ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

24 fevereiro 2016

Homens: vão aguentar ouvir o que penso do corpo de vocês?


Divido o machismo em duas partes, externo e interno.
O machismo externo acontece nas ruas, trabalho e transporte público, o machismo interno acontece em casa.
O problema é que nós, mulheres, fomos educadas para relevar e entender nossos namorados e maridos, principalmente em episódios de violência, porque eles são homens e de vez em quando ''perdem a cabeça'', mas mesmo assim nos amam.
Podemos facilmente identificar o machismo externo, sabemos quando estamos sendo agredidas nas ruas, mas em casa ignoramos os sinais e fingimos não ver.

Uma vez eu reclamei do comportamento violento de um namorado e minha avó me disse:

-Ele é homem e eles têm outro jeito de resolver as coisas. E se você ficar cheia de frescura vai acabar solteira, sem marido, porque todos os homens são assim, têm seus momentos de violência.

Então era normal, o problema era eu que não gostava de ser tratada de maneira rude.

Temos sido tão passivas diante da violência que sofremos em casa que acabamos assimilando tudo e não nos damos mais conta como ela continua vindo na nossa direção.

Fiquei sabendo que um amigo vai sair em segunda lua de mel, disse a ele que a ideia era ótima, viajar sempre é uma delícia e ele me respondeu:

-Ah, eu vou curtir muito! É que estamos pensando em ter um bebê, então eu pensei, caramba, deixa eu aproveitar bastante o corpo da minha mulher, porque depois acabou né. Ela não tem uma estria e vai se arrebentar toda e tudo vai cair, melhor curtir agora.

Fiquei tão irritada que pedi a ele que dissesse a mesma coisa na frente da esposa, ele foi lá e disse, a moça riu e confirmou:

-Iara, é verdade, eu sei que para ter um filho o corpo se arrebenta, estou consciente, qual o problema?

Problema nenhum! Fora toda a violência que envolve alguém te dizer que vai aproveitar teu corpo porque depois vai estar arrebentado, não vejo nada demais.

E veio meu amigo responder:

-Olha, sempre que escuto aquela música do Cazuza, Exagerado, lembro de você! Você é assim Iara, exagera tudo! Não tem nada demais, o corpo dela vai estragar, mas depois faz algum tratamento e conserta um pouco.

Tá certo! É quase como um carro! Leva na oficina e deixa a gosto do freguês!

Não disse mais nada porque não espero mais que um homem entenda meu ponto de vista, mas esperei ele sair para perguntar a moça se tinha entendido minha reclamação, por que tolerar a pressão do marido em relação ao corpo, nem foi mãe ainda e o cara já está enchendo o saco dela para fazer tratamentos estéticos?

E ela me disse:

-Entendo teu ponto, mas a vida é assim, me sinto pressionada e não nego, pensa bem, somos jovens, ele é um homem jovem, não o posso obrigar a ficar com uma mulher acabada! Assim que o bebê nascer vou dar uma geral sim, você não entende porque não é casada, mas depois que casamos temos que estar atentas, não dá para relaxar, ele é homem e os homens prezam a estética.

Desse assunto nós, mulheres, não falamos. O nosso discurso sobre pressão que sofremos para estar lindas e magras  está na ponta da língua, mas não inclui o que sofremos em casa, nas mãos do Romeu, costumamos dizer que toda a pressão vem de fora, da rua, da mídia, Romeu é um santo que jamais nos perturba ou pede algo.

Eu já escutei coisas terríveis sobre meu corpo e não fiquei magoada, mas as que foram ditas por Romeu até hoje me rasgam a pele.

Não sei em outros países, mas aqui no Brasil os homens pressionam as mulheres, empurram, humilham e torturam pela aparência física.

Cada vez mais vejo homens jovens mencionando isso em relação as esposas, que precisam melhorar isso ou aquilo. Usam aqueles argumentos batidos que a mulher vai se sentir melhor se emagrecer e que existem muitos tratamentos estéticos acessíveis.

E não adianta colocar a mão na cintura e dizer que não se importa com o que o Romeu fala, todas nos importamos, fomos doutrinadas para levar em conta cada suspiro deles, como se fossem o sol que esquenta o nosso planeta.

Em relação a minha aparência não me considero bem resolvida, mas consigo levar a situação de maneira tranquila, desde que esteja sozinha, se aparece um Romeu todos os meus demônios acordam e começo a me sentir péssima com meu corpo.

Não cheguei ainda a fase de mandar à merda e ser segura, ainda navego no medo e na dúvida.

Há pouco tempo voltei a falar com um ex-Romeu e quando pensamos em um encontro, fiquei insegura. Ele entrou para o clube dos sarados, malhados, dos que ficam o dia inteiro na academia, eu continuo no clube dos filmes e da pizza. Na hora surtei, pensei que teria que emagrecer, fiquei meio obcecada com isso, mas graças a Deus as coisas acabaram indo para outro lugar e não nos encontramos.

E digo graças a Deus porque não estou em uma fase plena e satisfeita com meu corpo, eu acabaria me exigindo demais, por mais que eu diga que não me importo, ainda tenho medo do julgamento dos homens que gosto, porque conheço a dor das coisas horríveis que eles são capazes de dizer, no meio da noite, depois de um momento incrível. Quando um homem que eu estou apaixonada começa a mencionar alguma coisa sobre meu corpo, minha alma se congela, fruto de experiências passadas, onde eu não soube colocar um freio nessa violência e fiquei com as palavras deles marcadas a ferro no meu espírito.

Mulheres nos sentimos assim, mal com nosso corpo porque estamos expostas as criticas constantes dos Romeus e não reagimos, ficamos quietas e eles pisam mais ainda.

Posso fazer uma lista de tudo o que minhas amigas odeiam no seu corpo, mas jamais escutei uma falar mal do corpo do namorado. Nunca. Nunca. Que incrível! Nunca.

Tenho um amigo que reclama dos seios pequenos da namorada, vive implorando para que ela coloque silicone.  Nunca a escutei falar sobre o tamanho do pênis dele.

Jamais ouvi uma mulher reclamar que seu Romeu tem barriga, hálito ruim, careca, pênis pequeno, pele seca, excesso de pelos, cheiro ruim, nunca escutei uma palavra.
Já dos meus amigos sei quem reclama da falta de bunda, peito da namorada ou excesso de peso.

E digo sem pena, perturbar uma mulher por sua aparência me parece um ato cruel, mas perturbá-la pela sua aparência logo depois dela parir me parece caso de cadeia, homem que faz isso deveria ser colocado em uma solitária durante décadas.

Quer dizer que a mulher pariu, está sensível, cuidando um bebê e tem que aguentar a pressão do marido para voltar a forma?

Escuto isso há anos, mas só recentemente comecei a perceber a violência por detrás de cada frase masculina.

Lembro de um amigo que tinha acabado de ser pai, perguntei como sua mulher estava e ele respondeu:

-Tudo bem, está ótima, o bebê é uma graça. Mas ela ficou com corpo de mãe, paciência.

O que é corpo de mãe?

-Nunca teve barriga e agora está com uma pochete, fora os seios que vão cair.

Mas não é?

Somos pressionadas sem dó por esses Romeus que tanto amamos e permitimos que comentem sobre nosso corpo como se fôssemos sua boneca inflável.

Já não aguento mais homens desafiando as mulheres grávidas  dizendo: ''quero ver voltar a forma depois''.

É? E eu quero ver você ser homem e deixar de ser um bosta!

Não podemos permitir isso, até porque só quem já passou sabe como um comentário sobre nosso corpo machuca. Eu não consigo me imaginar engravidando, parindo e depois de tudo escutar de Romeu que ''fiquei com corpo de mãe'', no sentido ruim da frase.

Mas se é mãe tem que ter que corpo de mãe ou de Miss?

Homens, parem de encher o saco! Vocês não são perfeitos, também tem barriga de pai e empenho sexual de bisavô, então não perturbem. Também não tem esse corpo perfeito e não são deuses gregos.

E olha, o que dizer a uma mulher que esta grávida e percebe que seu Romeu é um merda ao fazer esses comentários?
Não sei, já fiquei com pena da moça.

Volto ao mesmo, pedir alguma coisa aos homens é como querer discutir filosofia com um jacaré, não vai dar certo.
Somos nós que temos que nos posicionar e comprar briga, não permitir nenhum comentário abusivo, nem pressão para emagrecer ou voltar a forma depois de parir.

A situação é mais crítica do que parece, segundo alguns sites que fazem pesquisa, tirar a roupa na frente do parceiro é o terceiro medo das mulheres, só perde para o medo de ser sequestrada e estuprada.

Isso é resultado de séculos de dominação, onde nosso corpo era considerado propriedade dos homens e eles podiam palpitar à vontade.

Há muitos anos uma amiga me disse uma frase que não entendi, mas hoje percebo o que foi dito, ela disse:

-Cansei de andar nua pela casa, mas depois que meu bebê nasceu nunca mais! Deixa o pai dele pensando que continuo maravilhosa, se visse a realidade ia cair duro.

Que realidade? Estrias e um pouco de peso? Essa é a dura realidade? Sim, e daí? Romeu tem o coração fraco? Não pode aguentar ver umas estrias e uma barriga? Pode ter um colapso mental ao se deparar com isso? Precisa de acompanhamento psiquiátrico para poder lidar com as estrias da esposa?

Nossa!

É triste viver assim, cansativo e perigoso, porque nos leva a todas a um estado silencioso, onde ficamos deprimidas e nos escondemos do mundo.

E são anos para levantar a cabeça, eu ainda não levantei, me parece mais viável na minha vida me jogar de uma ponte do que tirar a roupa na frente de um homem.

Não nego que ainda não transcendi essa parte da minha vida, fico insegura nua diante de um Romeu, não ligo nem as luzes. Mas foram tantos anos de criticas ao meu corpo, feitas pelos homens que amei, que não consigo ainda superar isso.

E acho miserável perturbar uma mulher que acabou de parir, me parece condenável fazer isso, poxa, ela acabou de passar por um processo que envolve todos os desafios físicos e psicológicos e o babaca do Romeu já está reclamando dos seios?

Gostaria de dizer que os homens são ótimos, mas não é verdade, a maioria é um bando de babacas insensíveis que não sabem tratar um ser humano, nem é questão de gênero, eles não sabem lidar com nada que não seja o próprio pênis.

E a pior parte é que nós, mulheres, nos deixamos torturar por esses idiotas, como se eles tivessem algum valor.
Não tem, que fique claro, não tem. Homem que detona a aparência da mulher é um coitado, um merda.

E uma vez Romeu me disse ''você só quer elogios né''
É! Só quero elogios mesmo! Meus tempos de aguentar agressões grátis se acabaram! Meus dias de aguentar homem dando opinião negativa sobre meu corpo já passaram! Já paguei todos meus pecados, todas as partes do meu corpo já foram barbaramente criticadas, não sobrou nenhuma, já deu!

Descobri isso tarde demais! Eu fico insegura com meu corpo, não deixo a luz ligada, nem circulo pelada pelo quarto, mas essa é uma questão que eu tenho que resolver, mas tolerar agressões masculinas nunca mais, não aceito, chega de tanta dor, porque o que foi dito me marcou demais e causou um enorme sofrimento, ainda choro quando lembro.

E dizem os budistas ''se não tem nada de bom para falar, fique quieto''.
Eu diria aos meus Romeus ''se não vai elogiar, fique quieto''.

Porque se abrir a boca também vai escutar! Também aprendi a ser má!

Pressão de homem nunca mais! Aquela frase doce, dita no meio do nada ''ah, Iarinha, você podia melhorar um pouco, malhar'', não aceito mais! Pode calar a boca ou vai ouvir que tem o pau pequeno!

Vocês querem mulher sem barriga, sem estrias e com uma bunda dura e que possa parir sem mudar fisicamente?
Pois eu quero homens com barriga tanquinho, um rosto lindo, um cabelo perfeito e pernas grossas! Dá pra ser?
Não, porque ninguém é perfeito. E se não gostam de corpo de mãe eu também não gosto de corpo de pai, aquela barriga de cerveja e homem que não se depila!

Chega deles dizendo do que não gostam no nosso corpo, está na hora de ficarem quietos ou começarem a  escutar umas verdades, principalmente aquelas que relevamos, sobre sua higiene pessoal.

E uma pessoa uma vez me disse ''sal é sal, açúcar é açúcar, parecem a mesma coisa, mas não são''.

É isso que temos que entender, violência é violência, e ponto. É violência sim dar palpites sobre o corpo da mulher, é cruel, agressivo e não temos que tolerar nada disso, não é um gesto de amor nem de cuidado, é abuso verbal, pode parecer amor, mas é um tapa na cara bem dado.

Em uma terapia há uns anos aprendi um truque, é bem simples. Se Romeu me diz algo e aquilo me machuca por dentro, é abuso verbal, se sinto que aquilo não deveria ter sido dito é ofensa, se não causa nenhuma dor, então tudo bem.

E nós, mulheres, sabemos como é dilacerante escutar comentários negativos sobre o nosso corpo, principalmente quando vem do homem que amamos.

E sei que não é fácil enfrentar o homem que amamos, parece que ficamos presas ali e não conseguimos responder. E quando dizemos o que pensamos acaba em uma discussão, eles tentam dizer que só falaram para o nosso ''bem'', mas sabemos no fundo que não é assim.

É uma situação complexa, ninguém quer brigar com seu amor, mas no alto da minha experiência eu só posso dizer: vale a pena cada segundo dessa briga comprada, porque o nosso corpo nos pertence e não podemos aceitar agressões de ninguém, principalmente em momentos onde estamos fragilizadas, como as que acabam de ser mães ou estão grávidas.

E homens não sabem, mas nós, mulheres, temos espelho em casa, vemos as estrias, a barriga flácida e o mundo já nos faz sentir miseráveis demais em relação a nossa aparência, não precisamos que ninguém nos avise a respeito da nossa aparência.

Aprendi tarde que o melhor argumento para essa briga é o famoso ''tchau'', não adianta ficar com um homem que não nos respeita e despreza nosso corpo.

Novamente volto ao mesmo ponto, não se pode esperar um comportamento decente de um homem em relação ao corpo de uma mulher, somos nós que temos que parar esse trem e não tolerar nenhum comentário, nem ficar mendigando um elogio.

E o dia que as mulheres aprenderem a devolver os tapas verbais que recebem dos Romeus o mundo vai mudar, porque eles também são inseguros e vão odiar escutar o que realmente pensamos de seus corpos.
Em teoria sou contra a guerra dos sexos, me parece perda de tempo, mas demorei para entender que se me mandam chumbo, eu tenho mais é que devolver, não tenho mais que engolir em seco e chorar sozinha durante anos.

E todos esses homens que pressionam a mulher, a torturam, grávida ou não, vocês são ridículos e patéticos e pena que a mulher não dá um chute no saco de vocês e vai embora, a maioria fica, é o que nos ensinaram, a ficar quietas e aguentar Romeu reclamando do nosso corpo.

É isso que nos ensinaram, mas não é isso que estamos obrigadas a fazer. E digo, toda essa dor, falo pela minha experiência, não leva a nada, não tem nada de positivo em ser humilhada pelo Romeu, vai arder durante anos.

Para mim ficou bem claro uma coisa, eu ainda lido com meus demônios do passado, com o que me foi dito e feriu, tudo bem, lido com isso, preço que pago pela minha ignorância, ainda mantenho a luz apagada e não ando pelada pela casa, faço tudo isso, consequência de um passado que eu prefiro esquecer, mas daqui pra frente as coisas já são diferentes, nunca mais vou escutar nada de um homem e ficar quieta, nem que seja o Papa, porque entendo como mulher que ser agredida é uma coisa inaceitável, mas ficar quieta é pior ainda. Temos que colocar um basta nessa situação e reagir, chega de tanta violência disfarçada de amor e tantos tapas fantasiados de beijos.

Iara De Dupont

5 comentários:

Vagner Maciel disse...

Ótima perspectiva.
Que aprendam a respeitar as mulheres que os escolheram para ser pai, serem parceiros da (em regra) maior empreitada de uma vida. Esse respeito não virá pelas atitudes de condescendência das mulheres envolvidas. Se quer ser pai tem que aceitar todas as consequências. Não gosta de defeitos? Que procure uma estátua de mármore.
Fico imaginando o que seria em um futuro não muito distante digamos 10 anos. As mudanças são inventáveis, o tempo não vai parar sendo ela mãe ou não, e quando mudar quais ataques sofrerá? Se já os sofre na mera expectativa.

Tadeu Diniz disse...

Você disse a maior verdade, essa moça da foto, pra mim tem o corpo perfeito, normalmente me interesso por mulheres desse porte físico, elas recebem tantas bombas em relação ao corpo que se faço um elogio elas se sentem afrontadas ou algo do tipo. Uma pena, vocês são lindas e são massacradas pelos idiotas, eu não entendo como continuam um relacionamento assim.

Cristina disse...

Nessas horas eu só consigo levantar as mãos pro céu e agradecer porque meus pais me ensinaram que não se deve falar sobre a aparência de ninguém a menos que sua opinião seja requisitada - e mesmo assim você deve prestar a máxima atenção em como fala e não dar sua opinião de forma mal educada. Chegar pra uma estranha na internet e dizer que ela é uma gorda nojenta que deve urgentemente perder peso? Mesmo quando eu ainda sofria lavagens cerebrais a favor do padrão de beleza isso seria impensável. Me pergunto o que os pais de hoje em dia andam ensinando aos filhos...

Alê Santos disse...

Gostei do texto. Mas é uma pena que em quase todo ele se continuou falando do corpo da mulher.

Anônimo disse...

Muito Tudo, amei......esse sempre foi minha atitude, de andar nua sim,mas também após os filhos eu mesma , passei a me esconder de mim....Hoje aos 4.8 esse texto me resgatou e me trouxe a lição de que meu Corpo trás as marcas de uma vida vivida em sua plenitude e muito ainda tem pela frente...OBRIGADA!

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...