ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

06 outubro 2014

O mundo não espera isso, mas vai acontecer....

AS ESTUDANTES AMERICANAS

Em um mar de ignorância todas as teorias são possíveis.
Lembro de um professor dizendo que a questão da violência sexual contra as mulheres seria resolvida o dia que todos tivessem acesso a um bom ensino, então poderiam entender o seu papel na sociedade e o da mulher, o estupro, dizia ele, era uma questão de ignorância ligada a baixa escolaridade, por isso os maiores números apareciam em áreas periféricas da cidade e sempre envolvia pessoas sem nenhuma ou com pouca instrução.

Acreditei durante anos nessa versão, a violência era uma questão de nível social, quanto mais alto o nível menos ela aparece.

Só depois que conheci o feminismo entendi que essa é uma das grandes mentiras jogadas na direção da mulher. Não adianta o nível social, nem a escolaridade dos homens, existe um elemento social que os faz acreditar que o estupro é uma coisa natural no ser humano, estuprar uma mulher não é crime.

E um dos argumentos que sustentam essa teoria é a paradisíaca Suécia, terra dos direitos humanos, da melhor qualidade de vida do planeta e maior índice de contentamento com o sistema. Não existe machismo ali, todos são educados da mesma forma e já tem por lá escolas que decidiram abolir a questão do gênero, não chamam meninas de ''elas'', nem meninos de ''eles'', inventaram um novo termo sem gênero. Mesmo assim, apesar da perfeição, a Suécia esconde uma tragédia, seus números de violência sexual são parecidos a países europeus considerados ''machistas''.

Uma estudante americana, Angie Epifano foi estuprada em uma universidade nos Estados Unidos e resolveu publicar sua história em uma revista, ''Armhest Student''. Foi enorme a repercussão e tão grande o número de mulheres que diziam ter passado pelo mesmo que começou uma investigação federal em algumas universidades americanas, no momento mais de setenta delas estão sendo investigadas. Grande parte dessas universidades são as mais caras do mundo, onde apenas a elite tem acesso, como a famosa Harvard, conhecida por formar presidentes e seus filhos, mas agora está no segundo lugar como a universidade com maiores denúncias de estupros.

A pressão tem sido tanta que chegou até o presidente Obama, que prometeu colocar o assunto em pauta, apesar da resistência dos conservadores que garantem que é apenas uma falsa epidemia, o que acontece nas universidades é uma mistura de excesso de bebidas, mais mulheres matriculadas e promiscuidade.

Mas até agora os números parecem de países de terceiro mundo, uma a cada cinco estudantes é estuprada na universidade, mas isso é discutível, já que muitas não chegam a denunciar o crime e não fazem isso porque sabem que não contam com o apoio da instituição.

As universidades não sabem como lidar com o problema e se escudam nos argumentos machistas e atitudes ordinárias, como sugerir a mulher violentada que se afaste por um tempo do lugar, como se isso fosse resolver o trauma. Pior ainda são as intenções de proteger o estuprador para que ele possa se graduar.

As primeiras investigações traçaram um perfil do estuprador derrubando aquela teoria misógina de que não existem mulheres estupradas em universidades, existem mulheres que beberam e esqueceram que aceitaram fazer sexo. O perfil que os especialistas descobriram é assustador, são homens predadores, que em geral já estupraram mais de seis mulheres. Escolhem as que eles chamam de ''zona vermelha'', as que estão entre o primeiro e terceiro semestre da carreira. Eles frequentam as festas e sabem quem serão as vítimas, se aproximam muitas vezes oferecendo bebidas alteradas ou drogas e preferem festas e aglomerações para cometer o estupro, sabendo que isso será uma vantagem em caso de denúncia, porque finalmente quem acreditaria em uma mulher que bebeu durante uma festa?

O resultado desse perfil desmontou muitas teorias, principalmente aquela de que o estuprador seria um anjo inocente que bebeu demais e acabou estuprando a mulher. Ao contrário do que se pensava os estupradores nas universidades são profissionais, não bebem e sabem bem onde estão as novatas, não é nada por acaso. Sabem também que o sistema os protege e suas ricas famílias  garantem a imunidade e carregam a certeza de que o sistema os entende, finalmente quem mandou a mulher estudar?

Graças a carta que a moça publicou várias mulheres decidiram organizar movimentos pressionando as universidades para acabar com essa lei do silêncio e obrigar a administração a tomar cartas no assunto, porque as universidades abafam os casos e ignoram as vítimas.

A lista das universidades americanas que estão sendo investigadas inclui Harvard, UCLA, Princeton, Berkeley e Columbia, as universidades mais caras do mundo e cheias de pessoas de alto nível. E todas elas estão na parede, porque precisam de doações e dinheiro do governo para sobreviver, estar debaixo de investigação federal paralisa as contas e ameaça a entrada de dinheiro, por isso precisam chegar logo a um consenso sobre como resolver os estupros nas suas instalações, não estão se mexendo pensando nas mulheres que são as vítimas, mas pensando no dinheiro, se a investigação demorar demais ou for muito longe podem perder milhões de doláres.

E uma das mulheres estupradas, Dana Bolger, fez um página  http://knowyourix.org/ para ajudar e orientar as vítimas, já que os agressores são protegidos pelo sistema por diversos motivos, um deles é que alguns conservadores consideram o ambiente universitário uma questão de  ''homens'' e as mulheres chegaram e invadiram, são a maioria nos campus e isso teria gerado a violência sexual, como sempre é culpa das mulheres que resolveram estudar. Também a quem diga que se a universidade tomar partido e começar a discutir os estupros então teria que chegar ao estuprador e isso poderia ser apenas uma denúncia falsa, mas poderia prejudicar a vida inteira do inocente rapaz que tivesse sido acusado disso. É o sistema desenhado para proteger o agressor e isso acontece em universidades americanas, lugares onde os líderes mundiais são criados, mas o relato das estudantes parece coisa do Oriente Médio.

Dizer que a violência sexual é questão de nível econômico, social, é falso. Homens são educados para pensar que a mulher é seu brinquedo e não só no terceiro mundo, mas no planeta inteiro, nem a Suécia conseguiu ainda resolver essa questão. Existe alguma coisa que está escapando dos olhos de todos mas está presente na educação dos homens no mundo, alguma vírgula na história que garante a eles a imunidade caso decidam estuprar.

Não sei o que é dito aos homens que faz eles pensarem que podem estuprar, mas alguém tem logo que descobrir o que é e parar esse trem.

E o presidente Obama deve estar pensando nisso agora, porque graças a uma mulher que escreveu sua história estão surgindo movimentos no país inteiro, em todas as universidades incentivando as vítimas a denunciarem o agressor e pressionando as universidades a agir. As estudantes americanas parecem dispostas a mudar a história, apertar as leis e punir os agressores e pelos números são muitas, quase um exército. Isso os agressores deveriam saber, um dia elas seriam muitas e iriam voltar para mudar a história e acabar com eles. E estão voltando.



Iara De Dupont


3 comentários:

Fátima disse...

Outro dia ouvi a frase mais idiota, mais machista e mais sem cabimento: Não foi estupro, foi sexo surpresa!! E isso foi dito por uma turma de universitarios num bar. Em que mundo vivemos!!!

Anônimo disse...

É assim mesmo que funciona. Esses monstros sabem exatamente o que fazem. Não é só uma família, é uma sociedade inteira educando os homens pra que eles pensem que é ok estuprar. Esse fenômeno já tem inclusive nome, a maldita cultura do estupro. É só pesquisar um pouco que cai como uma luva. Muitas pessoas tentam combatê-la mas estão sempre ouvindo que são "exageradas", "paranoicas", "Misandricas", "odiadoras de homens", e toda essa defecação oral. Tomara que essas meninas conquistem cada vez mais justiça pra elas mesmas e para as muitas que ainda são intimidadas a se calar e 'deixar passar'. Que esses bandidos, os que estupram e os que encobrem estupradores, comam cadeia por muito tempo.

Suzana Neves disse...

Essas histórias sempre me tiram o ar
Porque é verdade mesmo fica implícito que foi estuprada porque ousou sair de casa.
Não entendo porque pais encobrem comportamento assim dos filhos

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...