fraldas, aquelas coisas que pediu ao marido.

E o que aconteceu com Rosa? Não sei, ela sumiu no meio do caminho, não chegou a loja, nem voltou a sua casa, ninguém sabe, ninguém viu.

O México tem um sistema péssimo de alerta quando uma pessoa está desaparecida, eles só podem disparar o alarme 48 horas depois, ou seja, quando o pior já aconteceu. E no momento Rosa já entrou para a lista de 27 mil pessoas desparecidas no México, a maioria crianças e mulheres.

Não era tarde, apenas as nove da noite, mas uma cidade sitiada como a Cidade do México e um bairro central, não é a melhor ideia sair para comprar alguma coisa.

Por quê o marido de Rosa não foi? Por quê ele não percebeu que tinha esquecido as coisas e saiu para comprar?

Nunca vi um homem fazer isso, eles encostam no sofá e dizem que trabalharam muito, estão cansados, esquecem que a mulher também trabalha.

E vou dizer de maneira sincera, a tragédia de Rosa foi ser uma mulher casada, se fosse mãe solteira tenho certeza que desceria no ponto de ônibus e compraria o leite e as fraldas no meio do caminho, mas como casada cometeu um erro fatal, pediu isso ao marido e confiou que ele iria resolver, acreditou que um homem poderia ser prestativo, finalmente o filho também era dele.

Homens não são prestativos, não têm consciência de divisão de tarefas e são educados para achar que quando uma mulher pede algo é besteira.

O mais incrível da história: quem está grudando cartazes nos postes com o rosto de Rosa, procurando a imprensa e fazendo barulho? Sua mãe e sua irmã.

Mas cadê o marido? Segundo a reportagem em estado de choque!

Mas não é? Coitadinho!

São tantas frases mentirosas em cima de nós enquanto nos arrebentamos para fazer as coisas na nossa casa! Que somos loucas, histéricas, chatas, obsessivas, obcecadas, malucas, doidas, que perseguimos os homens e a verdade é uma só: somos nós, mulheres, que estamos cercadas de homens não prestativos, encostados e violentos.

Quais são as chances matemáticas de Rosa ter sido assaltada ou sequestrada por outra mulher?

Essa é a sina de quase todas, um homem encostado em casa, incapaz de se mexer, prestar para algo e homens perigosos na rua, a espera de  uma mulher para assaltar, estuprar, sequestrar e matar.

Acabamos sempre escravas e por isso é importante ter consciência, o comportamento folgado de Romeu tem consequências e não serão em cima dele, serão em cima da mulher. 
É bom parar esse trem, quando perceber que o homem se recusa a ser prestativo, começa a usar essa frases humilhantes de ''mulher só enche o saco'' e coisas assim, é bom acordar e perceber todos os riscos que um comportamento assim implica.

Talvez a frase ''mulher só enche o saco'' foi a última coisa que Rosa escutou, antes de sumir. E como a maioria de nós, ela se mexeu e foi comprar a fralda do filho, mas deve ter sido vítima de um louco,  tão imprestável quanto seu marido, que se tivesse feito o que ela disse desde o começo teria evitado essa tragédia.

Moral da história: homens não facilitam para nossa lado, então chega de facilitar para o deles, está na hora de começar a dar uma coça nesses infelizes.


Iara De Dupont

5 comentários:

Marcela Zaidan disse...

Coitada da Rosa!!!!!!!!!!!!!

Tomara que seja encontrada logo.

Pelo que você conta o México é bem mais violento e perigoso que o Brasil, né? Por isso você optou por morar aqui?

Anônimo disse...

A velha premissa de que não vale a pena, essa coisa de que temos que colocar a mão pq o homem não vai só nos ferra. Fui criada so por mãe, minha irmã foi viver com meu pai e a outra mulher dele, essa ausência de pai so atraiu covardes, minha mãe sofreu horrores em igrejas evangélicas a ponto de que quererem casar ela com um cara em liberdade condicional pq nao era "certo" ela ficar só.
Aos 16 anos certo dia minha mãe estava justamente no mercado e eu de férias escolares, vestia um camiseta enorme do Mickey e short jeans apareceu o marcador de luz eu sempre conhecia o rapaz que vinha era tranquilo parecia gay nunca tive medo dele. So quê justamente nesse dia que eu estava so veio outro cara e esse cara quando eu abri o portao e levei ele até o relógio começou a falar que menina linda, que princesa, está sozinha e eu comecei a gaguejar dizendo que meu pai estava dormindo e minha mãe voltando pra casa, eu estava no quintal em pânico olhando para cima da área do vizinho pra ver se ele me via, o homem não parava de dizer que eu era uma princesa e não devia atender portão sozinha e ele era enorme parecia um armário e eu pedindo a Jesus para me livrar daquilo ele parou de falar e quando fui fechar o portão ele piscou que pânico, quando minha mãe chegou eu so chorava, nunca mais abri portão pra nmg desse tipo. Nem agua peço sozinha ate hj sendo adulta.

Anônimo disse...

Se eu fosse a mulher do cachorro, eu levaria p passear, mas antes tomaria um banho, passaria perfume e batom, demoraria o máximo possível na rua com ele... Até o fulano ficar com a pulga atras da orelha e resolver assumir o passeio.

Lidiane disse...

E o pior é que nós mulheres somos criadas achando que isso é normal, vemos nossas mães, tias, avós, fazendo tudo em casa, enquanto os homens assistem TV e bebem cerveja.

Hoje que sei como são as coisas, fico muito puta com essa situação acontecer ao meu redor, e elas não se incomodarem.

Então continuo sendo chata e pegando no pé, mas porra! não é fácil.

Anônimo disse...

Eu sou masculinista, mas gosto de você porque você tem ódio no coração.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...