ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

08 janeiro 2016

Antes do sexo vai ter que rolar essa conversa........


Uma vez eu disse que achava o feminismo deprimente e uma moça feminista me tirou do seu Facebook. Mas a verdade para mim é essa, é deprimente. Me vejo aqui, em pleno século XXI assistindo a NASA se esforçando para colonizar Marte, um planeta que está a seis meses de viagem e eu sou obrigada a dizer a um homem que ele não pode encostar em mim se eu não quiser. Tem coisa mais deprimente do que ter que dizer a um ser humano seus limites com outros? Eu acho o fim do mundo e me deprime ver como avançamos na ciência e continuamos atrasados no comportamento e ética.

Para mim ser feminista é apenas a confirmação de que a humanidade falhou no mais básico e principal, além do óbvio, a noção de igualdade. Eu sou feminista e não foi questão de escolha, foi de sobrevivência, ou eu entendia o modo como agia o mundo machista em minha vida e tentava mudar isso, ou acabaria sendo engolida. Mas me sinto da mesma maneira em relação aos testes com animais, sou contra, mas para mim é apenas a confirmação da maldade, da infinita crueldade humana e ser contra testes me deprime, porque estou apenas comprovando que o ser humano é o ser mais baixo e maldito que existe neste planeta.

Lutar por uma coisa tão óbvia como a igualdade me deixa com a sensação de mundo perdido, ainda vivemos na era das trevas e nada parece ter mudado, mas ao mesmo tempo sei que é vital lutar por isso, caso contrário não vamos sobreviver.

E de vez em quando me surpreendem outros lados da questão, são coisas que começaram a ser acrescentadas graças a que nós, mulheres, estamos conscientes de que somos seres individuais, e não objetos.

Eu conversava com duas conhecidas , que também são feministas e uma amiga, e uma delas me contou sobre uma viagem de fim de ano, onde conheceu um Romeu muito agradável. Estava toda feliz me contando quando de repente me disse:

-Ah, eu só me senti meio constrangida quando tive que ter aquela conversa com ele sabe? Nunca tinha feito isso, assim de chamar um homem na chincha e dizer aquilo, mas eu ficava me repetindo mentalmente ''você precisa fazer isso''.

As outras duas moças concordaram na hora, disseram que era embaraçoso, porém necessário e uma delas ainda disse:
-A culpa é deles, se somos obrigadas a falar sobre isso é porque eles não são de confiança, foram eles que cavaram essa situação.

Naquele momento me vi obrigada a perguntar sobre o que estavam falando, porque não entendi. Elas me olharam como se eu tivesse feito uma pergunta fora do assunto, se olharam entre elas e uma respondeu:

-Bom, você sabe, se é sexo casual, você precisa chamar o rapaz em um canto e conversar um pouco, precisa saber se vocês dois têm a mesma ideia do que é ''sexo consensual'' e combinar palavras de segurança, se mandou parar, pare. 

É?

-É, e nem precisa ser sexo casual, tem que ser até com teu namorado, a mulher fica vulnerável no sexo, eles sempre vão ter mais força física que nos, é importante que os dois entendam perfeitamente o que é consensual, porque a maioria dos estupros ocorre assim. Nunca te aconteceu nada com um Romeu?

Não, assim, na força não, mas claro que fui levada, enganada, iludida, coagida e chantageada para fazer coisas na cama, isso aconteceu porque eu não tinha ideia de como as coisas funcionavam e caía naquela conversa de ''namorados fazem isso''. Me arrependo, mas nunca tive sexo com um homem violento fisicamente, apenas verbalmente, o que me parece em alguns pontos a mesma coisa.

-Pois é, você é do clube das moças de sorte, mas a maioria é sexualmente agredida na cama, principalmente em relação ao sexo anal, os homens não perguntam e depois dizem ''aguenta um pouco que já estou acabando''. Isso é estupro.

Então o ideal é conversar com o homem antes, saber se ele entende teus limites, mas e se ele for um manipulador, mentir ali na conversa e depois estuprar na cama?

-Riscos sempre se correm, mas é importante falar sobre isso, assim pelo menos você percebe a atitude dele em relação ao assunto.

As duas moças foram embora e fiquei sozinha com minha amiga, assim que vi elas cruzarem a porta eu disse:

Caralho! Eu nunca tinha pensado nisso, nem conversei com nenhum homem a respeito. Mas olha só, pensando bem é constrangedor né! Você está ali, pegando fogo, já teve química com o Romeu e tem que chamar em um canto e dizer ''estamos na mesma página sobre o que é estupro?''. Nossa, e ainda acredito que tem homens que vai ser melhor desenhar! Acho que nunca mais eu vou transar com ninguém, já fiquei com medo!

-É uma merda mesmo e nem todos os homens levam na boa. Meu namorado não levou, tentei ser leve, mas disse que precisava conversar, falei e ele surtou, subiu paredes e começou a dizer que eu nem tinha o beijado e já o chamava de estuprador, mas ele entendeu errado, ficou nervoso, enfim, acabou a noite, elas não te disseram isso, mas essa conversa esfria todo mundo.

Nossa, quando tiver que fazer isso, não sei como vai ser, porque eu não consigo ser sutil, vou logo dizendo tudo e acho que isso assusta!

-Mas pensa bem, se você encontrasse o teu Romeu agora, você já esteve com ele, então talvez não precise dessa conversa....

Sim, eu estive com ele quando o Romeu tinha dezoito anos e não sabia fazer nada, hoje ele tem quarenta anos e eu não entraria na mesma cama do que ele sem conversar a respeito, mas com o pouco que o conheço posso te garantir, iria dar merda. Ele ficaria profundamente ofendido.

-Dá merda mesmo, homem safado sabe dar a volta e continua no sexo, mas os homens decentes ficam ofendidos e perdidos, quebra o clima, porque o homem fica ali pensando que não está agradando e a mulher está com medo dele. Mas ao mesmo tempo não dá para ficar sem essa conversa, ela é um ponto fundamental, é uma questão de segurança, até porque os homens se defendem dizendo que a mulher não avisou que não queria isso ou aquilo, então é melhor falar claro desde o começo. 
E com minha irmã foi pior, o namorado começou a chamá-la de louca, paranoica, a dizer que estava enlouquecendo com o feminismo e que era apenas sexo, não era estupro, enfim, deu tudo errado, mas pelo menos o namoro acabou ali.

Meu Deus do céu! A que ponto chegou a violência com a mulher que ela precisa conversar com o homem antes do sexo para ter certeza de que os dois entendem o que é estupro. Que merda de mundo é esse! Gente, eu quero ir pra Marte!

Se amanhã eu tiver uma filha tenho que dizer isso a ela, por favor, converse com o homem antes e tenha certeza de que ele entendeu que se você não quer fazer alguma coisa, isso não será feito!

Ah, essas conversas sobre química e ''use camisinha'' são primárias, o mais importante é ter certeza de que não será estuprada pelo seu namorado.

Jesus que me ampare! Para mim ler sobre tanta violência tem sido o melhor método anticonceptivo que já usei, é só ler e perco a vontade na hora de estar com um homem.

E nem adianta me dizer ''mas Iara, não são todos iguais''. É? E vai se arriscar à toa para descobrir os ''diferentes''? 
Cansei de escutar ''nem todos os homens são estupradores''. É fato, mas a maioria deles nem sabe que estuprou, pensa que está agindo como se age diante de uma mulher. E o número de estupros ocorridos dentro de casa é tão grande que não se compara com os que acontecem em outros lugares.

Não sei quando vai acabar a lista, para mim muitas coisas me parecem constrangedoras no sexo, demorei para assimilar e ainda sou o que dizem ''uma retardada social e romântica encubada'', isso porque psicanalistas garantem que mulheres que não gostam de sexo casual são conservadoras e incubadas, pois é, sou uma delas, não gosto e fico irritada com essa definição, porque acredito que minhas escolhas sexuais não devem ser motivo de etiquetas humilhantes, se eu quiser sair fazendo sexo com diferentes homens é meu problema, mas também é meu problema se eu só gosto de fazer sexo com homens que eu me sinta atraída em todos os aspectos. É um atraso de vida dizer que uma mulher que tem muitas relações é uma vadia, mas também é um atraso de vida dizer que uma mulher que não quer se relacionar com todos tem ''problemas''. Caramba, nos deixem em paz! Quem quiser dar, que dê, eu não quero dar para desconhecidos e não quero que me encham o saco!

Já tem aquela conversa de conhecer a pessoa, usar camisinha e deixar rolar, agora tem que chamar no canto e perguntar se ele entende que não pode te forçar a nada.

Posso ser sincera? Isso me deprime. Mas também já registrei e penso que na próxima vez vou ter que fazer isso, não sei como, mas vou chamar e ter certeza de que o Romeu entende o que é ''consensual''.

E escrever sobre essa conversa ferve a minha misandria, poxa, homens, caramba, vai ser sempre assim? Vocês nunca vão aprender a respeitar uma mulher? Que coisa mais penosa ter que dizer a um homem para não estuprar uma mulher! É vergonhoso isso para eles, não sei como conseguem conviver com essa realidade que eles criam.

Nossa, tanta coisa boa no sexo, tantas maravilhas na química, tantas noites eternas, meu Deus, tanta coisa incrível, tantos momentos e agora eu me vejo obrigada a guardar essa conversa e usá-la na próxima vez.

E mesmo sem estar lá ainda, já sinto um misto de raiva com vergonha, porque falar sobre esse assunto em um momento que deveria ser descontraído, me parece o apocalipse.

Mas o que eu posso fazer? Ficar quieta e me arriscar a descobrir que eu e o Romeu não estamos na mesma página sobre violência sexual? 

Mandei um email a moça e pedi que me mande um texto sobre essa conversa, assim eu posso decorar, porque se for sair da minha boca no dia sei que vou extrapolar, porque violência sexual é um assunto que me tira da linha.

E minha amiga ainda disse:

-Nunca mais, nunca mais, fique sozinha com um homem sem ter essa conversa, e tenha sempre para onde correr, uma saída próxima, não esquece do truque da chave, deixa perto um chaveiro, daqueles que parece inocentes, cheio de bugigangas, mas se alguma coisa acontecer você mete a chave no pescoço do cara e sai correndo.

É, tem essa. Quando era mais garota me diziam para colocar velas, criar um clima, uma boa música. Hoje graças a consciência que adquirimos percebemos como os homens têm sido agressivos e violentos com as mulheres e o sexo pode ser um pesadelo. É necessário esquecer as velas e pensar em um modo de sair dali, evitar a casa de Romeu, porque é território dele e você não sabe onde ele guarda as coisas ou o que pode colocar na sua bebida. E manter chaves por perto, em caso de ataque, ou uma garrafa que possa ser quebrada na cabeça dele, se o Romeu te agredir. E também é preciso ter essa conversa com ele antes, só para checar. 
E não estou falando sobre cuidados que devemos ter com homens desconhecidos no meio da rua de madrugada, estou falando dos Romeus, aqueles homens que gostamos, nos apaixonamos e queremos conhecer!

É, sou obrigada a dizer, o sexo não me parece tão interessante como antes, pelo contrário, me parece mais fácil cruzar a fronteira da Síria à pé do que transar com um desconhecido.

E o que me dói tanto neste assunto? Que sou mulher e sei do fundo da minha alma que essas moças estão certas, por já ter vivido episódios com namorados, sei que elas não exageram, nem estão transformando o sexo em uma coisa ruim, pelo contrário, estão abrindo nossos olhos para que possamos perceber como temos sido agredidas e pensávamos que era amor, acreditávamos que ceder em algumas coisas na cama era um gesto de namorados, não percebíamos que era violência.

E quem se atreve nos dias de hoje usar a expressão ''fazer o amor''? . Já foi tirada do dicionário, não deve existir mais, o mais próximo seria dizer ''fazer a guerra''.

Ah, mas vamos ser otimistas, existem milhões de casais no mundo que são felizes, têm uma vida sexual ótima e sabe por quê? Porque o homem respeita a mulher. Apenas por isso, porque existem no mundo alguns poucos homens que respeitam suas mulheres.
É tão claro que me envergonho quando percebo que a maioria dos homens não faz isso.

Quando escrevo sobre esse assunto me surpreendo como a força da natureza, porque cada um nasce um jeito e eu não entendo como sou hétero ainda, depois de tantos horrores. 

E tenho vergonha dos homens, do seu comportamento, de ver como destroem as melhores coisas do mundo, como transformaram sexo em uma questão de ''segurança máxima'', como queimaram tantas possibilidades de viver em um mundo melhor.

É lamentável a postura dos homens no planeta e nem adianta reclamar da minha misandria, às vezes acho que nem é misandria, é espanto diante de tantas barbaridades que eles cometem.

Que nojo perceber que apenas alguns homens honram suas companheiras, o resto se comporta como monstros soltos no meio da rua.

Eu nunca pensei em procurar ajuda para entender como é possível ainda ser hétero, mas pelo jeito vou precisar de acompanhamento psicológico, porque eu mesma não acredito que ainda sou hétero. Talvez um dia, se eu estiver com um Romeu e tiver que começar essa conversa sobre o que é ''consensual na cama'' eu caía na real e vá embora, vou sumir no mundo, porque ainda me parece inacreditável uma mulher olhar nos olhos de alguém que gosta e ter que dizer ''por favor, não me estupre''. 


Iara De Dupont

4 comentários:

Alexandra disse...

Nossa...eu nunca lidei com algo parecido. Na verdade os homens ainda não diferenciam as coisas...Não aceitam q a mulher faz do corpo dela o que quiser.
Mas uma coisa me intrigou...um namorado não seria desrespeitoso apenas na cama. Ele certamente é assim full time mas ninguém tinha enxergado.
Eu realmente não sei o que dizer mas o que vejo por aí é que apesar de todo o avanço qie obtemos, temos que estar cada vez mais atenta aos sinais que eles dão. Mesmo o mais cínico dos Romeus deixa escapar seu lado canastrão em algum momento na hora da conquista.

Cristina disse...

Verdade, muito triste isso de em pleno século 21 ainda termos que pegar um homem adulto pela mãozinha e explicar que não pode obrigar a mulher a fazer nada na cama, é estupro - e depois ainda ter que aturar birra e histeria porque Romeu não está com uma faca no seu pescoço num beco escuro, então não é estupro na cabeça oca dele. E ninguém devia mesmo botar rótulos na sexualidade dos outros. Fulana quer transar com todo mundo? Ora, que transe. Cicrana só quer transar com quem gosta? Que transe, oras. Por que as pessoas insistem em colocar rótulos idiotas e ridicularizar o jeito e as escolhas dos outros? É falta do que fazer? Arranja um emprego ou volta pra escola que passa.

Agora, Iara, acho que a vela ainda tá valendo, sabe? Pega umas velas bem compridas de queima lenta, acende, deixa do lado da cama e se o cara aprontar, pega uma e taca com tudo no olho dele. Ou no saco, no pescoço, no rabo, no nariz, o que estiver mais fácil. Garantido que ele vai perder a vontade de estuprar na hora.

Anônimo disse...

Eu tive varias conversas dessa e sim deprimi.

Anônimo disse...

e qdo as mulheres naum gstm de sexo at all? aih a coisa eh pior ainda. o nivel desce e ultrapassa o vol morto do chorume.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...