ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

14 outubro 2014

Três minutos na frente do espelho



Trabalhei em um projeto teatral durante semanas e não ''achava'' o ponto de partida do que deveria fazer. O diretor tinha sido claro, mas eu não conseguia unir todos os elementos que me pedia. Era uma comédia e eu interpretava uma prostituta, mas o diretor queria que ficasse claro o sofrimento da personagem, que não se perdesse no tom engraçado da peça.


Foram semanas de trabalho e eu sentia que não avançava nada. No fundo tinha quase certeza que não conseguiria, parecia que uma voz me dizia que seria impossível e eu só estava perdendo meu tempo.

Até que um dia, no meio de um ensaio despretensioso, já tínhamos terminado, mas resolvemos continuar um pouco de maneira mais leve, assim de repente consegui o tom que tanto procurava. Durou uns minutos, mas foi o suficiente para entender que caminho seguir.

Fiquei muito feliz e comentei isso com um dos atores, um rapaz muito sábio e ele me disse:

-Conhece aquela história dos três minutos na frente do espelho?

Não.

-Você de repente se olha no espelho e não se reconhece, dura segundos, mas em um momento você pode ver ali todo seu potencial, por isso se surpreende. Nunca fez alguma coisa boa e não se reconheceu?

Já.

-É isso, todos temos noção do nosso potencial, mas essa informação fica no fundo da mente, empurrada por milhões de motivos bestas como falta de auto-estima e amor próprio. E do nada se abre uma porta mental, como se fosse um espelho e percebemos nosso tamanho real, que tão bons somos fazendo algumas coisas, mas na mesma velocidade que se abre, fecha, e nossa mente volta para aquele lugar pequeno, que diz que somos uns idiotas que não sabem fazer nada direito.

Mas não dá pra saber quando vamos abrir essa porta né?

-Você não tem ideia do teu potencial? Esse espelho mental é reflexo, ele não reflete coisas que não existem. Você conseguiu fazer uma coisa porque era capaz, esses segundos te mostraram que você tem essa capacidade, não é uma coisa ilusória. O que você sentiu quando conseguiu foi a luz do reflexo, o teu potencial está ali, mas você empurra pra baixo.

Eu tenho semanas pensando, sentindo que não seria capaz de fazer o que me pediram, sei lá porque, mas achei que não conseguiria.

-Essa é a diferença entre pessoas com a noção de quem são e pessoas que não se permitem saber quem são. Quem se conhece sabe do potencial que tem, mantém esse espelho mental brilhando o tempo inteiro, podem ver seu reflexo no mundo, mas quem não tem noção da sua capacidade e tem pouca auto-estima mantém o espelho coberto com um pano escuro, rara vez ele aparece ou mostra sua luz, mas de repente alguma coisa se mexe e o reflexo aparece. Por isso tem gente no mundo que brilha e outros apagados, são os espelhos escondidos.

Vou tentar lembrar disso.

-Não precisa, a natureza é mais forte que tuas vontades, sempre dá um jeito de refletir quem é você, o potencial tem que vir à tona, mesmo que o espelho seja coberto. Alguns reflexos teus vão te surpreender por bons e outros por ruins, o espelho não desenha, apenas reflete. Mas tente manter tua melhor parte sempre para fora, fique três  minutos por dia na frente desse espelho mental, deixe que ele reflita tua essência real, teu talento, tua luz. Você já viu uma criança na frente do espelho? Ela se diverte com as possibilidades que envolvem sua imagem, entende que seu reflexo é a parte mais importante do que está acontecendo. Ache seu espelho mental, aquele que reflete todo teu potencial como pessoa e deixe ele te refletir. Espelho coberto, ignorado e escondido acaba quebrado no fundo da alma, cortando tudo o que encontra pela frente. Deixe o reflexo do teu espelho mostrar ao mundo quem você é.

Iara De Dupont


Um comentário:

Fátima disse...

Tive uma fase tão ruim que acho que meu espelho estava quebrado e só refletia fragmentos. Não me gostava, não gostava da imagem que o espelho refletia. Penteava e prendia os cabelos sem me olhar no espelho, passava batom sem conferir o resultado. Não via minha capacidade, não reconhecia meu valor profissional e nem como mulher. Queria ser da cor da parede para passar despercebida em qualquer ambiente. Um dia comecei a pensar que não devia ser assim. Senti que estava sendo explorada no trabalho, que fazia o trabalho de tres e resolvi trocar de emprego. Voltei a estudar, conclui a faculdade e recuperei boa parte do meu amor proprio. Em algum ponto uma amarra se rompeu e voltei a me olhar nos olhos.Tenho um caminho ainda a percorrer, preciso evoluir mais, mas sinto que tenho jeito.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...