ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

18 março 2015

A falta de compaixão dos homens me cansa



Quando eu tinha uns seis anos escutei uma coisa terrível. Tenho uma prima que é sete anos mais velha, sempre a vi como uma mini-adulta, tudo o que ela fazia as menores copiavam, inclusive eu. Desde o cabelo até seu jeito metido de ser.

Ela era uma criança bonita e também tinha seu temperamento.

Um dia brigava com um primo, não lembro a situação, mas ela começou a gritar, bater nas paredes, teve um chilique. Minha avó chegou lá para acalmar a menina, enquanto todas as primas assistiam. Então meu tio disse:

-Deus que me ajude, essa menina tem onze anos, no máximo o ano que vem vai ficar menstruada e vai ser uma louca como a mãe.

Minha tia e minha avó não disseram nada.

Meu pai trabalhava em uma revista e além dele eram apenas dois homens, o resto da equipe era de mulheres. Os seus amigos chegavam lá em casa e eu escutava as conversas, sempre se referiam a chefe como aquela ''doida de tpm (tensão-pré-menstrual)'', ou aquela ''preguiçosa que faltou porque disse que está no seu período''.

Eu não tinha nada claro, era uma criança, mas entendi que estar menstruada ou na tmp era coisa de mulher maluca, dessas que matam homens.

Entendi logo que esse assunto não se fala perto de homens, pela quantidade de gozações. Escutava na escola como minhas amigas mentiam a respeito e muitas com dores e cólicas eram obrigadas a fingir que estavam bem.

Uma vez estava com um grupo de teatro e resolvemos comer em um bar. Como eu não como carne, acabei sem comer nada, porque só tinha salgadinhos de carne. Um pouco antes da apresentação, alguns atores ficaram com o estômago virado e foi uma correria nos banheiros, mas ninguém disse nada. No dia seguinte uma atriz chegou tarde, alegando que na hora não sentiu nada, mas de madrugada começou a passar mal pelo salgadinho que tinha comido. Escutei quando outro ator disse ''é mentira, deve estar no seu período e fica inventando história''.

Ah, então homem pode ter dor de barriga e mulher não?

Aprendi cedo a não me meter em assuntos que não entendo, mesmo assim me meto. E me surpreende como tantos homens convivem com mulheres e se recusam a ler um pouco sobre o corpo feminino. Talvez na leitura pudessem entender que nem todas as mulheres têm o mesmo ritmo e algumas sofrem demais durante seu período.

Tenho uma tia que chegava a desmaiar de dor no meio da rua. Ela tinha uma síndrome, não lembro o nome, mas é muito comum. Durante a menstruação o útero se contrai e expande, para expulsar o óvulo, mas em alguns casos isso acontece com mais força, apertando os intestinos. Minha tia ficava quatro dias vomitando sem parar, com diarreia e sem poder caminhar de dor. Ficava transparente e seu caso era tão sério que entrou na justiça, para poder ficar em casa esses dias, sem ir ao trabalho.

Um dia seu chefe resolveu ir a sua casa, não acreditava em uma funcionária que tinha licença médica uma vez por mês. Minha avó abriu a porta e o levou até o quarto, ele ficou horrorizado, ela ficava na cama, encolhida, gemendo de dor. Ele saiu de lá e nunca mais disse nada. Acho que na cabeça limitada dele pensou que ela pegava esses dias e ficava na praia.

E hoje uma pessoa me mandou um (link) sobre um médico que sugeriu essa licença especial para algumas mulheres, eu comentava isso com outra moça e um rapaz se meteu dizendo:

-Trabalhar que é bom vocês não querem né! Agora vão fazer ''mimimimii' que estão com dores e tal.

Pensei em argumentar, mas me deu preguiça, mesmo assim ele insistiu:

-Mas Iara, você não é feminista? Não é meio desmoralizante apoiar essa licença? Não são vocês que se recusam a ser o sexo frágil e a serem vistas como bonecas de porcelana? Queriam os mesmos direitos mas não aguentam o tranco né!

Tentei explicar que não estávamos falando de todas as mulheres, algumas sofrem muito, outras não, depende de cada uma, o que tem que valer é a licença para quem precisa.

E lá veio o moço:

-Você tem ideia de quanto a empresa vai perder de dinheiro se aplicar essa regra aqui? Vocês levam esta merda à falência!

É, mas o que mulher não fode ou leva a falência?

A moça que estava conversando comigo, respondeu ao rapaz:

-Tomara que um dia você se dobre no banheiro por cólicas renais, nessa hora lembra de ligar pra mim, vou te avisar que não pode faltar no trabalho nem fazer manha!

Falei para ela que chumbo trocado nesses casos só piora, a ideia dela é boa, mas eu não desejo a ninguém a dor física, mesmo assim sei que cólicas renais se aproximam de uma cólica menstrual, a diferença é que uma mulher pode sentir cólicas durante décadas, já a cólica renal pode ser esporádica.

Mas o rapaz insistia:

-Vocês fingem que são fortes, mas o corpo de vocês é delicado, não aguenta o ritmo do mundo masculino!

Como é que é? Aguentamos trinta vezes mais dor do que um homem e não aguentamos o ritmo do mundo masculino? Ah, me poupe!

Não continuei porque estou exausta de bater de frente com uma parede, a falta de respeito e compaixão de alguns homens em relação as mulheres. Cansei de tudo isso, porque a maioria dos homens se recusa a ver a realidade. E ninguém está pedindo um favor, é apenas uma licença médica para quem precisa. Caramba, é tão difícil entender assim? 

E desculpas para não trabalhar? Que porra é essa? Não precisamos disso, porque nós SEMPRE trabalhamos, seja na rua ou em casa. Existem fábricas com operárias trabalhando grávidas de oito meses, sem descanso e não é na China. Moro perto de um supermercado onde para ir ao banheiro as funcionárias têm que avisar ao chefe meia hora antes e esperar uma autorização. Eu estava lá quando uma funcionária grávida de sete meses pediu para ir ao banheiro e teve o pedido negado. Me meti na conversa, resolvi ligar para a polícia, foi uma confusão dos mil diabos.

A moça teve sua licença, mas não acho que ficou em casa coçando como se fosse homem, tenho certeza que dias depois do parto se levantou e começou a arrumar a casa.

Não existe para nós, mulheres, ainda, a possibilidade de ficar em casa assistindo futebol. 

E não aguento mais tantos homens negando a realidade, se limitando a criticar sem conhecer e saber o que realmente acontece na vida de uma mulher. E digo tranquilamente, não conheço nenhum homem que aguentaria estar na minha pele por um dia.

A falta de compaixão na qual foram criados me assusta, tudo para eles vira assunto de ''mulheres que querem fugir do trabalho''. É mesmo? E se a gente fugir quem sustenta? Eles?

E precisa ter um útero, sentir cólicas, para entender o processo e se compadecer? 

Um funcionário onde estou foi afastado por uma cirurgia delicada no estômago, era simples, mas deu infecção e ficou séria. Não gosto dele, mas posso entender porque sua licença se estendeu, sente muitas dores e está em processo de cicatrização. Não acho que está mentindo nem fazendo ''onda''. Então será que é tão difícil assim olhar para algumas mulheres e aceitar que elas precisam ficar em casa durante sua menstruação? É tão fora de órbita pensar nessa possibilidade?

Me irrita ver como tudo o que é ligado a mulher vira uma discussão estúpida e o velho argumento ''mulheres querem se aproveitar''.

Ora, acordem homens! Os aproveitadores aqui são vocês! Mulheres não precisam de favores masculinos, mas será que é tão complicado olhar o semelhante com um pouco de respeito e compaixão? Sério que os homens estão tão mutilados pelo machismo que não sentem nem entendem mais nada?

E tem gente que ainda vem me dizer que eu vejo os homens como inimigos! Ah, essa visão é deles, não a minha. Eu não preciso de relatórios médicos para me compadecer se alguém sofre fisicamente, mas eles nem com isso querem entender. Existem centenas de estudos médicos explicando as dores que algumas mulheres sentem no seu período, mas quem se preocupa com isso? Grande merda, é tudo desculpa de mulher né!

Às vezes desanimo ao ver como o machismo criou criaturas secas, frias e sem compaixão como podem ser alguns homens. É assustador o mundo, com esses homens que não respeitam nada e olham para uma questão fisiológica feminina como uma ''desculpa para não trabalhar''.

É, penso nisso, tantas mulheres sofreram as dores do parto para quê? Para parir esses machistas estúpidos, capazes de pensar que uma licença médica é outra história inventada por uma mulher.

E dizem que eu sou revoltada. Tem como não ser?


Iara De Dupont

12 comentários:

Anônimo disse...

Curioso isso, se vc for muçulmano a empresa tem a OBRIGAÇÃO de de te deixar parar no meio do expediente para fazer as suas orações. Prejudica o andamento das coisas? CLARO, mas é um direito que ele tem. E não podem deixar de contratá-lo por isso, ´discriminação e a empresa pode ser processada.

Conheço uma professora do curso de letras que tem uma aluna que falta todas as sextas-feiras por causa da religião dela. E não ganha falta, ela não pode. O curso é presencial, mas ela tem o direito de faltar UMA VEZ POR SEMANA, TODAS AS SEMANAS. E no trabalho dela e lei com certeza protege também.

Agora se vc estiver morrendo de dores, não pode faltar uma vez ao mês, a lei não nos favorece, só religiosos.
Eu fui parar no hospital uma vez, acordei 05:00 vomitando e fiquei assim até às 10:00. Fui pro hospital e tomei soro por uma hora. Dormi do meio dia até 08: da noite.
Eram férias,mas e se fosse no trabalho???Seria descontado do meu salário por eu estar doente? AH, é frescura de mulher sabe.

O problema dessa lei é lidar com a infantilidade dos homens, pois todos vão saber pq fulana faltou. E aguenta piadinhas.

Mas acho que se isso persiste todo mês, o certo seria tomar alguma providência.
Eu tomo remédios faz uns cinco anos, mas vem piorando. Nunca faltei no trabalho, mas já saí mais cedo da faculdade várias vezes.

Chamar de frescura é ser no mínimo retardado. Dizer que nosso corpo é "delicado", é uma puta sacanagem com a minha avó que capinava na roça desde os 6 anos, matava galinhas e destripava porcos. E ainda limpava e cozinhava para um marido bebê e sete filhos.

Minha bisavó aguentou 16 partos normais em casa. Se isso é ter o corpo delicado...

Pra ser escrava de marmanjo somos fortes, parir mais um pq o marido quer tentar pra ver se vem um menino somos sempre fortes.

Anônimo disse...

Quando eu era pequena via uma tia ficar 3 dias deitada no quarto escuro,quando saía dava pena de olhar para o rosto dela. Tive minha primeira cólica aos 35 anos,durou menos de um minuto e me assustei,sempre achei que fosse um incomodo como uma dor de cabeça,mas a sensação é voce está sendo estripada,é terrivel.Deveria ter essa lei mesmo para licença durante o period menstrual,até porque podemos muito bem compensar com horas extras,e quanto a fazer corpo mole,somos ensinadas a cuidarmos de nós mesmas e de tudo a nossa volta muito,mas muito cedo,ainda criança. Queria ver se as mulheres fizessem um dia de greve no mundo inteiro.

Anna

Anônimo disse...

Quando você escreveu sobre os colegas de trabalho do sexo masculino que chegam tresnoitados e apresentam baixo rendimento por causa dos cuidados com os filhos recém nascidos, em nenhum momento você demonstrou a menor compaixão por estes homens. Aliás, o que emerge para o leitor daquele texto é justamente a necessidade, no mundo contemporâneo, de se instituir a liçença paternidade também para homens, como já se faz em inúmeros países desenvolvidos. Mas você nem se lembrou desse aspecto; você simplesmente preferiu diminuir e menosprezar as dificuldades individuais deles, tachando-os de privilegiados, de aproveitadores, de passivo trabalhista, da MESMÍSSIMA MANEIRA que o seu colega machista se recusa a reconhecer o problema feminino da cólica menstrual. Depois ainda reclama quando dizem que o feminismo é o machismo ao contrário.

Iara De Dupont disse...

Anônimo, eu sou má, muito má! Né?
E vamos falar sério, querer comparar uma dor física, que pode ser profunda, como cólicas, olha tem desdobramentos viu, não é só cólicas, pode doer a cabeça, o corpo, enfim, comparar isso a um homem que acorda de madrugada para ver o bebê e chega no trabalho cansado? Não tenho dó. E olha, tenho uma moça que trabalha comigo, acabou de parir e chega chorando de dor, porque dói amamentar, e vou ter pena do marido dela?

E o feminismo é a luta pela igualdade, o machismo é a destruição da sociedade, como você pode ver não são sinônimos, nem antagônicos. O machismo é uma coisa tão estúpida que nem tem explicação, já o feminismo é um movimento politico por um mundo mais justo.

Mas preste bem atenção, você que tanto ama me visitar, eu nunca escondi de ninguém, nem neguei, sou feminista, mas tenho umas gotas de misandria no sangue, o que me impede de ter dó de macho. De vez em quando eu fico com pena, quando vejo algumas coisas, mas depois passa, graças ao bom Deus.

E sabe como passa? Os homens fazem passar, vou te contar como. Eu estava caminhando na rua quando começou a chover, tive que correr e me abriguei debaixo de um toldo de uma loja fechada. E dois homens fizeram a mesma coisa. Estávamos ali os três parados, quando eles começaram a mexer comigo e dizer coisas impublicáveis. Conclusão, fiquei com medo né! E tive que escolher entre ficar ali me arriscando, porque nunca sabemos que tão loucos os homens são, ou sair correndo. Tive que correr, me molhei, estraguei meus tênis e tudo por culpa de dois homens! Vou ter peninha? Pode virar meu blog inteiro e te garanto, pena de homem aqui não aparece, e se aparecer dura uns segundos.

Patrícia disse...

Dá revolta mesmo e só quem já sofreu dessa dor sabe o que é isso. Eu mesma já faltei no serviço algumas vezes por este motivo. E o pior é verem as mulheres que são suas superioras no serviço diminuindo a situação porque elas também são mulheres mas não sentem isso ou então mesmo com dor vão trabalhar então porque eu não aguento né?! Mas eu não estou nem aí, se estou com esta dor não vou mesmo quem quiser puxar saco de patrão trabalhando com dor que se dane, se morrer nem coroa de flores eles mandam, seja lá porque motivo for.
Engraçado que já pensei nisso, toda mulher que sofre desse mal deveria ter ao menos um dia de folga por mês porque sair de casa neste dia é uma tortura!
Mês passado mesmo senti uma cólica tão forte que até o ar me faltou, a sensação é que rasgavam por dentro. Mas graças à Deus eu estava em casa e não precisava sair mas falar que isso é frescura é no mínimo falta de humanidade!

Anônimo disse...

(...continuando)

Você não é má; você apenas reproduz a mesma lógica social que abomina porque o feminismo está limitando o seu senso de justiça e a sua compreensão da vida, ainda que ele tenha um papel positivo na sua formação pessoal.

Não relativize o desgaste pessoal necessário para cuidar de um bebê; trata-se de um esforço estenuante e enlouquecedor para quem realmente põe a mão na massa, seja homem ou mulher.

De fato, Iara, você tem razão somente em relação a si própria. Não apenas os homens estão impedidos de sentir compaixão pelo indivíduo do sexo oposto; você também está.

Anônimo disse...

Ai, Iara...Você tem que ter muita paciência, esse "anônimo" deve está apaixonado por você ou está se fazendo de ignorante para chamar atenção...rs, vai saber, né? Peninha de homem, só faltava essa... Mônica.

Iara De Dupont disse...

Vou te contar viu Mônica, nem eu sabia que era tão paciente!

Mas olha só, depois de cinco anos de blog eu ''acho'' que conheço alguns anônimos, difícil saber, não tenho como identificar. Mas esse anônimo faz tempos que me acompanha, ele fica revoltado com minha falta de compaixão pelos homens, não se conforma! Acho que deve ter mais raiva de mim do que do governo atual!

Anônimo disse...

Você colocou que alguns homens nao se compadecem da nossa dor.
Acho que são todos,toda vez que reclamo de alguma coisa ou a pessoa não liga ou diz que sente tbm.

C.Belo disse...

Eu tb devo ter não gotas, mas litros de misandria no meu sangue, viu! Pq lendo o comentário deste "covardônimo" senti vontade de estrangular ele. Eles são maus, covardes, insensíveis, assim como qq mulher tb pode ser, a diferença é que nós mulheres, QUANDO somos más, é pq temos BONS motivos, cansamos de apanhar; eles são maus por natureza, tanto q nem percebem quando estão sendo insensíveis. Como vc já mencionou em outros posts, o homem que faz o MÍNIMO que é de sua obrigação, como cuidar de SEU FILHO durante a noite, já se acha um HERÓI merecedor de todas as honras, merecedor de folgas no emprego tanto quando uma mulher vítima se dores físicas insuportáveis.

COVARDÔNIMO, se o seu objetivo aqui é fazer as mulheres se compadeceram do seu "sofrimento" por ter de acordar de noite para dar assistência ao SEU FILHO (pq vc esteve envolvido no processo de "fazê-lo tanto quando sua mulher, portanto vc não está fazendo nada além de sua obrigação), vc está FALHANDO!

Anônimo disse...

Haha, esses molengas dizem que o corpo das mulheres é mais frágil... eles é que são delicadinhos. Não aguentam uma sessão de depilação a cera sem gritar de dor. Quando se machucam é um drama, fazem escândalo por um arranhão que parece que as tripas deles estão caindo pra fora. Quando estão gripados ficam na cama morrendo que parecem que estão com peste bubônica. Uma vez vi um vídeo de dois apresentadores de TV, creio que eram holandeses, fizeram uma experiência em que foram a um hospital e colocaram eletrodos na barriga deles que faziam os músculos se contraírem imitando as contrações do parto. Chegaram rindo e fazendo piada, achando que ia ser moleza. Afinal, se as mulheres tão "frágeis" aguentam, como eles não aguentariam?

Passou uns dez minutos já não estavam fazendo piada. Meia hora, já não estavam sorrindo. Uma hora, estavam os dois afundados na cama. Uma hora e meia, pedindo pra morrer. Duas horas, termina o experimento. Os dois mal se aguentam, pálidos, abatidos, suados. Um dos caras disse que agora tinha muito mais respeito pela mulher dele depois de saber o que ela passou pra terem filho.

Essa é especial pra você, anônimo mascu. Duas horas e os caras já estavam zumbificados. Mulheres passam por 8, 10, 12 horas da mesma dor que os caras mal aguentaram por duas horas pra ter um bebê. E nem terá como eles saberem a dor do expulsivo, como bem disse minha mãe, ex enfermeira que teve três partos normais. E você jura que as mulheres é que são frágeis? Faz-me rir.

Huahua, imagino esse mané sentindo cólicas como a moça mencionada no texto e perturbando a vizinhança toda com os berros que ia dar, pedindo que o matassem pra acabar com aquela dor. Antes que me eprgunte, anônimo, não, não tenho pena de mascu molenga metido a machão.

Anônimo disse...

Sofrer todo mês para mensturar é com certeza problema de saúde. Procurem um médico. Se necessário, parem de menstruar, eu, devido a enxaquecas não menstruo faz 7 anos.

E querer que as empresas dêem os dias para mulher menstruada? Que ideia mais podre é essa? Como se já não houvesse discriminção suficeinte contra a mulher. QUal empregador em sã conciencia vai empregar alguém que não vai trabalhar 1/4 do mês? To pra ver ideia mais idiota. E talvez algumas sofram memso, mas repito: ão é normal, e estabelecer a exceção como regra, não ajuda EM NADA.

E sua colega chorava para amamentar? Que pare de amamentar, ora porra! Mais uma falacia: se não amamentar o nenê vai morrer, vai virar assaltante... parem com essas pressões para cima das mulheres.

E peço pelo amor de deus, parem de falar como as mulheres são sofredoras, só faz aumentar o preconceito contra nós. Pois se acharem que 1 semana por mês não podemos trabalhar, ninguém empregarà mulheres. Sem emprego, se dinheiro. Sem dinheiro, sem autonomia. Não é falta de emptatia. Eh simplesmente evitar mais prconceito.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...