ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

03 novembro 2014

Vou me casar! Vou ter um marido!

FIQUEI ASSIM NA IGREJA!


Sou da teoria que tudo parece fácil até a gente ir lá e fazer, nada é tão simples. E começo a entender que vou ter que experimentar algumas coisas na vida ou vou morrer sem entender nada.

Fui a uma missa e o padre perguntou se alguém tinha recebido alguma ''graça''. Uma moça se levantou e disse que fez uma novena a uma santa e seu marido parou de beber. Outra senhora levantou e falou que seu pedido se realizou, o marido parou de fumar. E mais duas falaram sobre suas promessas que foram cumpridas em relação aos seus casamentos. Nesse ponto eu já queria ser Hulk , pegar os bancos de madeira e jogar na cabeça de todas elas.

Poxa, na hora de rezar, ajoelhar e implorar para o santo tem que gastar sua pilha pedindo para o marido? Ele não pode ir na igreja e se virar? Por que a mulher tem que resolver até isso? Não tem nada que a mulher precise para ela?  Caramba, se vai encher o saco dos santos pedindo pelo marido que peça chuva para São Paulo!

Não entendo a  ''santificação'' da figura do marido e não adianta me dizer que isso tem a ver com nível social e independência da mulher, porque já vi casos sérios, de mulheres bem sucedidas, mais do que o homem, chamando o rapaz de  ''meu marido'' como se fosse um título de nobreza.

Desconfio que vou ter que me casar para conhecer então essa figura mitológica, esse dragão que merece todo o respeito e meu tempo, merece até que eu vá na igreja me ajoelhar para alguma santa implorando pelo seu ''bem''.

Tento desesperadamente, mas  minha ignorância não me permite ver o que existe de tão magnífico, incrível, na figura do   ''marido''.

Nunca passei pela experiência e no fundo da minha alma pensava não passar por ela, mas vejo tantas mulheres hipnotizadas que me parece interessante entender o que está acontecendo. E já escutei celebridades lamentando não ter um ''marido'', então o negócio deve ser bom mesmo, porque a pessoa é famosa, rica e conhecida, tem acesso a tudo no mundo e lamenta não ter um ''marido''?

Tenho uma amiga que se casou e separou logo em seguida e uma vez perguntei a ela como era estar casada, foi longa sua explicação, mas finalmente resumiu tudo em umas linhas:

-Olha, casamento entre homem e mulher é a coisa mais estranha e difícil do mundo, como duas espécies que não combinam sabe? Para mim foi como ser uma girafa e ter um elefante no meio da minha sala. Só dava merda! Leva um para tua casa e vai ver como é! Você vai passar a vida inteira limpando bosta alheia!

Foi a melhor explicação de casamento que já escutei, mas também já me disseram que minha posição é covarde porque eu nunca casei, é verdade, não casei, mas agora vou casar para ver como é.

Sou de natureza pacata, mas de vez em quando me sinto atraída pelo abismo e quem não gostaria de conviver um minuto que fosse com uma criatura mitológica, uma divindade como o  ''marido''? 
Esse que pelo qual vale a pena até negociar com os santas e santos católicos, justo eles que são cheios de exigências, mas se a esposa pedir pelo marido eles colaboram com a causa.

Já tive a sorte de viver algumas coisas na vida, por  que não conviver um pouco com o fantástico ''marido'', esse que merece até promessa? Pelo o que escutei na igreja deve valer a pena, não sei quantas novenas as moças fizeram para alcançar a graça de salvar a alma dos maridos,  mas pelos seus rostos valeu a pena. Deve ser como salvar um animal em extinção, ou coisa assim.

Em cinco anos de blog tenho sido muito criticada 
pela minha postura anti-casamento, acho e vou morrer achando que a mulher deve primeiro pensar na vida dela, se quiser encher o saco dos santos que seja a seu favor, não do  ''benhê'',  mas pelo que vejo eu sou a errada, a que se nega de maneira estúpida  a conviver com uma figura quase divina, o ''marido''. 

Ora, que importa o que eu fizer da minha vida se não tiver um ''marido'', meu carimbo sagrado, entrada para o reino da eternidade? Do que serve minha vida se eu nunca entrar em uma igreja de joelhos pedindo uma graça para meu esposo? Que lixo de vida eu teria sem conhecer esse semideus e poder servir a ele!

Uma vez um anônimo escreveu o seguinte:  ''enquanto você não casar não sabe de nada inocente!''. 
É, obrigado anônimo, hoje na igreja Deus me iluminou e mostrou o caminho, sem um marido eu não serei digna dos santos, não vão nem escutar minhas preces. Mas já estou virando minha agenda de telefones atrás de um Romeu disponível para se casar comigo e com a graça dos santos católicos vou receber essa benção antes do Natal, se Deus quiser, eu me caso na vespéra do ano novo. Que assim seja.


Iara De Dupont

19 comentários:

Anônimo disse...

Se case antes do ano novo e se divorcie antes do carnaval! kkkk

Anônimo disse...

kkkk,sei que a coisa e seria,mas nao pude deixar de rir sobre "passer o resto da vida limpando a bosta alheia". Eu me casei cedo,porque quis,porque nao sabia da sereiedade do negocio e muito menos de que o pesado fica com a mulher. Hoje eu penso o seguinte,casamento pode ser bom,em alguns casos,mas tem que negociar muito porque se nao é o que voce vive falando aqui,a mulher se ferra,vive em função do outro,limpa muita,mas muita bosta alheia para dizer para a sociedade que "venceu " na vida. Por mais que a sociedade insista em ver o casamento como a cereja do bolo da mulher eu não penso assim,acho que por mais legal que seja construir uma familia quando isso é o sonho da pessoa,a mulher pode fazer tudo o que quiser da vida sem marido,não precisa mais dele para sustenta-la ou ser aceita na sociedade. A unica coisa que me faz acreditar que o casamento pode ser muito bacana é uma frase da Elizabeth Gilbert,que depois de quebrar a cara em um casamento resolveu nunca mais se casar,conheceu um cara legal,se casou e colocou sua experiencia no livro "comprometida". Ela diz que as vezes a vida é muito dificil ou muito boa para não dividir com alguem. Casamento se for parceria pode ser bom demais,e não acho tão dificil hoje em dia encontrar alguem disposto a partilhar ao inves de ter uma parideira e domestica. Eu eduquei minha filha para que ela tenha alguem caso queira e jamais porque precise ou dependa. Nossa mentalidade não mudou muito né,ainda nos sentimos responsaveis por tudo,até pela espiritualidade do marido ( kkkk),quando na verdade somos responsaveis pelos nossos sonhos e por esses muitas vezes nem rezamos nem lutamos.

Anna Lara

Anônimo disse...

Mulheres têm prazer com a submissão:

http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2014/10/31/estudo-revela-fantasias-sexuais-frequentes-entre-homens-e-mulheres/

Anônimo disse...

O homem que se casar com você merece o trófeu de idiota do século.

Iara De Dupont disse...

Calma anônimo, nem casei ainda e já está se contorcendo de ciúmes? Calma, calma....

Isabela Matos de Resende disse...

Nossa, que maldade. As pessoas rezam pelas outras porque quem ama cuida. Se vc ama alguem e esse alguem está numa situação ruim a sua reação é tentar ajudá-la no que vc puder. Isso se chama AMOR. Geralmente é o que se tem quando as pessoas são CASADAS. Mas não é por nada não, porque pelo tom que vc escreve fica parecendo que vc tem inveja de pessoas casadas e faz o que pode para combater isso. Me corrija se estiver errada mas foi justamente essa a impressão que passou.

Patrícia disse...

Também não vejo o porque de tão incrível "ter marido". Pode até ter pessoas que dizem que é o máximo e tal casamento, só que eu não acredito. Pode ser bom ou ruim como qualquer coisa na vida. Eu não conheço ninguém que vive melhor, mais feliz, só porque casou. Para mim o que importa é que eu não vou ser infeliz porque sou solteira. Eu prefiro rezar para que Deus me ilumine a não cair em ciladas.

Tadeu Diniz disse...

Conheci uma pessoa que dizia que casar é o mesmo que investir em firma falida. Depois de casar e separar, concordo, é realmente investir em firma falida. Iara, você está certa, nos dias de hoje quem casa é louco, ter alguém ao seu lado é ótimo para dividir experiências, acalmar nas horas difíceis e amar. Mas não precisa casar, pode ser cada um na sua casa. Acredito que dure até mais.

Tadeu Diniz disse...

Iara, quer casar comigo? Mas você continua aí em são paulo e eu aqui em minas! Vai dar certinho, nunca vamos brigar!!! Kkkkkk Marca a data!!!

Iara De Dupont disse...

Bora Tadeu, adorei a ideia! E ainda por cima Minas e sua fantástica gastronomia, cachoeiras e vida mansa! E sempre defendi o casamento dessa maneira, cada um na sua casa, mas se for cada um no seu estado melhor ainda, rsrsrs........

Paulinha disse...

Amor é igual a casamento? As pessoas se amam por que estão casadas? Foi a impressao que você passou. A Iara em momento nenhumbdisse que casados sao necessariamente infelizes mas que normalmente a carga do casamento fica com a mulher. O que eh verdade em TODOS os casos que eu já vi....

Anônimo disse...

Pobre de quem se casar com você, pois conhecerá o calvário do abuso.

Anônimo disse...

Casamento, pra mim, só funciona se for algo a ser modelado de acordo com o que o casal quer, sem essa de regrinhas estúpidas pré-estabelecidas que se você não se encaixar o anormal é você. Pô, as pessoas são tão diversas, por que um casamento tem que ser sempre no mesmo modelinho ou "não vale"? Parece até birra de pirralho mimado. A sociedade, a igreja, o resto da família e mais do que tudo os palpiteiros de plantão (os pirralhos mimados da história) tem é que ficar mais que de fora. Casamento tem que ser PORQUE os dois querem e COMO os dois querem. Não concorda? Manda ir catar cajá em pé de coco.

Anônimo da submissão: e daí? No que essa GRANDE REVELAÇÃO (SQNÃO) de que algumas, não todas, as mulheres gostam de ser submissas na cama legitima esse seu machismo de b%#ta? Em nada. Vai fazer trenzinho com o pessoal do fórum e deixa o resto do mundo em paz.

Iara De Dupont disse...

Poxa, anônimo, nem casei e já tá zicando, dizendo que o coitado vai ser abusado? Sorte de quem casar comigo, viu? E não será sua sorte.....

Iara De Dupont disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabela Matos de Resende disse...

Em momento algum generalizei nada. Há sim casais que se casam e se arrependem assim como também há casamentos que dão certo. Eu critiquei o fato da Iara achar errado rezar pelo cônjuge e repito: quem ama cuida porque aquele que se casa GERALMENTE é porque ama o outro(a).

Tem gente que faz questão de não entender certas coisas.

Iara De Dupont disse...

Isabela, o que eu quis dizer e talvez não fui clara, é que não tenho nada em contra de rezar por outras pessoas, acredito no poder da oração, acho que mães que rezam pelos filhos os protegem, e penso que a oração é tão poderosa que vale até para ajudar desconhecidos. O que eu quis dizer é que a igreja estava lotada e nenhum homem se levantou para dizer que rezava pela mulher, para mim isso vem da questão cultural, a mulher é moldada para estar sempre pensando nos outros e no seu bem estar, ignorando suas vontades, veio dai minha revolta de não escutar nenhuma mulher dizendo que pediu alguma coisa para si mesma.
Quem casa é porque ama, concordo, mas só nós mulheres somos educadas para pensar que o casamento exige que a mulher faça tudo, inclusive rezar.

Isabela Matos de Resende disse...

Agora sim entendi seu ponto de vista.

Patricia disse...

Sou religiosa e casada,e entendi desde o inicio a ironia e o ponto de vista porque casamento,mesmo quando dá certo,não é a oitava maravilha do século para a mulher,não...a gente sempre se sobrecarrega sim,mesmo quando é um cara que ajuda e compreende,porque tem familia,igreja e sociedade cobrando tudo e pressionando o casal,mais os próprios desentendimentos e altos e baixos que acontecem em qualquer envolvimento de longa data.Pronto,falei,agora joguem bosta na Geni...

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...