ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

11 novembro 2014

Isso é falta de homem!

Seria impossível escrever tantos posts se não contasse com a nobre ajuda dos anônimos mais exaltados. Eu coloco um post, eles mandam emails e acontece um desdobramento natural, até porque na fúria deles muitas vezes dizem coisas que pessoas da minha família também falam.

No post ''Tem coisas que só eu  posso fazer'' (link) escrevi um pouco sobre meu desânimo em relação a me arrumar e cuidar mais. Então alguns anônimos disseram que isso  ''era falta de homem'', que mulher que ''tem homem'' se cuida para não levar ''um chute na bunda''. Uma moça quis me ajudar e gentilmente disse que assim que me apaixonar vou me mais sentir animada e com pilha para me cuidar.

Em algum momento me avisaram para não dar  ''bola para os anônimos'', mas me vejo obrigada a fazer isso quando existe um pouco de honestidade no que eles dizem e sei do que estão falando.

Faz pouco tempo que descobri que sou um ser individual, mas durante anos acreditei que nas épocas que estava namorando me cuidava mais mesmo. Era o auge da minha ignorância e pensava, assim como muitas mulheres, que quando estava  ''apaixonada'' vigiava mais minha alimentação e cuidados estéticos. Também escutei muitas vezes da minha avó que homens não gostam de mulheres largadas.

E lembro de uma história com uma amiga da minha mãe, a filha dela namorava há uns anos, um dia o namorado foi visitar a moça, era muito cedo e por algum motivo minha mãe estava lá e abriu a porta, depois alguém chamou a moça que desceu para encontrar o namorado.
Não parecia nada demais, mas depois que o namorado foi embora o mundo pegou fogo, porque minha mãe que conhecia a moça desde bebê e a mãe dela ficaram bravas e deram um bronca gigantesca. O motivo? A moça tinha descido as escadas para se encontrar com o namorado de pijama! Até hoje minha mãe não se conforma,  disse que a moça desceu com o rosto amassado, o cabelo desarrumado, uma total falta de respeito com o namorado.

Eu cansei de ver na minha casa homens sem camisa, com bermudas amassadas e ninguém dizia que eles estavam faltando o respeito com as mulheres.

Acreditei durante  muito tempo que se não estava com ninguém podia ficar um pouco largada, não pensava em mim, parece que meu bem estar ligado ao cuidado estético era apenas para o desfrute dos homens.

E como não era muito atenta a tratamentos e coisas assim sempre me apaixonei por homens que sabiam mais ou fingiam saber e me massacravam.  Mas na minha cabeça eles estavam no seu direito de dizer as coisas, já que eram meus namorados e eu não podia estar  ''largada''.
Uma vez eu estava falando com um Romeu sobre um perfume que iria comprar e ele me respondeu:


-Poxa, se você gastasse em cremes para celulite o que gasta em perfumes, seria perfeita!

Foi só quando esse namoro terminou, no auge do abuso, que sem pensar acabei me isolando um pouco. E nesse isolamento comecei a perceber quem eu era, o que gostava e que minha vida não estava ligada a nenhum homem, nem ao seu amor. Larguei mão de muitas coisas que não funcionam mais para mim e fui buscar o que eu realmente gosto, longe de tanto lixo. E gosto de arrumar o cabelo, mudar de perfume, mas por mim, não pelo Romeu.

Mas tudo isso é um processo de reconstrução, não nasci desse jeito nem estudei psicologia. Foram anos entrando e saindo de relacionamentos abusivos, de crises de autoestima e todas as coisas erradas que me ensinaram, dizendo aquela frase  ''é assim''.

Ainda me procuro, me junto, me colo, me perco, me acho novamente, tento nesse mosaico saber quem eu sou, depois de décadas submergida em todo o lixo cultural que me jogaram. Nem sei como sobrevivi, mas ainda não posso comemorar, não é só a liberdade que importa, é saber quem sou e isso leva tempo, vou devagar.

Mas ainda assim tenho grandes momentos, como o outro dia que comprei um perfume, foi uma das primeiras vezes que pensei no que queria, guiada pelo meu gosto. Pode parecer bobagem, mas já deixei alguns perfumes que amava pra lá, porque um Romeu não gostava de perfume doce, outro de perfume forte, outro de perfume que cheira a  ''incenso''. Já tive o cabelo longo sem gostar porque Romeu gostava. Já usei mais maquiagem, menos maquiagem, porque Romeu pedia. Não tenho vergonha de dizer que era boba e ignorante, pelo contrário, me sinto uma abençoada porque saí viva de tantos abusos e retomei o controle da minha vida. E sei pelos números que vejo todos os dias que sair viva é uma questão de sorte. Sou grata por isso.

Iara De Dupont



Um comentário:

Anônimo disse...

Eu já ouvi muita coisa parecida.Como eu tenho depressão as vezes não tenho vontade de sair da cama,tenho surtos de comer até a barriga começar a doer,com uma fome esquisita que não acaba.Sem vontade de escovar os dentes ou tomar banho.
Algumas pessoas me aconselham(a grande maioria com boa intenção)a arrumar um namorado.
Só uma moça que trabalhou comigo me disse algo realmente bom.Fazer terapia.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...