ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

19 fevereiro 2016

O ponto zero dos homens (melhor não conhecer)


Minha amiga me disse:

-Vou te dizer uma coisa, não estou torcendo por você e pelo Romeu. Acho ele meio machista, um perfil destoante do teu, você é mais ligada no mundo, ele me parece um típico macho.

É, é sim. Pelo menos o que eu conheço. Viemos do mesmo meio social, acho que o dele um pouco mais puxado que o meu, mas ele nasceu em uma família machista, conheci os pais, o pai violento e a mãe abnegada tentando proteger os filhos em uma cidade machista, em um país misógino. E na rua não deve ter sido diferente, devem ter ensinado ele a ser ''macho'', então até onde sei é machista sim, mas não tenho ideia de que tão ''machista'' é.

-E isso não te incomoda?

Não, faz tempo que larguei mão de muitas coisas e afinidade política e intelectual foi uma delas, não espero mais nada de um homem e não acho que exista um perfil de homem parecido ao meu, não acredito em homens feministas, então não vou procurar duendes na floresta.

-Bem tua cara dizer isso, é sempre oito ou oitenta. Não estou dizendo para procurar um homem que seja feminista, mas também gostar de um que não é, me parece anormal.

Cheguei ao ponto da minha vida que são todos iguais e já passei por vários perfis, não sei com as outras, mas aprendi uma grande lição: nenhum homem é confiável e isso se deve ao que eu chamo de ponto zero.

Venho observando isso há anos e já procurei todos os tipos de respostas e parece que ninguém sabe me informar. Ponto zero é quando o homem volta ao ponto zero e age de maneira violenta, não importa a situação mental, emocional dele, parece que tudo apaga e ele age como um animal descontrolado.

Li sobre teorias biológicas, homens têm testosterona e na hora de reagir a uma situação que consideram de perigo ou provocação, a química cerebral é alterada e eles ficam violentos. Outras correntes de pensamento dizem que é cultural, homens são educados para ''ir para o pau'' e por isso reagem de maneira violenta a muitas situações. Não existe uma resposta exata sobre esse ponto zero, aquele momento que os homens perdem a cabeça, não se sabe se é fisiológico ou um fator cultural, talvez herança genética ou resquícios da vida anterior, quando tinham que sair para caçar javalis, passavam por situações de altas tensões e muitos não voltavam aos seus grupos.

Também me disseram que os gritos e violência exercidos pelos homens são estratégias para intimidar inimigos, mas o mundo foi para a frente e eles não têm mais inimigos na entrada das cavernas, mas acabaram identificando a mulher como inimiga, então toda essa violência vai em direção delas.

Isso é um fato que nós, mulheres, lidamos no mundo, homens são ou estão violentos e não importa o discurso, nem a roupa que usem, nem a máscara que esconde quem são, na hora que a bomba explode eles agem de maneira irracional.

E no mundo inteiro os números não param de subir, apesar de tantas mulheres conscientes dos seus direitos, os números de mulheres assassinadas pelos companheiros continua crescendo e cada vez mais os homens se matam entre eles.

Essa é a minha justificativa para não acreditar mais em que existe diferença entre em um homem que se diz feminista ou um que é machista, porque sei que na hora do aperto os dois correm o risco de agir da mesma maneira bruta e agressiva.

Estudei com um rapaz na faculdade, metido a bom moço, simpático, adorava dizer pelos corredores que seu pai tinha ido embora de casa e ele assumiu a responsabilidade e tratava a mãe como rainha. Todo mundo gostava dele. 
Fiz alguns trabalhos de grupo com ele e percebi que fazia corpo mole e roubava ideias, apresentava os projetos sozinho. Um dia não aguentei e disse isso na frente de todos, falei que era malandragem e ele pulou em cima de mim, não chegou a me dar o tapa que queria porque me afastei de maneira instintiva e um colega cruzou na frente, segurando o rapaz. Se não tivesse ninguém ali eu teria apanhado, porque foi uma reação de segundos, de um rapaz tranquilo e simpático.

Já outro colega adorava fazer o papel do ''sorriso-maroto'', sempre cantando pela faculdade, amigo de todos e ajudava os professores a carregar bolsas e entregar provas, sempre disposto e com o sorriso largo. 
Um dia ele passou mão na bunda de uma colega durante o trabalho, eu vi e falei horrores, a menina saiu constrangida e chorando da sala. O rapaz veio falar comigo, querendo limpar sua barra, inventando que não era nada daquilo e conforme ele percebia que não estava me enrolando seu humor foi mudando, de repente estava me chacoalhando e dizendo ''você não quer entender meu lado''. Consegui me desvencilhar do garoto meigo e ''sorriso maroto'', mas seus dedos ficaram marcados nos meus braços durante dias.

E em uma peça de teatro tinha um ator que namorava uma professora de sociologia, ele adorava dizer que a namorada comentava que ele era um homem diferente de todos, consciente e parceiro, tinha orgulho do namoro. O ator era tranquilo, de perfil sereno e educado. Na véspera da estréia da peça estávamos os dois nervosos e começamos uma discussão, ele gritava, eu gritava, mas de repente ele se aproximou e me apertou o braço, me puxando em sua direção e me chamou de ''vadia louca''.

E tenho mais mil exemplos, de homens ótimos, equilibrados, que em algum momento se sentem desafiados, humilhados ou questionados por uma mulher e agem de maneira violenta, não importa que tenham um diploma de sociologia e conheçam tudo sobre feminismo ou não tenham terminado o ensino médio.

É o ponto zero, homens voltam a ele constantemente, somos nós, mulheres, que fingimos não ver. 
É claro que existem os homens que por algum motivo adotam um comportamento oposto e não reagem a nada, mas a maioria reage e sempre de maneira imprevisível e ligada a mulher.

Não sei os motivos, uma amiga psicóloga me disse que tem a ver com a ideia de masculinidade deles, se sentem que a mulher cruzou o limite, eles reagem e sempre o fazem com violência.

Tenho vivido e visto isso, quando um homem sente que sua masculinidade foi testada (e isso é sempre coisa de sua cabeça) o mundo vai cair. Não precisa ser no tapa, mas pelo menos na violência verbal ele vai para cima.

E a tendência é piorar, antes as mulheres eram obrigadas a aguentar quietas todos os ataques masculinos, mas agora isso acabou, elas estão reagindo e percebendo a violência que vivem, isso só enlouquece mais os homens. Outro ponto débil deles é o sexo, por primeira vez na história estão sendo obrigados a encarar que não são tão bons assim e que suas mulheres não estão satisfeitas, isso desperta o ódio deles e acabam acontecendo mais episódios de violência. A mulher também está colocando dinheiro na casa, e começa tudo de novo.

A masculinidade passa por um período de crise e vai continuar passando, até que eles acordem para a vida e percebam que masculinidade não é sinônimo de bater em mulher ou levantar a voz.

E também vão ter que resolver outras questões ligadas a sua ''suposta masculinidade'', vão ter que começar a aceitar que as mulheres pensam e agem, não são mais seus bibelôs, nem em casa nem no trabalho.

Já vi homem de terno partir para o tapa com mulher, por isso digo, disfarce é apenas isso, disfarce, homens não toleram mulheres dizendo o que pensam e agindo de maneira livre.

E não adianta dizer que eu persigo o gênero masculino, já me envolvi muito em discussões com mulheres, qualquer ser humano perde a cabeça, acontece com todos, mas jamais vivi nenhum episódio de violência física com uma mulher, pode ser condicionamento social, mas nunca aconteceu, já com homens me vi obrigada diversas vezes a sair correndo.

Insisto na minha teoria, não existem homens feministas, existem homens que descobriram que fingir ser feminista deixava o caminho para a cama das mulheres mais curto, fingir ser feminista é um ótimo marketing para qualquer homem.

E a moral da história é sempre a mesma, não acreditem em discursos, no fim do dia homens são homens, seja por diferenças biológicas ou imposições sociais, não  importa, são homens e agem como homens e sempre estamos na mira deles, porque eles pensam e sentem que a única maneira de se sentir superior a uma mulher é agredindo-a.

Não faz diferença se meu Romeu é machista e vive em um mundo machista, seu trabalho é machista, sua vida é machista, já o Romeu da minha amiga se diz feminista, fez mestrado na França sobre violência de gênero, dá aulas sobre o assunto e no seu doutorado propõe mudanças significativas para acabar com a violência direcionada a mulher. 

Os dois Romeus são homens e de sangue quente eu não posso garantir nenhum deles, na hora de agir movidos pelo orgulho ou pela cega masculinidade não sei como seria, por tanto para mim estão iguais, nas mesmas, os dois me parecem confiáveis até a página dois e eu não fecharia meus olhos com nenhum deles.

E digo até o sangue ferver porque já vi homens bravos, irritados e nem por isso me bateram ou agrediram. Já tive namorados que perderam a cabeça e não me encostaram a mão nem me agrediram verbalmente, e já cansei de ver coisas indo ao chão e sendo quebradas, não pelas ''histéricas das mulheres'', mas pelos ataques de loucura deles. 
Vi meu irmão arrebentar a porta do banheiro, vi meu pai quebrar coisas e amigos chutando o carro.

Uma vez li que os ataques de vandalismo no mundo estão mais ligados ao exercício da suposta masculinidade do que a um protesto social ou político.

E já escutei isso muitas vezes, que homens precisam ''extravasar sua violência'', me dizem desde pequena que é normal um homem ficar violento e sair quebrando tudo o que encontra pela frente.

Por isso digo que discursos masculinos não servem de nada, é só na hora que a água bate que vamos saber se eles são decentes ou outros desequilibrados, incapazes de conter sua fúria.

Não podemos esquecer que não importa o meio social, nem econômico do qual o homem vem, o machismo no mundo é uniforme, atinge todas as sociedades e a identidade masculina foi cimentada na crença de que mulheres são inferiores, que estão no mundo apenas para gerar prazer aos homens. 

Tudo o que um Romeu diz é lixo astral, não serve de nada, pode ser um lindo discurso sobre o feminismo ou um comentário machista, no fim é apenas um disfarce para conseguir sexo ou as vantagens de uma relacionamento estável, mas no fundo são homens educados como homens em um mundo que odeia as mulheres, por mais que eles tentem no fundo de suas almas, ainda nos olham torto, como se fôssemos as inimigas e estivéssemos aqui para acabar com suas vidas.

Mil posts meus já disseram a mesma coisa, não confiem no discurso, apenas nas ações. Se Romeu perde a cabeça e não avança na mulher nem a ofende verbalmente, então é uma boa pessoa, um homem equilibrado, alguém que vale a pena, mas caso contrário é um homem idiota agindo com um homem idiota.

Mesmo assim sou obrigada a dizer uma coisa: nunca tive um Romeu ou amigo que não tivesse tido um ataque de fúria de maneira imprevisível, jamais vi um homem equilibrado na raiva, alguma coisa acontece, nem que seja um prato indo direto ao chão, mas eles deixam o mundo saber que estão furiosos e alguém ou alguma coisa vai pagar por isso, quem mandou mexer com o ''macho''?

Infelizmente nada disso é previsível no discurso, só na hora que a bomba explode é que podemos saber se Romeu é decente, vai se segurar, ou é outro macho que se diz ferido na sua masculinidade.

E não importa que arrebente a casa inteira, desde que não encoste na mulher nem a ofenda. 
Sempre me disseram que quem ficava louca e quebrava a casa inteira era a mulher, nunca vi isso, mas já vi homem na minha casa quebrando o controle remoto só porque a pilha falhou.

Por isso falo, diante dos discursos dos Romeu a melhor coisa é aquele velho ditado ''para gritos de porcos, ouvidos de carniceiro'', não é para escutar nem acreditar. 

O verbo parece separar meu Romeu do Romeu da minha amiga, mas a única coisa que vai mostrar a diferença é como eles agem debaixo de tensão e sentindo sua masculinidade ser colocada a prova. Até isso acontecer os dois são iguais, um no seu falso feminismo e outro no seu machismo. É tudo a mesma coisa. Os dois são o mesmo lado da moeda.


Iara De Dupont

Um comentário:

Anônimo disse...

Seu Romeu ao menos nao usa máscaras, infelizmente esses homens pós modernos Amorzinho feministo são bem piores que os machistas declarados.
Uma coisa é certa coração das pessoas é terra desconhecida. Espero que esse santo Romeu dela não a decepcione ou mostre as garras e ela seja feliz. E que pare de querer comparar homens, seu romeu é machista mas vocês estão bem, não há momentos de tensão, humilhação ou palavras mal ditas: aproveita e curta pessoas são mais do que rótulos machista x feministo amigo das mulheres. Os caras mais homens no sentido certo da palavra que conheci eram machistas, mas não paguei o jantar, não sai humilhada e foram honestos nos términos. Já os feministos você já conhece minhas região respostas em outros posts
Amo seu blog e mesmo que as pessoas possam te críticos nao ligue, ele abre os olhos das mulheres, seu blog tem um poder de concientizar incrivel e você o faz sem perceber pois escreve naturalmente. Parabéns como leitora de diversos blogs feministas ninguém me toca assim, até pq você e a a Lola são as únicas que não tem aqueles jeito: diva feminista, vocês passam a mensagem ao natural. Só que eu me identifico mais com teu realismo.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...