ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

17 dezembro 2015

Tenta outro argumento (esse não dá mais)


No meio desse rolo do ex-Romeu que voltou e não voltou, aparece e desaparece de minha vida, tenho escutado algumas opiniões. 
E continuo achando interessante que todas se relacionem a mim, não a ele. Foi ele quem me achou no Facebook, me adicionou e puxou conversa. Fui eu que caí como uma pata e entrei no jogo. Então somos duas pessoas ali, mas só eu pareço receber a culpa do desenrolar de uma situação que não existe.

Ele mora em outro país, namora outra e não insinuou nada, não sei nem o que pensou ou deixou de pensar sobre me encontrar, quem se encantou com ele novamente fui eu, mas parece ser que meus amigos escutam apenas a parte que me toca, a minha responsabilidade no que está acontecendo.

Lá veio minha amiga, a super esotérica, explicar o que aconteceu, porque o rapaz deu para brincar e aparece e desaparece, sem revelar intenções. Minha amiga disse:

-A gente já tinha conversado sobre teu jeito né, Iara?

É, milhões de vezes.

-E deu em nada, porque você fez a mesma besteira do anterior.

É, fiz.

-Então não chora. 

Mas eu não estou chorando. 

-Está reclamando.

Mas faço isso direto! Nem preciso de Romeu.

-Não vou falar mais nada, você sempre erra no mesmo, não muda teu jeito e continua dando com os burros na água!

Que jeito é esse?

-Deixa eu adivinhar, Romeu te procurou e você foi cálida e amorosa! Foi logo se jogando na conversa dele, ficou derretida.

Né!

-Isso assusta!

Que assuste! Sou assim desde que nasci, quando gosto de uma pessoa, eu gosto, recebo sempre de braços abertos, atravesso a rua para cumprimentar, sou assim mesmo. E se não gosto ignoro, nem olho na cara. 
E fui assim com Romeu, gosto dele, gostei muito dele, não me aguentei de felicidade quando o vi no skype e não escondi isso, não fiz jogo nem dei uma de egípcia, reagi como reage uma pessoa que gosta.
E reclamar todo mundo reclama, se eu ignoro alguém me dizem ''para com isso Iara'', se eu atravesso a sala para cumprimentar me dizem ''para com isso Iara''. Sempre é a mesma coisa, como se não gostar ou gostar de alguém fosse proibido!

A vida inteira cresci assim, vigiada pelo meu comportamento, sempre me diziam ''assim não Iara'', ''assim não''. Se eu ficava quieta era por má educação, se eu falasse também. Tudo era controlado, monitorado para que eu me comportasse como uma mocinha.

Quando tinha cinco anos me apaixonei pelo filho da vizinha, eu não lembro disso, mas minha mãe lembra. Quando íamos nos mudar minha mãe foi até lá para se despedir, a vizinha veio toda gentil e eu disse a ela:

-Vou me mudar, mas depois volto pelo seu filho para me casar com ele.

E ela respondeu que daria o recado e quis saber se eu tinha alguma coisa a dizer para sua filha, a irmã do menino e eu respondi:

-Não, dela eu não gosto, é chata.

Eu escutei um monte de minha mãe, levei bronca por ter dito que queria me casar com o menino e bronca por falar que sua irmã era chata,  mas isso nem foi o pior, anos depois eu encontrei a vizinha e seu filho, e ela fez questão de contar essa história na frente dele.

Minha avó se irritava com esse meu jeito de expressar meus amores e ódios, primeiro me dizia que era ''feio'' gostar tanto, e dizia que era ''besta'' odiar, porque guerra declarada não mata soldados. Minha mãe sempre diz ''a Iara é exagerada quanto gosta e quando odeia''.

Com o tempo aprendi a disfarçar minha má vontade com as pessoas que não gosto, fiquei fina, mas não consigo mudar quando gosto de alguém, continuo sendo expressiva e abrindo meus braços, como se fosse o último dia na terra.

E isso não é apenas para Romeus, faço isso com amigos e amigas, pessoas que respeito e admiro. E não aguento mais escutar ''tá bom que você gosta, mas também não precisa deixar tão claro''.

Por quê não? Paga imposto?

E minha amiga insiste:

-Mas ele pode ter entendido errado e se assustou, sei lá, de repente te procurou sem ter muita ideia, te acha e você aparece toda expressiva, mostrando que gosta e sempre gostou? Deve ter tirado o chão do cara. As pessoas não se expressam assim, são mais reservadas, já te disse que você é muito cálida, tem que descer a temperatura. 

Pois é, mas então vamos a um problema. Eu simplesmente estou pouco me FODENDO. É, isso aconteceu, o mundo  girou, e eu adoro minha mãe e minha avó, mas não vou mudar meu jeito de gostar, nem de dizer as coisas. E não é teimosia, é meu jeito e já me acostumei. Se Romeu se assustou eu diria que é problema dele, fiz minha parte, deixei claro que gosto demais, que gostei muito e ainda penso continuar gostando. Demostrei que não esqueci os bons momentos e dei muita risada ao escutar as lembranças.

Ah, deveria ter feito o que? Dito ''nossa, legal te ver, que ótimo''? Tédio, tédio, tédio, não sou eu, não sou assim. 

Falei muitas coisas e não me arrependo, fui muitas coisas e não apago nada, senti e sinto muitas emoções e não nego.

As pessoas me cansaram com suas críticas e limites, estou exausta de ser vigiada na minha maneira de querer ou de odiar. 
E que se dane se Romeu pensou mal e não é por defendê-lo, mas não acredito que isso o tenha afetado, me conhece há um bom tempo e sabe que sempre fui assim, eu tive épocas de silêncio, depois de tantas pancadas que levei, mas quem estava por perto continuava vendo a minha maneira de querer e sempre foi a mesma coisa, sempre fui cálida com quem amo.

E minha amiga termina dizendo:

-Mas depois chora quando ele some né!

É, choro mesmo, me desespero, fico batendo a cabeça na parede e dizendo ''por quê Deus, por quê Deus?'', arrasto corrente, me jogo nos braços da Virgem de Guadalupe e peço ajuda. Mas nada disso anula o fato dele ter seus motivos e meu jeito de querer não está incluído neles, não é possível que eu continue escrevendo a mesma coisa, as pessoas ficam sabendo da história e já vem me dizer ''que merda você fez Iara?''. Nenhuma, não fiz merda nenhuma.
Meu jeito de ser, de viver, não é mais uma merda como tanto quiseram me convencer, meu jeito de amar não é errado, minha maneira de me expressar não é inadequada, nem eu sou sempre a incorreta. Sempre me dizem que sou descompensada e exagerada, mas não é exagero vigiar uma mulher nem determinar a maneira dela se comportar, isso pode, tudo bem.

Agradeço o apoio das amigas, mas peço que por favor, não sejam tão machistas, ou melhor, não sejam machistas e abram os olhos, se Romeu está ou não na minha vida deve ter suas razões, não é um problema da minha maneira de gostar. 
Porque parece que se uma mulher permite, todos detonam até sua maneira de pentear o cabelo, tudo ali é carimbado como impróprio.

E a vida é tão irônica que um dia eu chorei muito, sofri demais porque me achava errada, pensei que nem para gostar de alguém eu servia, sempre estava fora de lugar. Mas já superei isso e me sinto melhor e hoje eu choro, me descabelo pelo Romeu, bato a cabeça na parede por ele, sofro, me jogo no chão, grito, berro, mas faço isso pelo o que sinto e sei que não tem nada de errado comigo, é assim que eu sou, me aceito do meu jeito e amo da maneira que quiser. O errado, o feio, inadequado,  impróprio, o equivocado é uma sociedade querendo dizer as mulheres como gostar de alguém, querendo vigiar e limitar uma mulher, condenando sua expressão. É isso que não tolero mais, que tentem me colocar dentro da caixa do gênero, de como devem se comportar as mulheres. Tudo é desenhado para agradar aos homens e incentivar o comportamento que parece adequado a eles, não podemos assustá-los nem demonstrar afeto de maneira cálida, porque isso não é de bom tom.

Eu digo ''foda-se'' mil vezes. Eu falo mesmo, demostro, dou risada e se me perguntam falo de novo.

Ah, mas você assustou o Romeu! Tadinho né! Já assustei tantos que me considero profissional e não me abala mais nada em relação a isso, aprendi com o tempo que vai embora quem quer ir e fica quem quer ficar e o meu jeito de amar não tem nada a ver com isso.

E ainda tenho a consciência tranquila, pelo menos sei se se o mundo acabar amanhã Romeu vai morrer sabendo que o recebi de volta na minha vida com o mesmo amor que entrou nela, não finge ser o que não sou, não escondi sentimentos, nem dei uma de fria e elegante.

E mantenho minha promessa feita ao pé da cruz, posso perder Romeu e Romeus, tudo bem, mas nunca mais vou mudar meu jeito nem aceitar que me digam como devo amar alguém. Nunca matei ninguém por excesso de amor, nem morri.

E  nem quero entrar nas caixas que tentam me jogar, nem escutar os conselhos de ninguém, meu único objetivo é gostar de alguém de maneira sincera, não é mais ser amada por ser quem não sou.

E não aceito mais que me digam que amo de maneira errada e isso assusta os Romeus. Eu apenas amo do meu jeito e é o certo para mim, e quem não gostar que pegue seu caminho de volta.


Iara De Dupont

4 comentários:

C.Belo disse...

Peraí, como assim? A sua amiga acha q VC tá sendo direita demais? Alguma coisa não tá batendo, pq eu acho justamente o contrário!

Tipo, quanto ao lance dos SEUS amigos só te orientarem a olhar pra si mesma, acho que é pq é a única coisa q VC pode fazer, afinal, VC não pode saber o q se passa na cabeça dele e seus amigos muito menos.

Iara De Dupont disse...

Não é ser direta, ela acha que ele percebeu que eu fiquei toda derretida, caidinha por ele! Mas tomara que tenha percebido porque fiquei mesmo!

Suzana Neves disse...

Ah a vida é curta demais para ficar fingindo fazendo joguinho de sedução......
Foda se.....

Anônimo disse...

Eu sinto demais, mas sou do tipo que não demonstra porque as pessoas poderiam entender errado. :(

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...