ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

04 abril 2016

Amiga, teu Romeu é pequeno para você!


Uma amiga vai comemorar seus dez anos de casamento e mandou um email dizendo ''pena que você não está aqui''.

Pois é, não acho, pelo contrário, estou até feliz de não estar por lá.

Gosto demais dessa minha amiga, tenho um enorme carinho por ela e não só com seu lado pessoal, mas um profundo respeito por quem ela é profissionalmente, uma mulher incrível e dedicada.

Do seu marido não tenho queixas, sempre foi gentil comigo e é uma boa pessoa, mas existe um ponto que fica chato mencionar, pessoas não falam sobre isso, é falta de educação e modos, mas é o que me parece ser nessa história: ele é pequeno demais para a grandeza dela.

Não sei porque esse assunto é tabu e todos fingem que não existe!

Qualquer ser humano leva tempo para desenvolver seu potencial e todos, todos, todos, precisamos de ajuda, desde pequenos. Relacionamentos pessoais e profissionais vão nos moldando, melhorando, aprimorando.

Sofri muito na escola porque nunca me adaptei a matemática nem a acordar cedo, até que tive uma professora que incentivava a leitura, meu pai já fazia isso, mas na escola exigiam boas notas de matemática, essa professora percebeu que eu tinha mais facilidade para humanas do que exatas e recomendou que meus pais comprassem livros onde a matemática era colocada de maneira mais literária, para que eu pudesse entender.

Para ser quem eu sou ou começo a ser, precisei de ajuda, muita ajuda, de pais, amigos, familiares, amores e até inimigos apontando os defeitos.

O ser humano floresce na assim, regado por todos os lados, recebendo influências de diversas pessoas e sendo moldado nas experiências.

E não se fala muito nisso, mas relacionamentos afundam muitas pessoas. Não é tão simples alcançar seu máximo potencial, mas se ainda por cima estamos rodeados de pessoas que não nos ajudam a isso, então a tendência é encalhar.

E alguns homens, seja pela sua maneira de ser e por tudo o que uma mulher permite, puxam elas para baixo, ofuscando tudo o que elas poderiam vir a ser.

Nenhuma mulher precisa da ajuda de um homem para ser alguém, mas grande parte do que somos se constrói no relacionamento e se estamos em um errado, o preço é outra reencarnação perdida sem chegar ao seu mais alto potencial.

Minha amiga trabalha duro, estuda, sempre foi dedicada, essa força ao lado do homem certo, de um homem que soubesse apoiar e incentivar teria se tornado um furacão.
Mas ela escolheu um homem pequeno, ciumento, inseguro, cheio de complexos, que sempre foi escuridão onde ela era luz. Diante de tudo isso ela teve que se ''apequenhar'', se fazer pequena para poder entrar no túnel escuro que era a vida com seu Romeu. Largou alguns sonhos e deixou de lado seu potencial, apenas para se encaixar na minúscula vida que ele lhe oferecia.

E não tem nada a ver com dinheiro, poder ou posição, tem a ver com acordar com um homem pequeno todos os dias, a mulher vai diminuindo até sumir.

Eu sempre lembro do casamento dela, parecia uma rainha de tão linda, tão mulher e ele tão pequeno ao seu lado, já dava para reparar o abismo que os dividia.

E nós, mulheres, somos educadas para pensar no nosso tamanho ao lado do homem, se somos maiores nos fazemos pequenas, se somos pequenas nos mantemos assim, mas nunca fazemos sombra ao Romeu que amamos.

E uma amiga me dizia uma grande verdade, encontros têm que ser significativos e transformadores, caso contrário qual a graça de encontrar uma pessoa em um mundo de seis bilhões de pessoas? Pessoas têm que ser inspiradoras, principalmente aquelas que dividem a nossa vida. E não se fala apenas de amor de Romeus, mas de todos que nos cercam. 
Muitas vezes me canso, mas encontro inspiração na minha mãe, muito mais forte do que eu, me inspira a melhorar, a procurar uma saída, mesmo quando meus pés não sentem o chão.

E se vou dividir minha cama com alguém penso na mesma coisa, quero me sentir inspirada a melhorar em todos os aspectos, quero ir além, mas não posso sentir isso com um homem que me aperte e de uma maneira ou outra queria cortar minhas pernas e me adaptar ao seu pequeno mundo.

Minha amiga é talentosa, teria feito muitas coisas maravilhosas neste planeta, mas ficou pequena por uma gota de amor e mudou seu destino. Tanta luz teria saído daqueles olhos se ela pudesse ter ido um pouco mais longe, se tivesse tido espaço para se sentir amada e apoiada por alguém tão fantástico quanto ela.

E volto a dizer, nenhuma mulher precisa de um homem, mas muito do nosso potencial se desenvolve no amor que recebemos, no incentivo, na força, na sensação de que alguém que amamos acredita em nós.

Existem homens ''menores'' e mulheres dispostas a enterrar seu potencial em nome desse pequeno amor.

O problema é o que eu sempre digo, só temos uma vida e a responsabilidade de vivê-la, ninguém pode fazer isso por nós e o relógio de areia vai correndo, quando o tempo terminar nada poderá ser mudado.

E um Romeu pequeno vale nossa vida? Vale todo esse potencial jogado ao ralo?
Ninguém vale a nossa vida.

Como amiga não tenho nada que comemorar, dez anos depois do seu casamento, pelo contrário, só lamento e me deprime pensar o que o mundo perdeu até hoje. Minha amiga largou uma carreira maravilhosa em cima dos palcos por ciúme do Romeu e entrou em uma vida doméstica de horários controlados, onde Romeu a pega na saída do trabalho.

E as fotos no Facebook mostram isso, a realidade que não se esconde, ela continua linda, ele continua parecendo demais para ela, o golpe de sorte em sua vida.

Cansei de ser mal interpretada por isso quando eu perguntava as minhas amigas ''mas esse teu Romeu vai te levar aonde?''.
E elas ficavam bravas, diziam que parecia uma pergunta interesseira, mas é, lógico que tenho interesse em saber onde um relacionamento vai me levar, ele vai me ajudar a ser melhor no que sou ou vai me afundar como afundaram as mulheres da minha família?
Por que temos que fingir que somos cegas e não nos interessa saber onde o relacionamento pode nos levar?

Se eu tenho um tamanho me parece normal encontrar um homem igual, por que me acostumar com alguém menor? Enterrar quem somos e esquecer o que queríamos ser, é como um suicídio lento, por isso esses amores não rendem nada a futuro.

Eu venho de família de mulheres grandiosas, maravilhosas, luminosas, todas podadas, castradas e cortadas por Romeus minúsculos, inseguros, miseráveis em todos os aspectos. Cresci vendo toda aquela luz ser desligada, vi todas elas serem enterradas na minha frente, sumiram como se fossem um sonho meu.

Por isso digo, é melhor estar sozinha e me levar ao extremo do que posso ser, do que ficar pequena ao lado de um Romeu. 

Só acredito no amor que leva pra frente, que constrói, que modifica, que melhora, que transforma. Se amanhã eu achasse um Romeu do meu tamanho, ficaria com ele, mas tenho pernas demais para encolhê-las por um homem.

E não vou comemorar os dez anos de casamento com minha amiga, no fundo tenho vontade de vê-la com um homem maravilhoso, tão grande quanto ela, tão cheio de luz, seria sensacional ver ela largar aquele pequeno Romeu e vê-la começar uma vida com um amor do seu tamanho. Que surpreendente seria e quanto o mundo ganharia com isso, outra mulher brilhando, espalhando aquela luz que todas trazem das profundezas! 

Todas somos luz e não deveríamos permitir ninguém na nossa vida que tentasse apagar o que somos e podemos ser.

Mas eu amo o Romeu!

É, mas Romeu é pequeno, é interruptor que apaga tua luz, é pedra no teu caminho, é cova que se abre diante de você.

O primeiro amor sempre somos nós, a luz que nos guia, que nos leva onde precisamos ir. Mas luz interna é como uma vela nas nossas mãos, temos que segurar a vela com uma mão e cuidar com a outra para que o vento não apague. Não podemos derrubar a vela por ninguém, muito menos por um Romeu pequeno. Porque pode parecer amor, mas quando derrubamos a nossa vela por alguém ficamos na escuridão. E ela pode ser eterna.


Iara De Dupont

Um comentário:

AnaMar (pseudónimo) disse...

Interessante. Mas o Romeu de sua amiga pode mesmo ser o Romeu dela, sem esses traços com que o caracteriza. E se ela é feliz... E concordo, que ninguém nenhum Romeu ou Julieta deva ofuscar o seu par, mas sim crescerem juntos em descobertas e desafios.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...