ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

05 abril 2016

Romeu sumiu no mar? Não gaste dinheiro procurando por ele!

Patrick McDermott e Olivia Newton-Jonh

Muitas coisas que tenho dito aqui viraram uma grande dor de cabeça, de repente me vejo explicando e explicando a mesma questão porque algumas pessoas me chamam de radical, extremista e exagerada.

Não digo nada sobre a vida alheia, apenas conto a minha e o que tenho visto pelo caminho. Aprendi a duras penas que não se pode confiar em nada nem em ninguém e relacionamentos não são pedras, não são estáveis nem seguros, são barcos no meio do mar e ninguém sabe onde vão dar, não sabemos nem se vão virar no meio do caminho.

E não é questão de defender as mulheres ou atacar os homens, mas minha obsessão em observar tudo me mostra todos os dias que mulheres ainda estão amarradas a linhas sociais e ainda se seguram em muitas questões, a minha matemática me mostrou que são mais homens os que abandonam seus filhos e esposas do que o contrário. Vejo mais perguntas sem respostas do lado das mulheres do que dos homens.

E lendo uma história pensei em tudo que escrevo, grito, berro, imploro, me jogo no chão, escrevo nas paredes, digo sempre a mesma coisa: mulheres, se protejam dos Romeus, ninguém é amor escrito na pedra.

A cantora Olivia Newton-Jonh namorava Patrick McDermott, não dizem quando começou o namoro, mas em 2005 ele desapareceu durante uma viagem de barco pela costa da Califórnia.

Trabalhei um tempo com um repórter que cobria histórias de gente desaparecida e não conheci dor pior. A morte é definitiva e encerra um capítulo, por pior que seja, mas o desaparecimento da pessoa envolve toda a família e os amigos em uma dor profunda, uma esperança resistente e uma luta sem tréguas.

Uma vez eu estava com esse repórter e uma mãe, que procurava a filha desaparecida, fomos a uma manifestação na porta da prefeitura. Eu tinha uns chocolates na bolsa e ofereci a mãe da menina, que recusou, insisti e ela disse "olha, eu não como muito, a comida não tem sabor de nada, para você é um chocolate, para mim não faz diferença''.
Perguntei a ela porque me dizia isso e me respondeu:

-Desde que minha filha sumiu não consigo mais comer direito, fico pensando se ela tem comida, se está passando fome, sede, não consigo mais fazer nada, em dias frios nem durmo, me pergunto se ela está passando frio.


O desaparecimento da pessoa coloca a família em uma prisão mental, a pior de todas, o tempo e dinheiro que se gasta procurando, a falta de ajuda e colaboração das autoridades, a omissão do governo. Quem passa por isso lida com todos esses horrores e ainda fica à mercê de aproveitadores que tentam tirar dinheiro alegando terem visto a pessoa procurada.

E Olivia Newton-Jonh passava por isso, em 2005, gastou uma fortuna para procurar o namorado, fez uma site, pediu ajuda aos amigos famosos e pagou equipes para ''pentearem'' o mar atrás do corpo do namorado, mas não encontrou nada.

Depois de três anos ele foi declarado morto, pela lei funciona assim, quando não encontram o corpo esperam três anos até declarar a pessoa morta, mas a história chamou a atenção de um jornalista, que convenceu a emissora que trabalhava para investigar o caso. 
O namorado de Olivia tinha declarado falência um pouco antes de sumir, estava sendo processado pela pensão do filho, de um relacionamento anterior, tinha dívidas enormes e no dia acidente não houve testemunhas.
Então a NBC, a emissora americana, pagou um detetive para procurá-lo em 2010, acharam algumas pistas, mas nada concreto, diziam que ele estava escondido no México. 
E apenas agora ele foi encontrado, em 2016, morando em uma praia isolada no México, com uma namorada alemã.
Ele percebeu que o estavam procurando e conseguiu fugir de novo.

E o que isso tem a ver com o que tanto digo no blog?

É sempre a mesma coisa! Olivia é milionária, não perdeu a casa para procurá-lo, mas e se não fosse? Teria perdido tudo procurando pelo seu amor?
E ela fez horrores para achar um homem que nem a considerou antes de armar um plano assim! Ele fez de tudo para se passar por morto e não teve a decência de dizer nada a namorada, pelo contrário, a fez de trouxa, ela lá pedindo ajuda ao governo americano, usando a marinha americana para procurar seu namorado, implorando pelos grupos de resgaste, gastando milhões e cadê Romeu? Com certeza estava dando risada de longe ao ver a namorada otária chorando em entrevistas, implorando a Deus para que pelo menos ela pudesse encontrar o corpo do namorado!

E seguros de vida e de banco dizem que são centenas de pessoas, a maioria homens, fingindo sua morte todos os anos, para fugirem das dívidas e a maioria corre para o México, onde se compra fácil qualquer documento e muitas cidades vivem disso, protegem os novos moradores e ninguém os encontra.

Não dá para saber que tinha de relacionamento tinham Olivia e Patrick, mas me parece sempre a mesma coisa, não se pode confiar em ninguém.

Homem na hora de aprontar não tem dó de mulher, ele não pensou no sofrimento da namorada ao saber que ele estava desaparecido, não considerou nem sua mãe. E o filho? Vale a pena se fingir de morto para não ter que pagar pensão? Isso é papel de homem?

Por isso digo, mulheres se protejam, façam seu caixa-2, guardem dinheiro, não dependam de nenhum homem, porque não sabem onde vai dar todo esse amor.

Vi muitos homens ''desaparecendo'' enquanto eu crescia.
Eu era pequena, mas lembro bem de uma confusão, porque minha tia acordou do parto e seu namorado tinha sumido, levou uns dias até todos perceberem que ele tinha ido embora. Ela tinha um emprego, mas naquela época davam apenas um mês de licença- maternidade e as coisas do bebê tinham ficado no apartamento dele, meu avô foi lá, bateu na porta, gritou, mas ninguém abriu. Tudo o que foi dado no chá de bebê ficou lá, a banheira, o berço, o carrinho. Minha tia saiu direto da maternidade para a casa de sua mãe, com uma mão na frente e outra atrás, porque ela por orgulho não quis ir buscar suas coisas na casa do namorado e ele nunca teve a decência de mandar entregar as coisas na casa da minha avó.

Mulher não pode ficar na mão de homem, em nenhuma hipótese. E não tem nada a ver com amor, pelo contrário, se a mulher acha um homem legal tem mais é que curtir muito, subir paredes, beijar, amar, mas tudo de olhos bem abertos e sempre com uma porta de saída, um plano B, caso o amor vire.

Minha tia teve um lugar para ir, porque morava na mesma cidade que minha avó, mas e se não fosse assim? Para onde iria uma recém-parida? Com pouco dinheiro e um bebê no colo?

E tive uma prima que se mudou com o namorado e seu bebê, eles brigaram um dia e Romeu a expulsou de casa, debaixo de um frio de não sei quantos graus, minha prima disse que preferiu sair porque ficou com medo de que ele fizesse alguma coisa com a bebê. E foi dormir na rodoviária, esperar que meu tio mandasse a passagem de volta, já que ela estava em outro país sozinha. Passou dois dias dormindo debaixo de um frio terrível, com o bebê no colo. 

Não dá mais para viver com essa ilusão de que ''meu Romeu é diferente'', eu escuto isso milhões de vezes todos os dias e se isso fosse verdade não existiriam tantos processos de paternidade correndo por aí, nem tantas mulheres perdendo tudo porque Romeu some com o dinheiro do casal.

O ser humano é mutável e cheio de curvas, não podemos saber o que os outros pensam, sentem e até onde vão manter suas promessas. Não se pode confiar no outro de maneira total e fechada, como se fosse a única verdade.

E uma vez disseram a minha abuelita que seu marido era um grande homem e ela respondeu:

-Eu não sei, os dados ainda estão rolando, só vou poder avaliar isso no último dia, quando tudo estiver terminado. Depois que ele morrer vou saber se ele foi mesmo um grande homem ou não, até lá não digo nada, mas se ele tiver sido um grande homem, eu vou me jogar no caixão e gritar ''ele foi um grande homem e o honrou o amor que me jurou''.

E na dúvida minha abuelita estava certa, meu avô foi um péssimo homem, marido e pai. E ela não se jogou no caixão no dia que ele morreu, porque ele nunca honrou a mulher que teve.




Iara De Dupont

Um comentário:

Cristina disse...

Puta que pariu esse aí não contente de chegar ao fundo do poço da covardia, ainda cavou pra se afundar ainda mais. Abandonou o filho e a mulher, fez ela gastar uma grana preta procurando um corpo, e mal chegou no México já arranjou uma otária sem a menor vergonha - com a qual provavelmente não usa camisinha ao transar e vai abandonar sozinha com um filho ou força-la a um aborto ilegal se engravidar. Espero que pelo menos não tenha ninguém além dos mascus defendendo esse traste...

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...