ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

07 fevereiro 2015

Também sei histórias de Romeus que se foderam pela Julieta!



Sou daquelas pessoas que acreditam na família, não importa os ventos que passem, família é a única coisa que fica.
Nunca passaria por cima de família para alcançar objetivos profissionais, mas não acredito em largar tudo pela família.

E sempre me dizem que conto histórias no meu blog apenas de mulheres, vítimas de homens, mas não é bem assim, sei de suas histórias porque me contam ou vi elas de perto, e ainda acredito na matemática, mulheres apostam muito mais em relacionamentos e família do que os homens, por isso sua margem de erro é tão grande.

E meu blog não é uma questão de gênero nem de quantas histórias de mulheres que se ferram, mas já que reclamam que só falo de mulheres, resolvi contar uma história trágica que envolveu um dos meus tios.

Ele se formou em engenharia, apaixonado por carros de Fórmula 1. Era tão dedicado que estudou alemão e conseguiu uma bolsa para estudar na Alemanha, mas isso levou alguns anos e quando chegou a oportunidade ele já estava casado e com um filho.
Sua mulher não trabalhava, filha de um dono de várias padarias, os pais davam uma mesada.

Meu tio, sua mulher e o bebê de dez meses se mudaram para a Alemanha. As primeiras semanas foram tranquilas e meu tio era tão talentoso que o professor o chamou para fazer parte do seu grupo de trabalho, assim ele começou a estabelecer sua vida. Mas minha tia ficou doente, teve ataques de pânico e queria voltar ao Brasil. Meu tio contornou, mas de repente o bebê ficou com constipação intestinal, segundo um pediatra era porque a criança se assustava com os ataques da mãe e de tanto stress ficava doente.
O professor do meu  tio disse para ele pensar bem, mas não tinha outra solução e toda a família voltou para o Brasil.

Mas Deus é muito bom e a vida é generosa, assim que minha tia colocou os pés em São Paulo uma força milagrosa a curou do pânico.

Meses depois o professor ligou para meu tio, dizendo para que voltasse, mas a mulher não queria, já estava em sua casa, na sua vida de dondoca e não iria mudar nada.

Meu tio tinha o talento, a dedicação que se exigia, a vontade e  sonho, mas o Brasil não é um país voltado para a engenharia de carros de Fórmula 1. Por mais esforços que meu tio fizesse, não ia muito longe. Colocou alguns negócios, tentou várias coisas, mas não deu para voltar a sua paixão. Hoje é um respeitado professor universitário, que dá aulas de engenharia em uma das mais importantes faculdade do país. E aquele grupo de alemães que ele pertenceu um dia, são atualmente os que mandam na Fórmula 1 e em toda a engenharia que leva.

Ele continua casado com a madame e sua vida parece tranquila.
Do que me contaram sobre essa história, tive quase uma certeza, a madame da minha tia se excedeu.
Não dizem que vida a dois exige sacrifícios? Conheci vários casais que saem para estudar, na base de bolsa-estudante e passam aperto, mas seguram sua onda. E as centenas de casos de imigrantes?A pessoa não pode sair do lugar onde está ilegal. Tenho uma amiga que seu tio se mudou do México para Los Angeles e ficou trinta anos, trinta anos, sem ver seus pais e irmãos, porque não podia sair dos Estados Unidos, era ilegal. Ou seja, as pessoas se seguram no aperto, nas circunstâncias.

Minha tia se mudou para a Alemanha, com dinheiro e ficava fechada em um pequeno apartamento o dia inteiro olhando para a cara do bebê. É lógico que iria ficar doente, qualquer um surtaria em uma situação dessas.
Ela poderia ter colocado o bebê nas costas e ter ido dar uma volta pela cidade, finalmente restava na Europa e ainda por cima com dinheiro!

Também não quis procurar um tratamento na cidade, alegando não entender o idioma, mas poxa, Portugal está do lado, fosse para lá e se tratasse!

Meu tio foi decente, pensou na família, mas é uma pena que sua mulher não teve a visão  do que a decisão dela iria causar na vida dele.
Em seis meses de Alemanha ela teve as visitas dos pais, irmãs e familiares, todos preocupados com a saúde da princesa.
E  eu já tive síndrome do pânico, sei como esses ataques levam a gente a fazer coisas estúpidas, mas não entendo porque meu tio voltou, o certo era ela ter voltado para se tratar.

Me parece que tudo na vida temos que colocar um limite, caso contrário os outros passam em cima. Meu tio tinha que ter resolvido a situação de uma maneira que não saísse tão prejudicado. Caramba, ele estudou alemão durante cinco anos, pagou seu curso, trabalhava o dia inteiro e depois corria para as aulas. E pra quê? Para que tudo terminasse em seis meses porque a mulher não queria se tratar com médicos alemães? Que a mimada fosse à merda então! Tanta gente morrendo no mundo porque não pode pagar um médico e a mimizenta chorando que não entende o que um alemão diz! Desenha para o médico! Caramba! O dinheiro compra tudo,por que não mandou vir um terapeuta de Portugal? E não tinha nenhum médico que falasse português na Alemanha? Ah, pelo amor de Deus, minha tia não estava em Marte!

Ah, esses mimados e mimadas, são capazes de coisas terríveis, conheço bem essas peças, fazem o que tiver que ser feito para conseguir o que querem.

Tenho horror a pessoas-trator, aquelas que não consideram nem vêem nada na sua frente, passam em cima, com o tempo aprendi que somos nós que temos que lutar pelos nossos sonhos, sem esperar a ajuda de ninguém, inclusive Romeu e Julieta. E se a pessoa atrapalha nosso caminho, seja por chantagem disfarçada de amor, então passa em cima mesmo! Que se foda!

Meu tio se fodeu, jogou pela janela seu sonho e já estava lá dentro, não era uma possibilidade, era uma realidade. Agora só deve usar seu conhecimento em alemão na hora de comprar cervejas.

E a vida é tão irônica que tiveram apenas um bebê, que hoje mora na Polônia  e sua mamãe tem que viajar para outro país que não fala o idioma, se quiser ver o filho, coitada!

E o tempo passou, meu tio enterrou seus sonhos e hoje mora em um casarão que o sogro deixou, fica ali olhando para a cara da sua mulher, a madame mimada.

A conclusão é a mesma de sempre, quem sabe dos nossos sonhos e o que batalhamos por eles, somos nós. É nossa obrigação defender o que acreditamos e queremos. E não importa se é família ou amores, temos que estar imunes as decisões de outros que nos afetem diretamente. Ceder às vezes significa que somos otários e caímos em uma chantagem. Ter pena de alguém às vezes é um aviso que essa pessoa não vai ter pena de nós.
Defender um relacionamento, fazer tudo pela família, exige passar por cima de nós, não dá para fazer tudo, ou nos anulamos ou defendemos todos os interesses da família. São escolhas, mas a maioria das vezes a história termina do mesmo jeito, sempre que escolhemos defender o outro lado, matamos o nosso.

 Iara De Dupont

6 comentários:

Anônimo disse...

Oi, adoro seu blog. MAs nesse caso eu penso que o seu tio largou um sonho, mas ganhou a convivência com o filho. Talvez na época ele tenha pensado nisso, e escolheu o filho. Ele não está na fórmula 1, mas é um professor em uma ótima universidade, foi uma mudança de carreira, mas não foi o fim do mundo. Às vezes a vida faz isso, coloca a gente em uma encruzilhada e a gente tem que escolher o que achamos que será o melhor. Ele abriu mão do lado profissional, mas ganhou no lado paternal. Afinal, a gente nem sempre pode ter tudo, né?

leaveinsilence disse...

Pelo menos ainda estão casados. Pior seria voltar pro Brasil e a mulher trocar ele por outro e, pior ainda, ir morar em outro país levando o filho junto. Tudo bem que ele ainda poderia voltar pra Alemanha. Mas a estória podia ser pior ainda, acontecer isso e ele perder a vaga!

Anônimo disse...

Pessoas-trator kkkkkkkkkk.
Acho que foi castigo pra essa mulher ter a filha morando na Polônia, não sei da vida dela, mas deve ter feito o contrário que o pai fez...

Anônimo disse...

Esse é um dos motivos pelos quais acho libertador não ter filhos. Abrir mão dos seus sonhos por causa de gente mimada não é preciso, manda voltar sozinhx e se arranjar outrx, acaba e pronto. Mas quando tem filho no meio você acaba ficando preso de um jeito ou de outro. Tô fora! Prefiro priorizar minha própria vida.

Lucas disse...

Olá, gostei do blog e sofro da SMM também, muito boas ideias sem hipocrisia falando o que pensa de uma forma não usual como temos lido por aí. Estou retomando minha escrita desde o ano passado mas a temática é diferente, porém em breve pretendo mudar o que escrever depois que publicar meu livro como tu fez, parabéns!

www.meusonholucido.blogspot.com

Anônimo disse...

Não imagino como alguém pode fazer terapia em uma lingua que não entende. E fobias precisam de muita terapia para curar. Ao meu ver, seu tio teve compaixão e agiu por amor. Eu sou mulher e faria o mesmo pelo meu marido. Realização profissão é algo maravilhoso, mas podemos conseguir isso de tantas formas! Já família e pessoas que amamos... difícil de substituir.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...