ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

08 outubro 2014

Se é para ofender não está dando certo




Uma das conclusões que cheguei na vida é que não sabemos de nada até ir lá e sentir na pele. O resto é teoria.

Quando  comecei o blog cometi muitos erros, não conhecia o mundo por aqui e não tinha a menor ideia, eu apenas queria escrever.Depois de quase cinco anos aprendi muitas coisas, em uma avaliação ampla posso garantir que foram mais coisas positivas do que negativas e não mudaria em nada minha experiência.

O único ponto que nem sempre consigo superar é  o que envolve as ofensas. Elas se dividem em categorias, se escrevo sobre alguma celebridade e os fãs não gostam correm na minha direção. Também aparecem os machistas e misóginos.

Mas uma ofensa é constante e vem de diferentes pontos, me chamam de ''lésbica enrustida''. Já recebi até e-mails, bem longos inclusive, dizendo que eu seria mais feliz se aceitasse isso.
Sempre que falam a mesma coisa me sinto triste, deprimida. Vejo então o tamanho do mundo, pequeno, apertado, sufocante, onde uma condição sexual é usada para ofender e agredir outra pessoa.

Nunca levantei bandeira da minha condição, falo que sou hétero e conto minhas histórias porque quero manter meus textos próximos de quem eu realmente sou, não quero abismos, nem distâncias entre quem sou e o que escrevo.

Se minha condição fosse outra, eu não teria porque esconder, nem negar. Tenho o privilégio de viver em um espaço onde isso nunca seria um problema, caso me apaixonasse por uma mulher não seria julgada nem condenada por quem me conhece.
Mas a palavra ''lésbica'' é constantemente jogada na minha direção no sentido ofensivo, como se isso fosse uma coisa do outro mundo.

Quando alguém me escreve um e-mail e diz ''não concordo com nada'', tenho o maior respeito, mas chegar dizendo ''você escreve assim porque não aceita que é lésbica'' me deixa chateada.

Tenho amigas lésbicas e me pergunto como aguentam viver debaixo de tanta pressão e ofensas. Uma coisa é algumas pessoas pensarem que eu sou lésbica e me ofenderem aqui, outra é ser lésbica e viver assim em uma sociedade que massacra.

E não tenho porque escrever um post e dizer ''eu não sou lésbica'', apenas faço isso para que entendam que não considero ofensa que pensem assim, não vejo nada ofensivo em condições sexuais diferentes a minha. Ofensa seria ler de eu sou um péssimo caráter, mas condições sexuais não me ofendem, é como se alguém dissesse que meus olhos são castanhos, é verdade, eu nasci com essa cor e isso não me faz inferior nem superior a quem nasceu com olhos claros.

Meu único consolo foi o que um professor me disse uma vez, apesar de terrível, sei que é assim. Ele dividiu uns grupos na sala para um trabalho e eu não gostei do meu, fui conversar e pedir uma mudança, ele quis saber o motivo real do meu pedido, resolvi ser honesta e disse:

-Professor, a turma que o senhor escolheu é de moderninhos, já percebeu? Sou a única mulher do grupo e eles são de outra tribo, não vai dar certo, eles vão acabar julgando tudo o que eu disser.

E ele respondeu:


-Pra te livrar de um julgamento você teria que nascer de novo. Posso te mudar de grupo, mas não vai adiantar nada. Sabe por que? Porque você é mulher, sempre vai ser julgada da maneira mais dura. Não importa o que você fizer na vida, as mulheres são julgadas sempre. E não se esqueça, pior do que julgadas todas são condenadas. Faça o que quiser e seja feliz, porque não tem como escapar do julgamento machista que todas vocês sofrem. E não existe escolha que possa te imunizar. O mundo é bem claro com todas vocês, não importa o caminho que escolhem, em todos as pedras serão jogadas. A única coisa que vocês podem fazer é desviar delas e fazer o caminho que quiserem. Mas não existe caminho livre de julgamentos para as mulheres. É o mundo.

Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...