ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

15 abril 2016

Não quero ser a pedra, quero ser a areia ou as ondas.....


Há uns anos eu estava na porta da sala de aula, esperando um professor quando passou por mim um estudante e entrou. Não lembro o que ele me perguntou, mas começamos a conversar e eu fiquei encantada, um doce de pessoa, dava para ver que era uma alma cálida.

Ele estava no mesmo curso que eu e ficamos amigos e de vez em quando me dava carona.

Um dia na fila da cantina uma das garotas da sala veio puxar conversa comigo, acabamos ficando amigas e descobrimos um ponto em comum: as duas estávamos apaixonadas pelo mesmo rapaz.

Mas essa garota era diferente de mim, ou talvez uma versão mais jovem do que eu sou, era direta e logo me disse:

-Não gosto de histórias cruzadas, se você está a fim dele, então eu pulo fora, não sou dessas de cair em briga por homem.

E eu respondi:

-Vamos ser sinceras. Eu o conheci no primeiro dia de aula, você estava em outro grupo e chegou duas semanas depois. Ou seja, eu o conheço há pelo menos seis meses, já sei que é solteiro, mas ele nunca me olhou com segundas intenções, jamais me convidou para sair, nem se insinuou. Não sei nem a condição sexual dele, porque nunca o vi com alguém daqui em alguma situação íntima, nem homem nem mulher. Já me deu carona e trabalhamos no mesmo grupo, mesmo assim nunca falou nada, então minha conclusão é a seguinte: ele não está a fim de mim.


-Puxa, você desiste assim tão fácil do que quer?

Não, mas não acredito em ir atrás de alguém que não me dá espaço para isso. Olha, teve uma festa e eu fui com ele, passamos a noite conversando, e ele não tentou me beijar, nem se aproximar, por que vou pensar que quer alguma coisa?

-Mas não é o que ele quer, é o que você quer!

Pois é, eu quero alguém que me queira e eu não acredito em ir atrás de ninguém.

Essa parte da história ainda é confusa para mim, porque é um mosaico de emoções.
Quando eu era pequena e na adolescência, os meninos nem olhavam na minha cara e de repente aconteceu um pulo gigante, eu entrei no teatro e homens adultos olhavam e isso me assustou. Antes eu carregava a sensação da rejeição, depois do acosso e não gostei de nenhuma das duas, sendo assim me retirei dignamente, não ia atrás de homem. 
E duas vezes me apaixonei loucamente e não aguentei, acabei dizendo aos garotos que estava apaixonada e os dois seguraram no meu rosto e disseram ''você é minha melhor amiga!''.
Diante disso fiquei no trauma.

Um pouco mais tarde comecei a estudar sobre esoterismo, energias e me disseram que as pessoas se atraem, nada precisa ser feito, elas apenas se aproximam, ninguém precisa bolar planos mirabolantes.
E percebi que isso acontecia direto na minha vida, as pessoas chegavam e em um conversa casual ficavam, eu não precisava ir atrás de ninguém.

Alguns anos depois soube que essa moça se casou com o rapaz da faculdade, mas não pensei mais no assunto.

E em geral as áreas de trabalho são pequenas e as pessoas acabam se cruzando ou sabendo uma das outras, acabei encontrando essa moça uns meses depois do seu casamento. A cumprimentei sinceramente, o rapaz é uma ótima pessoa, mas nesse dia em que nos vimos o trabalho foi longo e tedioso, acabamos conversando um bom tempo sobre seu relacionamento. Perguntei a ela como tinha quebrado o gelo com o rapaz, que me parecia fechado e um pouco tímido, ela sorriu e me disse:

-Tudo nessa vida é um jogo de conquista, eu quis e fui atrás, o conquistei.

E como se conquista um homem?

-Você não sabe?

Não.

-Se aproxime, puxe conversa.

E vira amiga né? Depois aguenta escutar sobre outras, espera ele acordar para a vida e te ver do lado dele e pensar ''bom, se não tem tu, vai tu mesmo''.

-Não é assim, você só se aproxima e permite que ele te conheça um pouco, só isso. Você nunca fez assim?

Já. Virei a melhor amiga, conselheira e acabei com um beijo na testa.

Não tenho vergonha de falar isso e nem sei quantos posts já escrevi sobre o assunto, eu não sei conquistar um homem e nem sei se acredito nisso. Continuo achando que as energias se atraem e rolam sozinhas, não preciso ficar por perto até que ele repare que eu existo.

Mas não posso negar a realidade, tenho visto amigas que acreditam em conquistar alguém e conseguem, e isso sempre me deixa maravilhada.

Minha mãe sempre me disse que a primeira coisa era virar amiga e se aproximar, assim teríamos chance de saber se realmente gostamos do homem ou é apenas fogo de palha. 

O problema dessa teoria é que percebi com o tempo que os homens são rápidos e dados a conveniência, eles sempre sabem se estão interessados em alguém ou não, e muitos entram no jogo do conveniente, se eles gostam da amiga acabam ficando com ela.

E o assunto voltou na minha mente porque hoje eu conversava com uma amiga e ela me perguntou sobre um rapaz que está na minha lista de amigos no Facebook. Conheço ele há anos, somos amigos na vida real e ela me disse que queria se aproximar, mas queria saber que ''tão'' meu amigo ele era. Falei a verdade, é uma história simples, eu sempre tive uma queda por ele, nos falamos como amigos e mantemos a relação assim, mas é um tipo de homem que se pegasse no telefone e me chamasse para sair eu iria correndo. E ela me disse:

-Ele está na tua lista e vocês se falam! Vai que dá!

Não dá não. Somos amigos e não sei como me aproximar de outra maneira, como conquistá-lo? Não sei. Uma amiga já me sugeriu uma aproximação indireta, curtir mais as fotos, mandar mais mensagens, mas eu não vejo o sentido disso, até porque tenho certeza de que se ele quisesse alguma coisa já teria sido claro.
Ah, vocês podem sair e beber alguma coisa!
Já rolou e não aconteceu nada. 
Podem ir jantar e ver onde vai dar. Não deu em nada.

Tenho uma personalidade estranha e acabo admirando nos outros o que me parece impossível de fazer. Acho lindo uma mulher colocar os olhos em um homem e conseguir conquistá-lo, poxa, eu não sei fazer isso!

Fui olhar no perfil do meu amigo e suspirei um pouco, ah, se eu pudesse conquistá-lo!

Mas no fundo tudo isso me parece artificial e conversa de filme americano, onde a garota se finge de melhor amiga e no fim do filme o rapaz percebe que é a mulher de sua vida!

Talvez faça parte do meu estranho jeito de ser, mas continuo acreditando que as coisas acontecem sozinhas, sem a minha ajuda e minha mente pensando em estratégias.

Minha amiga perguntou:

-Estou liberada para pedir a amizade dele e tentar conquistá-lo?

Está! Eu é que não vou lá, não quero nem saber. 

-Pensa bem, não quer tentar?

Não, eu nem sei o que fazer! Já somos amigos, vou fazer o quê? Dar risada de tudo o que diz? Consolar o rapaz quando levar um fora? Ficar enchendo de elogios e alimentando seu ego? Eu não sei fazer isso, ou melhor, não quero mais fazer isso.

-Por não ter feito isso antes e por não saber fazer, é que você deveria tentar. Poderia se aproximar devagar....

Já me disseram isso, tenta falar com ele de vez em quando, daí você some, ele sente tua falta e acorda para a vida. Mas tenho um problema, se eu fizer isso fico com a sensação de que estou incomodando, me sinto mal, forçando uma situação. 
Um psicólogo uma vez me disse que eu não tinha treinamento amoroso, que isso se desenvolve na adolescência, nos primeiros amores, e como foi uma fase de total rejeição, eu não sabia lidar com a aproximação.

Mas tenho inveja de quem sabe fazer isso!

-E pensando bem vocês fazem um casal bonito.....

Mas não é? Concordo, mas não rola, já joguei algumas indiretas e senti que a parte dele é amizade mesmo.

-No começo pode ser, mas você pode se aproximar mais! Não consigo entender como você pode ser tão inteligente para algumas coisas e tão tosca em outras!

É, o psicólogo me disse isso, que tenho uma mente de noventa anos, mas levo minha vida amorosa como se tivesse doze anos! É verdade, eu fico nervosa e não sei nem o que dizer quando gosto de alguém, me falta traquejo, aquele que a gente conquista na adolescência.

Não posso mudar muitas coisas, meu jeito é assim, sou uma romântica incurável, acho que as almas se encontram e se reconhecem, não precisa da minha ajuda e nem de ficar curtindo foto à toa no Facebook.

Fui muito apaixonada por um amigo do meu primo, que acabou com uma amiga de uma prima. Minha abuelita viu como eu sofri, porque ele também não dava bola para a menina, mas ela não quis nem saber, cismou que iria conquistá-lo e foi lá, e eu fiquei em um canto chorando pitangas. 
Um dia minha abuelita me viu inconsolável e veio me dizer que as coisas boas na vida chegam a nós, elas nos encontram, não precisamos ficar empurrando ninguém. E ela me disse:

-Na vida a gente só tem duas opções felizes, somos areia ou somos ondas do mar, as duas sempre se encontram de maneira suave e constante. Para que ficar no meio do caminho e ser um pedra? As ondas batem na pedra e voltam, mas quando é areia elas vão de maneira suave. Não seja pedra na vida de ninguém, não imponha sua presença, não atrapalhe a areia, nem fique no caminho do mar, seja sempre a areia que recebe ou as ondas que chegam. E elas sempre se encontram, não importa a lua, nem o tempo. E nenhuma delas corre atrás da outra, apenas seguem seu ritmo e se encontram, assim deveria ser a vida para todos, a areia que recebe as ondas que chegam, sem pedras no caminho.


Iara De Dupont

Um comentário:

Anônimo disse...

Puxa Iara, o que me impressionou nesse post é você falar das suas amigas ‘pedir permissão’ p/ dar em cima de alguém que vc esteja a fim... e ainda por cima te insistir em tentar a sorte! Juro que nunca achei que leria uma coisa dessas, sério! Eu não confio nem em amigas, pois já vi uns olhares e umas jogadas de charme da parte de algumas delas em cima do meu marido. Se já não confio em mulher, imagina em homem! Kkk. A sorte é que sou uma pessoa tranquila e não sou ciumenta. Mas isso não significa que eu seja besta. Sou extremamente atenta e analítica, eu só não reajo como as pessoas esperam. Adoro ver as pessoas ficando confusas e percebendo o papel de idiotas que estavam fazendo. No fundo é tudo jogo, se você cair no jogo delas está perdida. Eu posso até entrar no jogo, mas entro consciente, só pra dar risada no final.
E sim, também detesto ser pedra no caminho de macho. Se o cara não agiu, não demonstrou nada, logo me encho e a fila anda. Pode ser doloroso e tal, mas sabe que o tempo vai dar conta. Se não era pra ser, não era e pronto. Não fico mais martelando sobre isso. Ficar me humilhando e me rastejando pra mendigar atenção de macho é o fim.
SY

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...