ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

10 novembro 2014

Apenas 50% é nossa culpa




Todos os argumentos machistas são frágeis, pobres e fáceis de derrubar. A base de todo o preconceito é o ódio, esse que cega e não deixa ninguém pensar nem perceber a realidade.
Existe apenas um ponto no machismo no qual eu assumo 50% da culpa, entendo o que é dito e tenho plena consciência que só as mulheres podem resolver.

Aquele velho argumento de que somos nós, as mulheres, que educamos os homens. É pela mãe que o menino começa a enxergar o mundo, claro que ele vai ficar exposto a cultura, família, amigos e escola, mas com uma boa formação materna no começo é possível, talvez, educar um homem melhor.

Em algum momento fiz teatro na rua e um dia na correria um ator esqueceu sua mochila, fui pegar e percebi que era muito leve, ao contrário da minha. Perguntei o que tinha ali e me disse que só umas peças de figurino. Não tinha consciência na época, mas percebo hoje como as coisas estavam claras na minha frente. Minha mochila e das outras atrizes sempre tinha comida, água, papel higiênico, caixa de primeiros socorros e maquiagem. Quando um ator precisava costurar seu figurino olhava com cara de coitado e alguma atriz corria para costurar. As atrizes do grupo agiam como mães e os atores sabiam, não precisavam nem carregar água porque sempre tinha uma garrafa na mochila de alguma otária, incluindo eu.

E por que era assim? Porque fui educada dessa maneira, sempre pronta para servir os homens. Desde pequena no Natal me pediam para colocar a mesa, junto com minhas primas. Lembro de uma prima bem pequena, carregando uma garrafa de refrigerante pesada e tentando colocar na mesa. Vi minha mãe, avó, todas fazendo a mesma coisa. E vi meus primos brincando em festas, jantares e ninguém pedia nada a eles, não colocavam a mesa, não tinham que tirar, nem ajudar em nada. Meus primos, meu irmão, não eram educados pelos homens da casa, ou pelo menos não o tempo inteiro. Eram as mulheres que colocavam as regras, eu escutava minha avó dar ordens as meninas ao mesmo tempo que protegia e cuidava dos meninos.
Alguns primos viajaram e aprenderam a se virar, mas se tem uma mulher por perto nem se mexem. E outros ficaram tão estúpidos que não sabem nem esquentar água.

O machismo esconde isso, mas os homens também pagam pela educação errada, ser educado à maneira latina, sem saber arrumar uma cama, fritar um ovo ou respeitar uma mulher cria seres humanos execráveis.

Se eu tivesse tido um filho há dez anos tenho certeza que hoje seria uma criança insuportável. Eu o teria mimado, protegido do mundo e repetido todos os padrões ruins que aprendi.
Ter noção da desigualdade na educação é um fator novo para mim.

Lembro de uma vez que fui buscar meu sobrinho para ir ao parque, a mãe dele se aproximou e me deu dinheiro, caso o menino quisesse beber alguma coisa. Meu irmão viu e disse:

-Não precisa, a Iara deve ter o lanche e o suco no carro.

Não disse nada porque o menino estava no meu colo, mas depois reclamei com meu irmão, disse que não era babá nem merendeira, mas sabia que ele tinha razão, eu levava água, suco e lanche suficiente para três exércitos de crianças. Já estava passando a mensagem ao meu sobrinho de que não era preciso se responsabilizar por nada, sempre haveria uma mulher por perto que pensasse em tudo. E graças a esses pequenos gestos eles crescem vendo as mulheres como empregadas, escravas e sempre à disposição.

E no meio da confusão de Marcelo Adnet sua mãe (linkveio a público para defender o filho, coisa justa porque é mãe. Mas está protegida pelo manto do machismo, ao lado dos homens, se fosse a mãe da moça que aparece nas fotos aos beijos com Marcelo estaria sendo linchada nas redes. Disse que o filho não merece esse  ''linchamento'' e que  ''a traição ter se tornado pública  ''é uma invasão de privacidade profundamente desrespeitosa, ofensiva, humilhante e degradante''.

Esqueceu de dizer que seu filho estava em uma rua, lugar público e ser fotografado na ali não é  ''invasão de privacidade'' , se quisesse fazer escondido deveria ter ido a outro lugar, não um bar com mesas no meio da rua.  E estava beijando uma mulher que não era sua esposa. Se existe alguma coisa humilhante na história é o papel da esposa e da moça que hoje é linchada nas redes sociais.
Fiquei me perguntando qual seria a posição dessa mãe, caso  fosse mãe da mulher traída, não do homem que traiu.

E não adianta criticar a mãe de Marcelo, é recente a ideia de que temos que educar os meninos para respeitar as mulheres e entender que os compromissos não tem essa flexibilidade que o mundo faz parecer, se quer curtir que fique solteiro, mas se casou é natural esperar que seja homem e banque o compromisso. 


Faz pouco tempo que as mulheres entenderam a importância de educar um homem para que não estupre, em vez de educar a filha para que se cuide de estupradores. É um processo lento, ainda são poucas as mães envolvidas e se alguma coisa está acontecendo nesse sentido só vamos saber daqui a vinte anos, quando esses meninos crescerem, virarem homens e forem para à rua.

A mãe de Marcelo o educou nos anos setenta, começo dos paradigmas quebrados, mas não na sua totalidade. Ela cumpriu seu papel de mãe, defendeu o filho, ignorou que quem causou tudo foi ele, não a mídia e quem saiu magoando duas mulheres também foi ele.

Mulheres mimam os meninos, aplaudem, protegem e depois os jogam aos leões, a cultura machista onde começam a ser massacrados. E crescem assim, sem respeitar nenhuma mulher, fazendo molecagem e precisando de ''mamãe''  para defender. Não temos toda a culpa do mundo, nem do machismo que contaminou o planeta, mas somos responsáveis pelos primeiros anos de vida de um menino e se justo nesse tempo o educamos como um rei, temos as consequências diante de nós, um mundo cheio de homens que se acham reis tratando todas as mulheres como escravas. Já é hora de reformular a educação que eles recebem e pensar com mais calma sobre o assunto, meninos são fofos e lindos, dá vontade de mimar mesmo, mas eles crescem e viram esses homens violentos, cretinos, abusivos e malucos, que destroem a sociedade, envergonham a mãe e magoam a mulher.


Iara De Dupont


5 comentários:

Suzana Neves disse...

Outra coisa é demonstrar ao filho que tem respeito pelo próprio corpo.
Conheço mãe que o filho.não respeita por ser obesa.

Anônimo disse...

Ai, ai, as mães... mas os pais também são assim, às vezes. Meus pais mimaram meu irmão. Eu e ele temos problemas com timidez excessiva, mas adivinha quem meus pais encheram o saco até não aguentar mais pra fazer terapia, e quem eles deixaram pra lá quando disse que não queria? É, meu irmão disse uma vez que não queria fazer terapia e acabou. Eu também disse que não queria mas fui atormentada todo dia até concordar em fazer-e mesmo que eu tenha realmente me beneficiado da terapia, a situação só mostra como realmente as famílias cedem facilmente ao que os homens querem desde pequenos.

Anônimo disse...

E a mãe da criança não pensou que humilhante e ofensivo era o comportamento dele, sendo um homem casado? O fotógrafo faltou com o respeito a ele, mas ele não faltou com o respeito com a esposa? Que mundão é esse???

C.Belo disse...

olha, palavra de quem já foi traída: eu sempre pensei que quem tem a culpa no caso de uma traição é a parte comprometida, que é quem deve respeito ao cônjuge. Já passei por isso e minha mágoa toda era direcionada ao meu ex, e olha que a "atual" vivia tripudiando e se gabando pq havia me "roubado" ele, logo, era mais "poderosa".

Lógico que bastou pouco tempo pra ela passar pelo mesmo....

Eu acho que as mulheres têm mais do que 50% da culpa, viu? Pq além de educarem os homens para serem uns deitões (mulheres novas, viu? de nossa geração, ou seja, não haverá mudanças significativas nem tão cedo, talvez não estejamos vivas para ver), elas tb permitem este tipo de coisa ao se relacionarem com homens comprometido, como que estivessem motivadas a competir com a outra e "tirar o homi" delas para afirmar sua "superioridade"; ao se sujeitarem a isso, elas estão não somente reafirmando a ideia de que mulheres são inimigas naturais umas das outras, como tb estão aprovando a atitude do homem de trair a outra. O maior problema são as mulheres que colocam os homens em pedestais, sendo que o problema é sempre da outra, nunca do cara. Se o cara traiu, é pq a outra não dava gostoso, não liberava o rabicó, era muito esquentada, era muito briguenta, etc etc etc....

Não percebem que podem, como diz o funk, "dar o cu de cabeça pra baixo" e ser uma santa, ela não será melhor do que a outra! Nem pior, na verdade será apenas mais uma.

Por isso penso que talvez as mulheres tenham mais culpa, na verdade. Temos que parar com a "síndrome de anitta", essa merda de querer "afrontar as invejosas" pq essa porra só é atraso de vida.

Isso tudo é, como vc citou, passado de geração a geração, sem perceber educamos nossos meninos para se unirem e nossas meninas para serem mais magras, mais atrentes e mais "poderosas" que as coleguinhas. Dias desses (!!) tava vendo um comercial na TV do boticário que diziam algo como "as outras vão sumir perto de vc". algo por aí. Tive náuseas!

Anônimo disse...

Graças a Deus vou adotar uma menina, acho que não serviria pra ser mãe de filho homem. Pq eu seria uma "carrasca" com ele e o faria respeitar as mulheres a todo custo.
Vou educar minha filha para não ser "escrava" de homem. Mas espero que as mães de meninos aprendam a educa-los melhor, pois não quero ver minha filha sofrendo na mão de um machista folgado.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...