ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

06 dezembro 2015

Não carreguem bebês desconhecidos no colo!


Quando era pequena minha avó me levava na Semana Santa para passear, tínhamos que ir em sete igrejas durante a noite, no México isso é conhecido como o ''a visita a sete casas'', não sei se fazem a mesma coisa no Brasil, mas representa as sete paradas que Jesus fez antes do seu calvário na cruz. Depois da ceia, Jesus vai a casa de Anás, saindo de lá vai a casa de Caifás, logo vai com Pilatos, em seguida a vai a casa do Rei Herodes, é levado pela segunda vez diante de Pilatos e finalmente colocado na cruz.

Então vamos a sete igrejas e rezamos por Jesus em cada uma delas, até que na última assistimos a missa.

Não sei se isso mudou, devido a violência que se vive na Cidade do México, mas quando eu era pequena era uma das coisas mais divertidas do mundo. Essa tradição começou com a chegada dos espanhóis no México e pela distância entre as cidades e a falta de transporte era comum as igrejas colocarem comida e água, para que os fiéis aguentassem caminhar durante horas entre uma igreja e outra. Os mexicanos preservaram isso, a diferença é que hoje se vende a comida, mas existe muita fartura, as igrejas estão no mesmo lugar, não é mais necessário caminhar quilômetros e muitas pessoas fazem o passeio apenas pela comida.

Dura a noite inteira, nunca entendi essa parte, mas as pessoas começam a ir nas igrejas à tarde e passam a noite inteira entrando e saindo delas. Os mexicanos são barulhentos e gostam de música, então os lugares sempre estão cheios de música do lado de fora. É uma  festa, o cheiro da comida se mistura com o cheiro das flores que as pessoas levam, o barulho da música se mistura com as pessoas falando e as missas acontecendo.

Minha avó não abria mão desse passeio nem que o mundo caísse, mas era cansativo, eu lembro que sempre me obrigavam a dormir à tarde para aguentar a noite inteira indo de um lado para outro. Meu irmão não gostava, minha avó fazia o que podia para amenizar, comprava comida, balões, mas ele se irritava e ficava perguntando quantas igrejas ainda faltava visitar. Minhas primas menores acabavam dormindo no carro, é, eu sei, é uma coisa maluca, imprudente, mas naqueles tempos o México não era uma cidade tão violenta e meus tios deixavam as crianças dormindo no carro. Comigo isso nunca aconteceu, sou fresca desde que nasci, ou durmo na minha cama ou fico em pé, não consigo encostar em qualquer lugar e dormir.

E estávamos nesse passeio, quando ao sair da missa escutamos um bebê chorando, ele estava em um carrinho e a mãe estava distraída. Minha avó se aproximou e ficou conversando com o bebê, que sossegou. Ela sempre teve um tom de voz tão doce que hipnotizava as crianças, a gente ficava quieto na hora. A mãe se aproximou e agradeceu minha avó, percebeu que eu estava encantada com o bebê e me perguntou se eu queria pegar ele no colo. Eu respondi que sim, mas minha avó não deixou, disse que era tarde e me puxou. 

Quando nos afastamos perguntei porque não me deixou pegar o bebê e ela respondeu:

-Porque é tarde! São quase as três da manhã, nunca carregue no colo um bebê desconhecido perto dessa hora.

Não entendi, mas guardei a resposta por alguns anos, até que um dia estava na casa da minha tia, em uma noite de Natal, e uma das minhas primas estava carregando seu bebê, ela me deu ele, mas eu disse que não carregaria porque eram quase as três da manhã. Minha avó começou a rir e disse que eu poderia carregar o bebê, porque era da família, mas se fosse estranho não poderia. Perguntei o motivo e ela me contou que morava no campo e poucas vezes ia a cidade próxima, mas sempre ficava sabendo das ''fofocas''.

De repente começou a correr uma história, a cidade tinha uma estrada que ligava a outras duas, era comum as pessoas passarem ali à noite e de madrugada. Um dia um homem passou ali e escutou um bebê chorando, começou a procurar e o achou embrulhado em um cobertor. Pegou o bebê para levá-lo a igreja, naquela época era o que as pessoas faziam ao achar bebês nas ruas. Ele começou a caminhar com o bebê no colo e conforme avançava sentia o bebê ficar mais e mais pesado, ele não aguentava mais o peso da criança e se abaixou para colocá-lo no chão, quando fez isso percebeu que estava carregando um porco com um rabo de lagarto, que ao ser descoberto começou a rir. Ele se assustou e saiu correndo, enquanto o porco ria.

Aconteceu várias vezes com diferentes pessoas e começou a correr a lenda de que existia na cidade um demônio brincalhão, ele se divertia fazendo isso, se disfarçava de bebê, deixava as pessoas pegarem ele no colo, o ninarem e depois virava um porco. A coisa foi crescendo e pessoas começaram a aparecer mortas, a conclusão do Padre da cidade é que o demônio se disfarçava de bebê para fazer uma brincadeira, mas quando percebia que a pessoa que tinha caído na brincadeira era fraca espiritualmente ele levava sua alma. Mas essa brincadeira só acontecia entre três da manhã e quatro da manhã.

Perguntei para minha avó porque ele só ''brincava'' nessa hora e ela me respondeu:

-Porque é a hora dele! Ele faz tudo ao contrário de Jesus, adora provocar e tirar sarro das coisas importantes. Jesus morreu as três da tarde, na cruz, por isso essa hora é conhecida no mundo inteiro como a hora da misericórdia, é o horário santo. E o que o capeta fez? Foi e pegou outro horário para ele, as três da manhã, o auge dele é as 3:33, mas ele fica vagando e procurando por almas até as quatro da manhã. O uso do número três é uma burla com a Santíssima Trinidade, Pai, o filho e o Espírito Santo.

Foi por isso que você não me deixou carregar o bebê, naquela igreja?

-É, eram quase três da manhã! Poderia ser o diabo disfarçado de bebê, se você carregasse, era muito pequena, ele poderia ter te levado, ele não brinca disso apenas em uma cidade, faz isso pelo mundo inteiro. Nesse horário só podemos fazer duas coisas, ou rezamos ou estamos dormindo, mas não se pode beber, nem fumar, nem estar fazendo besteira, porque isso atrai ele, e nessa hora ele é forte nesse momento. É quando ele está por perto. E se você estiver dormindo e acordar justo nessa hora reze um Pai-Nosso, porque se você acordou é porque ele está dando voltas na tua vida. E pessoas que fazem rituais para prejudicar outras trabalham nessa hora. Não é um bom horário para estar fora de casa, na rua as coisas ficam mais fáceis para ele. Em casa não é tão simples entrar, mas saindo, ele faz a festa. A conta dele é a mesma de Jesus, ele quer levar o máximo de almas possíveis deste mundo, enquanto Jesus quer manter aqui o maior número delas.

Até essa explicação eu nunca tinha entendido porque em todos os filmes de terror sempre aparece um relógio mostrando a hora e sempre marca entre as três da manhã e quatro. É um clássico, todos os filmes mostram isso, mas existem registros reais desse horário. Um dos casos mais famosos do mundo é de uma casa nos Estados Unidos, onde o rapaz acordou as 3:15 e matou toda a família, depois a casa foi vendida e uma outra família se mudou e disse que todos os dias as 3:15 a casa virava um inferno, foi tão forte a perseguição dos fantasmas que a família saiu correndo com a roupa do corpo depois de treze dias, não voltaram nem para pegar seus documentos.

Em algum post contei sobre as coisas que minha avó dizia, na verdade estou sempre falando sobre isso e uma das minhas primas me procurou e disse:

-Absurdo escrever aquilo! Você sabe que a abuelita era de outra época, nem frequentou escola, tudo nela era superstição, mitos e você está fazendo o quê com tanta ignorância? Está passando para a frente, acho isso um erro, você está espalhando desconhecimento, alimentando coisas que não existem e contando histórias que te parecem interessantes, mas no fundo são trágicas, só mostram como a nossa abuelita era ignorante!

Nossa, nessa parte fiquei acesa! Cortei a conversa ali, chamar minha abuelita de ignorante é a maior ofensa que alguém pode me dirigir. Ela foi fruto de uma época e circunstância, mas não era ignorante nem burra, a sua maneira entendeu o seu entorno e como a vida era.

E eu já passei dos trinta anos, sei por experiência que muitas coisas não são lendas, jamais negaria a existência de uma força contrária a Jesus, até porque já cruzei com algumas representações dela.

Minha prima mandou um email dizendo ''se vai espalhar as coisas que a abuelita contava, pelo menos que sejam as receitas de cozinha, que eram geniais''.

Né, prima? Entendeu agora o que eu faço? Eu espalho as receitas dela, mas não as de cozinha, eu espalho as receitas dela de vida. Leia e aprenda.


Iara De Dupont

8 comentários:

C.Belo disse...

Cara, tô ficando vidrada pelas estórias da sua avó!!! Fascinantes, dariam um ótimo enredo para filmes de terror/suspense, e VC sabe, sou fã do gênero rs! Deve ter sido MUITO legal ter tido ela como avó!

Eu concordo com VC, muitas dessas estórias, assim como qualquer mitologia, tem seu fundo de verdade; nada mais é do que uma forma bem mais interessante de explicar fatos cuja compreensão foge ao conhecimento humano.

Anônimo disse...

As histórias da sua avó são fantásticas. Eu, pelo menos, adoro ler.

SY

Iara De Dupont disse...

Vocês são duas lindas! Valeu pelo apoio!

Claudia disse...

lendo esta postagem me lembrei que anos atrás ouvi( acho q foi no programa da Sonia Abrão) isso de que se estamos dormindo e acordamos pelas 4 da manhã é o nosso espírito nos defendendo de algum ataque prejudicial... acabei me lembrando disso ao ler sua postagem.
Mas sua avó tem/teve uma história bem rica pra contar, com certeza vc aprendeu muito com ela, e teve muita sorte disto.

Suzana Neves disse...

Se ia gostar da história de um vizinho da minha mãe quando fugiu do lobisomem.
Eu sempre tenho medo dessas coisas ,mas não consigo acreditar.

Anônimo disse...

Nossa fui ler isso justo agora, as 3 da manhã kkkkk, Iara para com esses fatos do capiroto que só leio seu Blog na madrugada kkkk. Tá parecendo fatos desconhecidos

Iara De Dupont disse...

Olha, tem muita gente que me diz a mesma coisa, que lê o blog de madrugada e fica com medo, então faz assim, me passa teu email e eu te aviso quando for publicar essas histórias, daí você não se assusta, rsrsrs

Anônimo disse...

Também super curto essas histórias da avó da Iara. Minha avó morou em interior e sempre conta algumas histórias nesse tipo.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...