ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

14 dezembro 2015

Não sou eu! Chega disso.....


Ainda me surpreendo quando percebo quanto machismo existe no mundo, no ar, nas veias de quase todos.

Levando em conta que o machismo pode levar séculos para ser eliminado da sociedade, ainda não sei como vou me acostumar a lidar com ele, porque aparece em todos os movimentos que me cercam.

Há duas semanas um ex-Romeu apareceu em minha vida, fiquei agitada, ele conversou e sumiu e desde então converso com meus amigos sobre o assunto, os torturo lentamente com hipóteses do que poderia ter acontecido. 

Três amigas, em diferentes momentos me fizeram a mesma pergunta:

-Tá, então ele sumiu, tenta lembrar qual foi a última coisa que você disse a ele. O que você falou?

-Por quê?

-Vai ver que ele não gostou!

Não, a coisa não vai assim, isso é machismo e não carrego mais essa sensação de que sempre sou eu a ''mulher'' que faz a besteira, que irrita o homem e ele sai correndo.

Cresci com essa ideia tatuada, homens são bons com meninas boas, caso contrário o mundo desaba. Passei a vida inteira levando foras e achando que eu era o problema, o que eu disse, sinto, penso, visto, quero, sonho, procuro.

Me custou anos desintoxicar desse padrão machista de viver e aceito qualquer argumento sobre o sumiço dele, menos esse, de que seria minha culpa.

Não é. Pessoas são pessoas e fazem o que querem, a hora que quiserem. Se ele não quis mais falar comigo deve ter seus motivos, mas nenhum deles pode incluir meu comportamento, porque não sou um cachorro amestrado e meu comportamento é uma questão minha, não dele.

Tive minha época de usar batons escuros, lá pelos anos noventa e depois de levar um fora alguém me disse que poderia ser culpa da ''minha maquiagem forte''. Outra vez me disseram que era culpa da minha roupa, eu não era feminina, não usava saias nem saltos, então Romeu sumiu por isso.

No caso de namoros Romeus somem porque são cafajestes, não porque a mulher use um batom mais forte, isso não existe, mas nós, mulheres, somos levadas a considerar que nosso comportamento, sempre será a nossa culpa a ausência do homem.

Minha amiga insistiu:

-Você está sendo arrogante, de repente disse alguma bobagem e ele não gostou!

Né! E quanta coisa eu não gosto no mundo e continua acontecendo? Santa paciência Batman, provavelmente eu disse muitas bobagens, assim como ele, e ninguém morreu por causa disso e se foi o motivo do sumiço, azar o dele, que procure então uma boneca inflável que você aperta um botão e diz ''fuck me'' e só fala isso.

Não sou eu! Ele sumiu porque quis! Não é o que eu digo ou não que faz diferença!

Pessoas vão embora e pessoas chegam, e isso não tem nada a ver com o discurso, cor de batom e roupa. 

A vida inteira escutei isso, quando um homem sumia da minha vida, nunca ninguém se aproximou e me disse ''ele é um canalha, se fosse homem teria dito tchau''. Nunca falaram isso, me viam chorar e diziam ''de novo Iara? Mas também você quer o que, com esse teu gênio do cão, temperamento forte, não quer ceder, quer tudo do teu jeito''. 
E faziam questão de fechar o assunto dizendo ''você assusta os homens''.

Por quê eu assusto os homens?

-Porque você fala demais, tem opinião, é independente, isso assusta, enquanto você não abaixar a cabeça não vai ter namorado!

Pois que não tenha! Caguei pra eles então!

-Você quer que eles te aceitem do teu jeito!

E tem outro jeito? Todo mundo tem que aceitar as pessoas como são. Se eu aceito eles, por que seria diferente o outro lado?

Não adianta mais jogar esse lixo em cima de mim, não tolero mais escutar que se um homem some é porque eu falei ''besteira''.

E lá veio minha amiga, chamo ela de ''algodão'', porque é toda delicada na hora de dizer as coisas e leva duas horas para chegar ao ponto da questão, fica com medo de magoar. Depois de horas me disse:

-Você tem como saber quem visita teu blog?

Não, por quê?

-Porque fiquei pensando em uma possibilidade, e se Romeu leu teu blog?

E o que poderia acontecer se fosse isso?

-Nossa, ele sairia correndo, até porque tem uns posts antigos sobre ele.....

Eu mudei o nome, ele não se chama Romeu né! E não tenho um post detonando ele, pelo contrário, se ele sentasse para ler e soubesse que falava dele, ia cair de costas.

-Mas não falo dos posts fofos, falo sobre o monte de coisas que você escreve sobre outros assuntos, vai, cai na real, estou falando sobre o feminismo, você sabe que os homens odeiam isso e saem correndo.

Favor que me fazem! Que corram mesmo e para bem longe! Não tenho mais idade nem estômago para lidar com homem machista e homem que tem medo de mulher feminista!

-Então não reclama e assuma as consequências do que escreve, ele pode ter sumido por isso!

Não acredito, o pouco que conheço dele sei que não faria isso, não duvido que seja outro machista, mas ele me conhece e sabe que sempre tive opiniões fortes sobre todos os assuntos que me cercavam, nunca fui uma flor de mulher, o feminismo a sua maneira sempre esteve em alguma parte da minha alma.

E o blog não é argumento para mim. O que está aqui é o que sou fora, dentro e no meio da minha vida, não existe nada aqui distante de mim, se ele se afastou pelo blog se afastou porque quis, porque o blog é um pedaço do que sou, do todo, do nada, do começo e um dia do fim. Não escrevo sobre esmaltes, não tem nada aqui sintético, mentiroso, falso, não uso químicos nem corantes na minha existência e não aplico regras ou limites quando escrevo, o que me leva a concluir que os homens deveriam agradecer ao meu blog, porque ele é um espelho muito mais profundo do que parece da minha jornada.

O dia que pudermos nos livrar da prisão do gênero, do machismo, dos conceitos opressores, vamos perceber que todos são humanos, todos são pessoas e agem da mesma maneira, as pessoas entram e saem da vida dos outros, e isso não está aprisionado a comportamentos de quem falou uma besteira, ou usou um batom mais forte e se for assim também, que bom que a pessoa foi embora.

Posso apostar um milhão que Romeu sumiu porque quis, não tem nada a ver com o que eu escrevo ou falo e se tivesse seria problema dele, porque eu já me livrei dessa culpa há anos, depois de três longos e escuros anos em um relacionamento abusivo, no qual eu tinha medo até de respirar, mal podia abrir a boca e aquele maldito já dizia ''vai falar merda né''. Eu ficava paralisada, cheia de temores, tudo era dolorido, até escolher uma roupa, já que ele criticava todas. Foi a primeira vez que eu resolvi fazer o que todos me diziam para fazer, engolir minhas opiniões e abaixar a cabeça, em troca eu teria o amor eterno e conheceria todas as belezas que um homem pode dar a uma mulher. Era um cara agradável (para os outros) com vontade de casar, ter filhos e ser um homem fiel, se eu fosse uma ''boa moça'' talvez eu poderia chegar a esse paraíso prometido, era só me dobrar e aceitar o que ele dizia.

E foram longos anos, nem eu sei o que acontecia ali, mas depois de um tempo sendo massacrada a gente perde a noção de realidade.

E nem assim, eu abaixando a cabeça deu certo, depois que me dobrou enjoou e quis outra, foi embora. Então eu acordei dessa lenta tortura e percebi tudo o que tinha acontecido. Procurei todo tipo de ajuda e nada me ajudava, era como dar voltas em círculos. Foi só quando encontrei o feminismo percebi que tinha estado em um relacionamento abusivo e que essa questão de ''não fale bobagem e não use batom forte porque homem não gosta'' é uma doença mundial, um pensamento que rege o planeta e convence as mulheres de que elas têm que ser como eles querem que sejam e sempre devem ser dóceis, caso contrário nenhum homem vai gostar delas.

Aceito qualquer teoria sobre o sumiço do Romeu, menos a que me responsabiliza por um comportamento alheio, em nenhuma hipótese considero o meu comportamento culpado por ''desagradar'' a Romeu.

Gosto dos Romeus e volto a eles, gosto de escrever, falar e filosofar a respeito, mas jamais volto a me colocar em cima da mesa, como se eu fosse a culpada das decisões alheias, como se o fato de pensar uma coisa ou outra me transformasse em uma pessoa ''desagradável'' para eles.

Esses dias de dor, de confusão, de trocar os batons fortes por mais claros, pensar em cada palavra que disse, tentando saber onde errei, lembrando cada gesto para perceber onde tinha ofendido Romeu, esses dias se acabaram, já passaram, pertencem a outra vida, a outro mundo.

A porta da minha vida está sempre aberta e as pessoas sabem disso, podem entrar, podem sair, podem ir embora, podem ficar, mas não podem jamais dizer que estão indo embora pelo o que eu disse ou usei, não aceito mais isso.



Iara De Dupont

3 comentários:

Anônimo disse...

Isso mesmo, não se deixe enganar! Um Romeu reapareceu, agitou seu coração, sumiu de novo e a vida segue. Ele não tem culpa de você ter ficado inquieta internamente, assim como você não tem culpa de ele ter sumido de novo. A vida é assim, não tem que caçar explicações pra tudo. Mas isso de quererem SEMPRE colocar a culpa na atitude da mulher já é mais do que ultrapassado, não??
Ainda bem que você não cai mais nessa!

SY

Cris disse...

Homem que foge da mulher porque ela tem opinião própria geralmente é machista encubado. Quer uma boneca inflável de carne e osso que lave, passe e cozinhe sem reclamar, não uma mulher. Esse tipo é melhor deixar sobrando mesmo. Se for um carinha ok que tivesse medo por não estar acostumado com mulher com opinião e temperamento talvez valha à pena investir, mas machista é pra jogar no lixo mesmo.

Suzana Neves disse...

Eu acho que o que vale na vida é ser fiel a vc mesno.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...