ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

10 novembro 2014

Teus amigos são machistas! É verdade, mas quem não é?

A MOÇA DO SUPERMERCADO ESTAVA VESTINDO UMA IGUAL



Quando escrevo sobre meus amigos um pessoal diz''teus amigos são machistas''! E meus amigos passam aqui e reclamam que ''conto tudo'' e jogo eles na ''fogueira'' de propósito.

Não é nem uma coisa nem outra. Também achei por um tempo que machismo era um defeito, consequência de uma educação patriarcal, fácil de mudar e transcender.
Levei anos para perceber que o machismo está no sangue, no DNA e mesmo querendo não é tão fácil superar. Historiadores dizem que se levam em média cem anos para mudar uma maneira de ver a vida, acrescentar novos fatores e aceitar outra realidade.

E a consciência que muitas mulheres adquirimos em relação aos nossos direitos é relativamente nova, mesmo as principais  obras feministas ainda não completaram seus cem anos.

Por isso insisto em se cuidar da  ''fofice masculina'' e dos homens que  garantem ser ''feministas''.

Minha perspectiva começa com minha vida, não tenho como medir o que outros pensam e todos os dias eu luto contra o meu machismo, porque fui educada assim e estou rodeada de mulheres machistas. Todos os dias tento vigiar o que como para não engordar e o que penso para não perpetuar o horror que já vivo.

O outro dia estava no supermercado e na  minha frente tinha uma moça, com uma roupa de academia, super justa e curta, toda grudada que marcava bem o bumbum malhado e os seios grandes, usava tênis e muita maquiagem. Todos os homens do supermercado pareciam hipnotizados, até o segurança se aproximou fingindo que estava procurando alguma coisa ali perto. Na hora que olhei a roupa dela tão curta, pensei  ''mas porque uma mulher se veste assim para ir ao supermercado? Deve ser muito vadia mesmo''.  

Depois que esse pensamento cruzou minha mente comecei a ter vergonha, eu sou feminista e acredito na liberdade na hora de vestir, a mulher tem o direito de se vestir como quiser, mas naquele segundo predominou minha educação machista que deixa bem claro o que é  roupa de mulher decente e de vagabunda. Minha alma dizia que a moça estava certa em ser livre e isso inclui escolher a roupa que quiser, mas minha mente pensava  ''mas tem que ser tão curta e justa para ir a um supermercado?''.

Acho que a mulher percebeu que eu estava intrigada e se virou e começou a conversar comigo, muito simpática, mas me impressionou sua tranquilidade diante de tantos olhares, os duros olhares da ala feminina e os libidinosos olhares da ala masculina.

E não defendo meus amigos, sei que são machistas, mas se eu que estudo tanto para mudar ainda sou capaz de no primeiro segundo julgar uma mulher de maneira tão estúpida, imagine um homem que nem se dá o trabalho de saber o que são os direitos da mulher.

Uma amiga sempre me diz que homens são como um saleiro, é só agitar que sai o sal, ou seja, o machismo, não adianta o homem dizer que é feminista porque nenhum é, isso exigiria um trabalho enorme que tenho certeza nenhum quer ter.

E semana passada aconteceu uma coisa muito chata no Big Brother da Suécia, dois participantes foram expulsos porque tentaram obrigar uma moça a fazer sexo oral neles, isso que estavam em uma casa com oitenta câmeras! 

Pensei no primeiro momento que deveriam ser participantes imigrantes, porque são os mais conhecidos pela sua violência e não é preconceito da minha parte, são os suecos que vendem a imagem de que  são feministas, tolerantes e vivem na melhor sociedade do mundo, dizem que as mulheres têm todos seus direitos reconhecidos na Suécia. Mas eram dois rapazes suecos, que ao saírem foram às redes sociais se dizerem injustiçados, um deles se dizia vítima da armação da moça e ainda emendou  ''sobre a provocação dela, se trocando na nossa frente ninguém fala nada né?''.

Pois é, dois suecos dizendo que foram provocados pela mulher por isso avançaram nela!
Em uma entrevista o diretor do programa disse que teve que expulsar os rapazes para dar o exemplo, porque a Suécia enfrenta há anos números altos de estupro. Um país como a Suécia tem os mesmos números de violência sexual que a Guatemala, um lugar pobre e sem futuro.

Não digo que como mulher temos que ser tolerantes com o machismo dos amigos, mas não dá para cortar o convívio por isso, se fosse assim eu não falaria nem com o porteiro do meu prédio.

Meus amigos são machistas, minhas amigas são machistas, minha família é 
machista, ao meu redor tudo é machista, o mundo é machista e parece que os alienígenas também são. E sou uma só, tentado me mudar antes de mudar qualquer coisa.

Não acredito em homens feministas, nem em conversas neutras. Sou vegetariana e sofro muito para largar o queijo ricota.

Me aconselham muito a trocar de amigos e agradeço a gentileza de dar um conselho, mas meus amigos não são o problema, que é infinitamente pior do que parece. Se eu quisesse um mundo melhor e amigos melhores teria que trocar de planeta.

Não sou feminista ainda, eu me torno todos os dias, mas bato de frente com o que me foi dito ao longo de mais de trinta anos, é um processo lento que ainda me aborrece muito, ainda sou pega em discussões com pessoas da minha família por comentários machistas.

Uma mulher da minha família leu o post  ''Errou de buraco?''e me disse que aquilo ali não era possível, o homem poderia até errar no buraco, mas se a mulher deixou é porque quis. Não consegui fazer essa mulher entender que é uma questão de força física, se um homem cria essa situação a mulher não consegue se defender. Me aborreci tanto nessa discussão que tive vontade de jogar uma cadeira na cabeça da pessoa.

Meu problema não são meus amigos, é o machismo e tudo que ele consome, o cansaço que gera e nem deveria dizer, mas quantas vezes me pergunto se vai chegar um dia onde tudo isso será passado e poderemos nós, mulheres, viver de maneira mais pacífica e livre, sem a constante violência e vigilância do patriarcado.

Como muitas mulheres estou exausta, parece que luto contra dragões todos os dias. E não tenho escolha, o mundo em algum momento vai ter que mudar, porque o patriarcado não é um lugar bom para ninguém, nem para os homens.

E algumas feministas têm sido duras comigo, dizendo que disfarçadamente eu defendo os homens, mas se elas assimilaram o feminismo de maneira automática, sorte delas, no meu caso não foi assim. Eu luto contra minha educação, assimilei o feminismo na alma, lugar onde acredito em um mundo de iguais, mas minha mente ainda precisa se adaptar a ser feminista em um mundo que odeia as mulheres e ainda acredito que os homens também pagam o preço de viver uma sociedade machista. Estou convencida que o feminismo é a única saída, mas não posso em nome disso me isolar de todos que pensam e agem de outra maneira. Sou tão idealista que penso que ao conviver comigo algumas pessoas machistas podem perceber que existe outra maneira de pensar e talvez comecem a abrir seus olhos e comecem a mudar. Talvez.

Iara De Dupont


6 comentários:

Anônimo disse...

Concordo com voce, os homens são machistas, nossa cultura é machista, temos um longo caminho para lutar contra isso e não viveremos o suficiente para ver o fim disso. Porém, posso lutar pelos meus direitos usando uma roupa descolada, bonita, mas de acordo com o ambiente onde estou. Isso não é questão de feminismo ou de machismo, apenas de noção do ridículo... Não vou a academia de vestido com fenda, nem de calça jeans, então não preciso ir ao mercado de roupa de ginástica!!

Anônimo disse...

É difícil mesmo mudar, são muitos anos e muita porcaria pra tirar da cabeça, e se a pessoa não quer aí é que fica difícil mesmo. Quanto a esse negócio das roupas, confesso que eu resolvi me lembrando sempre de que não é problema meu. Se pensasse algo assim, já dizia pra mim mesma "Ei, mas eu não mando nada aqui, essa moça não me deve nada, pode se vestir como quiser e ponto." E acaba por aí. Mas é um exercício que tem que ser repetido o tempo todo, o tempo todo mesmo. Hoje já é natural pra mim ver uma moça e nem ligar pro que ela veste, mas levou um tempinho e muito esforço. E é assim que a gente vai desconstruindo machismo. É trabalho de formiga.

Tadeu Diniz disse...

Iara, você tem toda razão. Com certeza alguém pode melhorar a visão convivendo com você, mas pessoa tem que querer travar uma guerra mental, assim como você faz.

Suzana Neves disse...

Eu vivo em batalha constante para por em pratica em que acredito hoje e o que me vem na cabeça de primeira é difícil é mas eu tento todo o dia já diminui as cargas sobre mim mesma e isso foi libertador.

Agora se eu não for falar com uma pessoas que tem comportamento machista, não falo nem comigo no espelho porque escorrego.

C.Belo disse...

Iara, eu li o tal post "Errou de buraco" e pensei, a príncípio, o mesmo que sua tia, já que é bem fácil, dependendo da posição, o negócio escorregar pro outro lado, mas daí a entrar no 'buraco errado' só se a mulher tivesse uma caverna do dragão ali ao invés de um buraco kkkkkk

Mas entendo o que vc quis dizer, muitos forçam esta situação e burra é a mulher que não grita, não se contorce, não luta pra sair dali e deixar BEM claro que não é aquilo que ela quer e, se o cara tentar forçar mesmo assim, ele ao menos não poderá depois ter a famosa desculpa "mas na hora vc bem que gostou". Ele vai ter de assumir que estuprou a mulher e ponto.

Passou pelo facebook dia desses o que seria a cartilha de comportamento da mulher distribuída no bar Devassa. acredito que a intenção era ser algo bem humorado, mas foi bem infeliz ao reverberar a velha ideia de que "se o estupro é inevitável, relaxa e goza". Relaxa e goza o escambau, tem que gritar por socorro, tem que tentar dar um cruzado na fuça e uma bica nos cornos mesmo! Mané relaxar e gozar, isso que é o câncer dessa sociedade, a ideia de que a mulher é frágil e tem que ceder para sofrer menos. E tinha gente (homem, claro) defendendo esta ideia, dizendo que "estudos" mostram que muitos estupradores desistem do ato ao ver que a mulher está paradinha e calma (como se isso fosse possível), pq isso tiraria boa parte do prazer do ato de estuprar. A mim me parece mais um artefício para culpar a mulher: "ah, mas vc se debateu? quem mandou, devia ter ficado calma".

VAI PRA PUTA QUE OS PARIU!!!! Me poupe!

Anônimo disse...

Nada nunca tá bom.Ficam enchendo falando que querem sexo anal,oral.Que a mulher tem que fazer isso se não faz é ruim de cama vai levar chifre,vão procurar na rua.
Se aparece um video intimo com uma mulher fazendo isso com o namorado ou o ex ela é uma vadia desgraçada que merece morrer da pior forma possivel.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...