ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

06 março 2015

Consumir no Brasil é para quem gosta de brigar


A pior coisa da mente humana é o condicionamento. Fechamos em uma crença e estacionamos ali e quando isso é diferente nos vemos uma situação constrangedora e sem saber o que fazer, ficamos perguntando a mente ''e agora?''.

Há um mês comprei um pacote de pão em um supermercado e ao chegar em casa percebi que estava mofado, então peguei a nota fiscal e voltei ao supermercado. Lá fui informada que não iriam trocar, o pão estava verde, mas eles insistam que estava dentro da validade e o verde que eu via era apenas reflexo da luz. Pedi para abrirem o pão, me disseram que poderiam abrir, mas não me dariam outro.

Fiquei naquele momento de ''é sério isso?''.

É, quem é consumidor no Brasil sabe disso, sofre para reclamar, não consegue acesso fácil a trocas nem devolução do dinheiro. Me atrevo a dizer que é um dois piores países do mundo para consumir.

Mas o dia do pão fiquei preocupada, e se tivesse mais pão mofado ali? Dane-se o consumidor? Me vi obrigada a fazer uma coisa que não é do meu agrado, eu estava cansada, louca para chegar em casa e comer meu pão, então avisei o gerente que iria chamar a polícia e o pessoal que checa a higiene dos lugares. Na hora a conversa virou, o gerente começou a discutir, argumentar, até que um funcionário achou melhor trocar o pão, mas eu não queria só isso, queria que eles checassem se os outros pacotes estavam nas mesmas condições. Como não deu em nada, acabei chamando a polícia, que chegou lá, me orientou a fazer boletim de ocorrência e ligar para a fiscalização.

No fim consegui trocar meu pão, mas perdi duas horas da minha vida, fiquei com dor de cabeça e morrendo de raiva. 

A quantidade de vezes que já me senti e fui lesada no Brasil é enorme, nem eu lembro de todas, até no prédio onde moro acontece isso, cobram tudo, mas não dão desconto quando erram.

Já cansei de ligar para serviços de atendimento e gastar horas esperando. Uma vez uma amiga me disse uma coisa terrível:

-Um dia você se acostuma.

É, pensei nisso semana passada. Fui comprar um chocolate e a loja estava cheia, depois de pagar abri o chocolate e vi que estava branco, pedi para trocar, mas a loja me disse que a gerente não estava, teria que esperar a moça chegar. Tive que pensar ''vou mofar aqui por cinco reais?''. Não, então desisti. 

A indústria brasileira sabe disso, o consumidor é otário aqui, não acontece nada que possa punir quem vende o produto quebrado ou estragado. Eles sabem que as leis são fracas e levam todos ao seu limite.

Há uns anos comprei um DVD que veio quebrado. A loja me ignorou e a empresa nem se deu o trabalho de responder emails ou telefonemas. Resolvi levar até as últimas consequências, fui ao Procon, supostamente órgão de defesa do consumidor, mas descobri que é só no nome. O processo levou séculos e  fui chamada a uma reunião com o advogado da empresa depois de meses, nem lembro quantos. Tive que faltar no trabalho e perder o tempo na audiência. Chegando lá fiz um acordo com o advogado, eles me mandariam um aparelho novo em duas semanas. Nunca esqueci a cara do advogado, parecia que estava rindo.

Depois de duas semanas o aparelho não tinha chegado e resolvi ligar para o advogado, eu peguei o telefone da empresa que ele trabalha na internet, decorei o nome, liguei e ele me disse:

-Ah, a gente vai mandar o aparelho quando der viu?

Então o lembrei que era um acordo assinado diante da mediadora no Procon, ele começou a rir e disse:

-Sério mesmo que você achou que ia funcionar? Querida, eu vou duas vezes por semana naquela merda de Procon porque me pagam, mas ali não dá em nada.

Irritada lembrei que havia uma multa no meio, em caso deles atrasarem a entrega e ele respondeu:

-Posso dar entrada a mil recursos para não pagar essa multa. E querida, você vai se dar todo esse trabalho por 79 reais? Você já pensou em fazer um curso de costura para se distrair e não ficar enchendo o saco das empresas? E só para te avisar, todas as empresas são iguais, a gente caga em vocês, nos seus advogados e no Procon.

Fiquei chocada, passei dias sem acreditar que tinha escutado isso de um advogado, mas caí na real, não tinha mais sentido continuar uma briga por 79 reais, o preço do aparelho. O sistema é desenhado para proteger a indústria e anular o consumidor. Esqueci essa história, até que seis meses depois me ligaram da assistência técnica dizendo que tinham me deixado um aparelho novo por lá. 

Acho que de tanto levar na cabeça me acostumei, o máximo que faço hoje é encher o saco das empresas por email, não gasto mais em telefone.

A gente passa por um processo que se chama ''o sistema te dobra'', você percebe o tamanho dele e recua, cansada de brigar com cachorro grande. Sei que não é a posição correta, temos que brigar pelos nossos direitos, mas só quem já bateu de frente com o abuso das empresas e a negligência do Estado em defender o consumidor, sabe que a luta cansa qualquer um. O sistema tem um desenho perfeito que inibe qualquer reação do consumidor, eles sabem que o consumidor brasileiro não conhece o poder do boicote.

Hoje divido essas questões por momentos, se estou na pilha vou lá e falo, caso contrário fico na minha, cansei de bater de frente com tantas paredes.

E ontem passei por uma situação constrangedora, fiquei sem saber o que dizer. Caminhava pelo shopping quando vi em uma loja uma promoção de ''Águas perfumadas''. Entrei e comprei de lavanda e verbena. Conheço a marca e sei que as essências têm um cheiro ótimo. Mas quando cheguei em casa e apliquei uma delas, percebi que eram diferentes, deixavam a pele ''melecada'', então fui ler o rótulo e atrás dizia que eram ''águas perfumadas'' para tecidos.

Nossa, eu surtei na hora. O produto tem duas etiquetas, na da frente está ''águas perfumadas'' e atrás diz ''para uso em materiais inertes''. 
Fui no site do Procon, lá fui informada que o produto tem que ter uma etiqueta específica, indicando seu uso. Já a ANVISA me respondeu que as etiquetas não podem induzir ao erro nem confusão, principalmente as de produtos comestíveis e cosméticos.

Voltei na loja e pedi a devolução do dinheiro, a funcionária foi educada, mas me disse que a loja não tinha a política de devolver o dinheiro, poderiam trocar o produto, mas o que eu dizia não se aplicava as regras, ou seja, são águas perfumadas e nem todas as águas perfumadas são para o corpo, algumas são para a casa!

Pensei em dizer um monte, mas ela foi educada e prestativa, me disse que poderia ligar para o dono e ele que resolvesse o que fazer.

Tive um momento de dúvida, será que eu errei ao não virar o produto e ler um rótulo com letras minúsculas? Sera que está tão claro assim que ''águas perfumadas'' se usam em tecidos e não em pessoas? Nem pensei na possibilidade de existirem águas perfumadas para tecidos, a loja que entrei vende perfumes, não almofadas, nem tapetes, a linha deles inclui perfumes e sabonetes líquidos, não pensei na possibilidade deles venderem águas perfumadas para tecidos. 

Voltei para minha casa e mandei um email desaforado para a empresa, desci do salto, concordo que errei ao não virar o frasco e ler o rótulo inteiro, mas se o rótulo da frente dizia ''águas perfumadas'', achei que era para o uso corporal, até porque são as mesmas essências de seus perfumes.

Menos de cinco minutos depois me responderam o email, pedindo para retornar a loja e trocar o produto ou pegar o dinheiro de volta. Quase em seguida a vendedora me ligou, dizendo que  estava autorizada a fazer a troca. Chegando lá o dono não estava na loja, mas ligou e conversou bastante comigo, explicou a sua parte, o que tinha acontecido e a confusão das etiquetas. Foi tudo tão fora do normal que fiquei sem saber como agir, expliquei meu lado, continuo achando que as etiquetas não são explicativas e não acredito ser a única a ler ''águas perfumadas'' e pensar que é um produto para o consumo humano, não para agradar as cortinas.

Tudo isso se resolveu em questão de minutos, sem criar dores em ninguém. Eu, assim como o resto dos consumidores brasileiros, queremos apenas isso, consumir. Não quero e tenho certeza que os outros também não, brigar, perder meu tempo em audiências, ficar juntando recibos e dando print em respostas mal educadas.

É uma pena pensar que esse proprietário é uma exceção, foi guiado pela sua noção de ética e profissionalismo, percebeu que a coisa iria além das águas perfumadas, eu disse no email ''nunca mais boto os pés nessa loja''.Vê lá que vou perder meu tempo e dinheiro comprando perfume para sofá!

E sou boa consumidora, quando gosto compro e recomendo.

Mas é o fator Brasil, estamos tão acostumados a sermos escorraçados pelas empresas, que nos tratam como cachorros sarnentos, que acabamos achando que todas são iguais e malditas. Não adianta montar banca e se achar invencível, qualquer empresa pode cair, as únicas blindadas são as multinacionais e os bancos, o resto tem que aprender a lidar com o consumidor. E a maior ironia é que as multinacionais às vezes são mais rápidas e decentes nas respostas do que as pequenas empresas, mas isso é porque eles têm um departamento que se chama ''contenção'', quando alguma coisa dá errado, eles correm para conter o dano e administrar as consequências.

Fiquei pensando em como é horrível viver debaixo dessa manta de pilantragem, corrupção e falta de respeito, parece que a gente se acostuma e acaba surpreendido quando alguém aparece e resolve a situação da maneira que tinha que ter sido resolvida. É terrível para um cidadão crescer em um país como o Brasil, onde já nascemos com a certeza de que nossos direitos serão atropelados. E até consumir significar ir ''contra o sistema'' e estar disposto a brigar. Eu queria apenas ser como o resto dos consumidores no mundo, comprar o que gosto e ponto, sem entrar em batalhas com empresas. Quem consome sabe disso, a gente só quer ser feliz.


Iara De Dupont

9 comentários:

Anônimo disse...

Depois quando os brasileiros começam a comprar em sites estrangeiros esses empresários safados são os primeiros a reclamar, chorar, fazer mimimi, dizer que os sacoleiros são os culpados pelo colapso da economia nacional. Eles deviam ter vergonha e fazer as coisas direito ao invés de maltratar o consumidor, cobrar preços abusivos, oferecer produto de péssima qualidade e ainda chorar pra fazer uma simples troca.

Uso aparelho ortodôntico fixo e quando tenho aftas ou o dentista não consegue cortar a ponta afiada do fio, preciso usar cera ortodontica pra proteger a mucosa. A cera é difícil de achar, onde eu moro só uma farmácia vende por 6,50 uma caixinha com cinco bastões. Numa loja de suprimentos odontológicos onde é difícil pra chegar (mas eu vou mesmo assim), no varejo, uma embalagem com dez caixinhas de cera (50 bastões) custa 13 reais. Nem consigo calcular o lucro que tiram na farmácia. É um absurdo que os empresários brasileiros cobrem tanto por algo que chega tão barato ao bolso deles, mas cadê o respeito ao consumidor? Esse é um país de bandidos, extorsão aqui é praticamente legal desde que seja praticada contra o povo.

Tadeu Diniz disse...

Já que a loja foi correta, poderia colocar o nome dela.

Suzana Neves disse...

Eu quase sempre resolvo a Tenis pé Baruel me mandaram um talco porque a embalagem nao ficava fechada.
O problema continuou porque a embalagem foi mal projetada.
Já a Nívea nunca respondeu meu email eles tem um sabonete liquido escrito Oil e a cor parece óleo mesmo também fiquei putissima não me deram a menor bola.
Outra é a Maybeline comprei um pó para peles oleosas,ele fica branco como se fosse uma argila achei depois de procurar um tempão a moça disse que deveria comprar outro produto para usar junto quer dizer mais gasto ja tinha pago uns 27 reais sendo que pago 11 no da Koloss .
Então minha visão ficou que empresas internacionais não estão nem ai pra mim.
Ja os mercados nunca tive problema em trocar mercadoria agora por um pão eu não volto porque o custo de retorno não cobre o preço.
Tem uma marca de pão que começa com B que sempre está podre.

Anônimo disse...

Suzana, eu também tenho esse problema com o talco para os pés, mas acredita que nunca reclamei? Achei que fosse defeito apenas da minha embalagem.

Eu reclamo muito e no Procon e só uma vez não consegui resultado, mas também porque não segui com o processo. Uma operadora de telefonia simplesmente passou o meu número de celular para outro cliente e eu era apenas "dependente". Como eu não tinha nada que comprovasse que eu comprei o chip, acabei deixando pra lá. Mas com raiva.
Não sei se é sorte, mas o maior supermercado da minha cidade é bem tranquilo. Eles trocam sem reclamar, ouvem os clientes quando reclamam da qualidade, mas também os preços são um pouco altinhos...
Sou super a favor do boicote a determinadas marcas, mas como dito, a população brasileira é acomodada...

Anônimo disse...

Olá, Iara. O problema no Brasil não é da indústria, mas dos brasileiros, as pessoas aqui não se respeitam e isso se reflete nas relações, sejam elas de consumo, trabalho, amizade e até afetiva...a pouco tempo me aborreci no trabalho, as pessoas estavam sendo desrespeitosas, debochadas e achando tudo lindo e normal... sou como você, não me conformo e pronto, mas também agora me "poupo", me afasto de tudo e todos que me desrespeitam...se é uma loja, não vou mais, se são pessoas me distancio ao menos emocionalmente...Não sou obrigada a tratar com gente assim... sds, Mônica

Anônimo disse...

Moro na Africa do Sul e se tem uma coisa que vou sentir falta quando eu voltar pro BRasil alem do clima sera a maneira como sou tratada,aqui dizem que o cliente nunca tem razao,mas alem de sermos super bem tratados em todos os restaurantes,nos super mercados podemos trocar tudo e nas lojas eles devolvem o dinheiro sem perguntar o motivo,e uma maravilha,todas as lojas trocam ou devolvem o dinheiro no periodo de um mes e em caso de defeito ou insatisfacao devolvem o dinheiro ate muitos meses depois,e olha que o pais nem e desenvolvido,heranca dos ingleses.

Anna

Iara De Dupont disse...

Tem razão Tadeu! A loja se chama ''Bagnare'' e vende uns perfumes incríveis!

Fátima disse...

Hoje se completam exatamente 22 dias que estou sem sinal da Sky. Pago mensalmente, no mesmo dia, desde o mes de setembro quando se iniciou a assinatura. Já liguei para a empresa N vezes, quando falo que estou sem sinal desligam na minha cara sem a menor preocupação. Das poucas vezes que consegui falar, ja me agendaram 4 visitas tecnicas e nao compareceram em nenhuma, perdi quatro dias de trabalho aguardando um tecnico que nunca aparece. E mails ja perdi a conta, anatel, reclame aqui e nada...parece que quanto mais reclamo, mais me enrolam. Te garanto que a conta, cobrando o mes completo vao mandar!

Patricia disse...

...já passei umas raivas assim...nem vou comentar muito...é osso!

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...