ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

02 março 2015

Amizade leva ao amor?


Fui a casa de uma amiga e vi uns pincéis na mesa. Perguntei se iria começar a pintar e me respondeu:

-Sabe aquele Romeu que te apresentei? Pois é, ficamos amigos e ele me disse sobre esse curso de pintura, faz tempo que tenho vontade de aprender, acho a hora certa.

E Romeu vai estar lá?

-Sim, ele está no curso. E sei o que você está pensando, é isso mesmo, entrei para ficar perto dele.

Mas não são amigos?

-Ele que acha que sim, mas sou apaixonada por ele, você sabe, quero conquistá-lo e acredito que posso fazer isso, se fico por perto.

Ah, não sei. Minha mãe tem uma teoria sobre o assunto, diz que nada é mais importante do que amizade, a gente se aproxima da pessoa que nos interessa e fazemos amizade, assim com o tempo vamos perceber se somos compatíveis e se for, o amor aparece.

Acho essa teoria linda, mas para uma pessoa impulsiva como eu não dá certo, não tenho tempo nem paciência para esses jogos, sou daquelas que quando gosta vai logo avisando.

Alguma vez li o cérebro leva dez segundos para saber se gosta ou não da pessoa. No meu caso esse tempo é real, não passa disso. Não lembro ter me interessado por um Romeu no dia seguinte, se gostei foi na hora.

Mas minha mãe insiste, tem um Romeu que ela gosta para  genro, trabalhamos juntos e me dizem que eu deveria ''construir uma amizade'' para que ele se interessasse por mim.

Tenho que me perguntar, preciso disso? Caso ele tivesse algum interesse não teria dado um jeito de se aproximar? Preciso mesmo bancar a inocente e construir uma amizade para que ele perceba minha existência? Ele me vê, se não diz nada é porque não está interessado.

E esse papel de ''amiguinha'' já mereceu muitos posts, é perigoso, humilhante e arriscado.

No ano passado quase caí no mesmo buraco, fiquei amiga de um Romeu que me tirava o sono, mas fui rápida, quando percebi que era sua amiga ''fofinha'', saí correndo e nunca mais voltei. Acho doloroso ser amigo de alguém que gostamos e não sei até hoje se a teoria da minha mãe está certa, se amizade leva ao amor.

Eu sou direta, não gosto de enrolação e não tenho tempo de ficar conversando com quem tenho vontade de beijar. E também quando ficamos amigos de alguém que gostamos temos a tendência de criar um personagem, descemos o volume do que somos, fingimos ser mais amenos e mais tolerantes. Tudo isso é uma mentira enorme, uma cortina de fumaça que esconde o que sentimos.

Não sei se estou cínica, se foi a idade, ou já nasci impaciente, mas fazer uma amizade com quem gosto me parece um projeto de longo prazo! Que coisa mais chata e arrastada!

Quando minha amiga me disse sobre as aulas de pintura quase dormi na sua sala! Que saco ter que ir a umas aulas para se aproximar de Romeu. 

Sou mais simples, estou ali e Romeu passa e me diz:

-Bom dia.

E nem todos os dias cruzamos, por isso nem sempre me cumprimenta. Pronto, não gosta. Caso gostasse tentaria se aproximar, para que vou complicar minha vida correndo atrás e fingindo uma amizade? E se ele fizer um curso de Sushi, eu sou alérgica a peixe, vou lá me inscrever para ficar perto e ele reparar em mim?

A vida me parece que já está resolvida, quando alguém gosta, se mexe, não precisamos ficar bolando planos e frequentando aulas.

Perguntei para minha amiga sobre sua rinite, vai aguentar as aulas de pintura?

-Aff, Iara, você não luta pelas coisas, fica achando que a vida vai te dar tudo na mão. De vez em quando temos que correr atrás do que gostamos.

É, também acho, mas correr atrás de homem me parece a mesma coisa que correr atrás de nuvens, pra que porra vou fazer isso? E não sou hipócrita, já fiz, sei que não vale a pela. E não sei se a vida vai me dar o que quero, mas pelo menos tenho certeza do que não quero e correr atrás de homem é uma coisa que me nego a fazer. Prefiro lidar com a rejeição, esse Romeu não se interessa por mim, tudo bem, a vida segue, o sol continua saindo, o chocolate é uma maravilha divina e ainda existe o mar.

Nossa, já me compliquei tanto, chorei, me desesperei, fiquei péssima, mas um dia levantei e pude lidar com isso, Romeu não está interessado em mim. E posso acrescentar o que minha avó dizia, não está interessado porque é bobo, não sabe a mulher incrível que está perdendo. Tá bom, azar o dele, mas eu não brinco assim, não fingo amizade nem interesses em comum.

Hoje simplifico, se não me deu bola, então não gosta. Não abro mais uma segunda possibilidade. 

E minha amiga insiste:

-Você não pode ser tão radical! Nunca tentou conquistar alguém? Todos nós fazemos isso, conquista faz parte da vida.

E preguiça também.

Conquistar alguém? Mas que frase colonizadora! Não sei e não tenho vergonha de assumir, não sei conquistar mesmo, nunca soube e hoje não quero aprender. Cheguei a conclusão que as coisas acontecem e não precisam de mim para acontecer, elas rolam sozinhas. Não preciso tentar conquistar, me aproximar, nem sorrir, se tiver algum interesse mútuo a natureza faz o resto. Já perdi tanto tempo acreditando que poderia conquistar um Romeu! Mas a ciência me iluminou, hoje sei que são dez segundos, mais do que isso é forçado, ninguém precisa de mais tempo para se interessar por outra pessoa.

E minha amiga insiste:

-Quer dizer que você não vai nem tentar, não vai lutar por Romeu?

Deus que me perdoe, mas não vou. Não acredito mais na luta, nem na tentativa, apenas nas coisas que acontecem. E a vida sabe fazer acontecer, deixa ela lá fazendo seu trabalho. E eu tenho muitas coisas para fazer no mundo, mas correr atrás de um Romeu não é uma delas.


Iara De Dupont

3 comentários:

Musicista Feminista disse...

Se eu lesse este texto há alguns anos atrás, eu pensaria que você está exagerando. Mas hoje compreendo perfeitamente. EU cansei de ser a amiguinha boazinha que fica o tempo tempo em função de fazer amizade com o cara a fim de conseguir algo, pensando que assim ele vai se apaixonar por mim.
Na primeira vez que amei eu cheguei ao ponto de fazer trabalhos em dupla com o Romeu e fazer tudo sozinha, ficar na aula pacientemente explicando tudo pra ele. Indo à apresentações da banda dele, somente para vê-lo.
No fim eu virei a amiguinha da faculdade que ele poda consultar para tudo, a amiga da cueca.
No fim nem ficamos juntos, ele arranjou outra. E quando precisei da ajuda dele, foi absurdamente grosso comigo na frente dos outros.
Depois desse babaca eu cansei, me desiludi, não tenho mais essa paciência toda pra ficar tentando amizades, correndo e babando atrás do cara. Pra ver se ele gosta de mim, foi quase um ano, se ele quisesse algo já tinha demonstrado.

Anônimo disse...

Nunca entendi isso, de "lutar pelo amor", ficar se mostrando, se disponibilizando, para agradar e receber a recompensa no final, que nem cachorro.
Bom para quem quer uma transa a mais e se aproveita da situação,a final tem que mostrar que é homem né.
E quando a pessoa cai na real já é tarde.

Suzana Neves disse...

Ah eu sempre me envolvia estavam perto e eram confiáveis nem se fosse pra beijar em um noite solitária chegava o dia e nada mudava continuava a amizade.
Agora meu marido foi interessante ele ia em casa todo santo dia,ficamos amigos depois começou as graça mas nao foi teatro era timidez mesmo so aconteceu pelo álcool e minha cara de pau.
E isso foi a 12 anos-luz.kkkkkk

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...