ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

30 janeiro 2015

Não sabendo que era impossível, foi lá e fez

ACHEI QUE SEDUTORAS ERAM MULHERES ASSIM
                                                       
VANESSA, A GAROTA QUE QUEBROU O ESQUEMA MENTAL DE TODOS


Se ainda tenho uma margem de tolerância com comentários alheios é porque reconheço que um dia também pensei de maneira errada. Era bitolada e carregava ideias distorcidas, por isso quando escuto alguém ser preconceituoso me pergunto se está sendo por maldade ou ignorância.

Um episódio, no qual me envergonho bastante, aconteceu em São Paulo, há uns sete anos, durante um teste para um comercial.
São Paulo é um dos lugares mais organizados do mundo em relação a testes e agências. Os atores se cadastram em diferentes agências ou apenas uma e quando aparece alguma coisa com o perfil dele a agência manda seu material para a produtora, caso ele seja aprovado, é encaminhado para um teste. Isso facilita o trabalho de todo mundo, se evita aqueles constrangimentos de chegar para fazer um papel de mãe com apenas quinze anos ou o contrário.

Entrei no perfil de  ''gordinha'', um péssimo perfil, com poucos testes e quase todos humilhantes, porque gordinhas sempre são a parte engraçada das novelas, filmes e comerciais.

Um dia cheguei a uma produtora para fazer um teste. Somos poucas as atrizes gordinhas,  por isso sempre são as mesmas caras e todo mundo se conhece, nem que seja de vista.

Entrei na fila para anotar meu nome, quando escutei uma produtora falando sobre outro teste. Não é permitido a um ator chamado para um teste fazer outro, mas pode acontecer. Esperava minha vez quando uma atriz gordinha perguntou a produtora sobre o que era o outro teste e ela respondeu dizendo que era para um comercial de algum produto para a casa e precisava de uma atriz sedutora, então a atriz gordinha disse:

-Pode anotar meu nome nesse, vou fazer.

A produtora ficou gelada, depois disse que não poderia fazer isso, porque o perfil era bem específico, eram meninas tipo modelo, não  gordinhas. A atriz rebateu:

-Você precisa de uma atriz sedutora e eu sou uma. Faça o teste e deixe o pessoal do comercial decidir quem ele quer.

Percebendo que a coisa não ia morrer ali, a assistente da produtora entrou na conversa e disse que não daria para fazer o teste, as modelos já estavam esperando e eram ordens do diretor.

Vi quando a produtora e sua assistente saíram irritadas e aproveitei esse tempo para me aproximar da atriz e perguntar porque ela estava fazendo aquilo e me respondeu:

-Eu sou atriz e posso ser sedutora e se não me deixarem fazer o teste vou sair daqui direto a uma delegacia, vou fazer um boletim de ocorrência alegando preconceito.

Tentei explicar a ela que a agência estava no seu direito, assim como a equipe, se eles queriam apenas atrizes magras isso não era contra a lei.  Mas ela insistiu e me perguntou:

-Você concorda com eles? Eu não posso ser sedutora por que? Porque sou gorda? É isso?

É, concordo, uma gorda sedutora? Isso não existe. 

-Quem te falou que não existe?

Disse ela que era um comercial e até onde eu sei neste mundo, gordas não são sedutoras em comerciais e ela respondeu:

-Ótimo, está na hora de ser uma.

Me afastei, sentindo pena dela, achei que era uma pessoa boa em um dia ruim fazendo uma coisa estúpida.
Mas imagino que a conversa chegou ao diretor do comercial, que saiu do estúdio e veio conversar com ela para saber o que estava acontecendo. Lembro de outra atriz que estava ao meu lado que me disse baixinho:

-Essa é a hora que ele vai gravar bem o rosto dela, depois vai ligar a agência e detonar eles porque a mandaram, pode apostar, ela nunca mais vai ser chamada para teste nenhum, vai levar gelo por arrumar confusão.

Concordei com o que foi dito, até porque já vi muita gente levando gelo por menos.

O diretor conversou uns quinze minutos com ela, escutou seu ponto de vista e a deixou entrar para fazer o teste.

Não sei como foi o teste, mas ela saiu dando risada e mandando beijos para os que estavam fora. Entrei logo depois dela e ainda escutei uns comentários sobre a atitude dela, parece que deixou todos impressionados.
Pouco tempo depois esse diretor fez um filme e ela foi escalada ou seja, ele se lembrou dela.

Me arrependo do que disse a ela, mas naqueles dias eu acreditava que mulheres gordas não eram sedutoras, todas às vezes que eu pensava em uma mulher sedutora vinha à minha mente aquelas Angels, modelos perfeitas que desfilam para a marca Victoria´s Secret.

E essa semana aconteceu uma história (LINK) que me ligou a essa, a menina de quatorze anos, gordinha, que desfilou em um concurso de biquíni. Foi a mãe que a inscreveu, não ganhou, mas teve projeção nacional, todos sabem que a moça foi lá e fez. E isso apenas aconteceu porque existe um fator que eu mesma desconhecia, concursos não estipulam um peso, apenas a altura e idade.

Algum dia alguém disse que concursos eram apenas para moças magras e todas acreditamos nisso. Alguém disse que gordas são detestáveis e não são sedutoras e o mundo comprou essa ideia sem questionar.

Sou contra concursos de beleza e mais ainda envolvendo menores de idade, mas essa menina provou uma teoria simples, aquela de que estamos sendo guiados por regras invisíveis que não existem, estamos apenas supondo que as coisas são assim. Ela desfilando mostrou que nossos limites são mais internos do que externos, eu jamais teria desfilado porque na hora pensaria que apenas mulheres magras têm esse direito.

Tenho certeza que a atriz gordinha entendeu isso e o diretor também, ninguém disse que uma gordinha não pode seduzir, apenas disseram que todas que sedutoras são magras e todos engolimos isso como verdade.

Estamos cercados de falsas verdades e crenças, que ninguém nunca viu, mas acha que é assim. Passamos de geração em geração o preconceito, racismo e pensamos que deve existir uma razão para que as coisas sejam assim, e realmente existe, elas estão ali porque não questionamos nada nem nos perguntamos o famoso ''quem disse?''.

Muitas coisas eu nem perguntei, fui direto no senso comum e quebrei a cara. Acreditamos que tudo é uma ordem pré-estabelecida e nos comportamos como ovelhas seguindo o pastor, não perguntamos nada, porque sempre foi assim, então deve estar certo. 

E por mais simples que seja a história da menina gordinha que desfilou, tem seu significado, porque fez uma coisa que sempre que é feita muda a humanidade, assim como os primeiros marinheiros que não acreditaram que o mar acabava no horizonte e foram lá ver. O mundo gira por pessoas que não aceitam o estabelecido e vão atrás de suas própias respostas.

A menina precisou desfilar para que todos percebessem que não existe a regra do peso nos concursos, era possível desfilar antes, mas ninguém tentou, achou que era coisa para mulheres magras e desistiu. Reclamamos do preconceito, mas não fazemos perguntas nem tentamos desmontar a estrutura mental que nos cerca.

A história dessa menina me lembrou a importância de pensar duas vezes diante de uma coisa supostamente determinada.
Na hora que li sobre ela pensei naquele ditado  ''não sabendo que era impossível, foi lá e fez''.

Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...