ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

07 setembro 2014

O Boticário: quando uma empresa brasileira se ajoelha


Não é o primeiro post sobre o assunto, mas não consigo segurar minha má vontade com a empresa.

Lá foi de novo a empresa de cosméticos ''O Boticário'' lançar outra linha de maquiagem e não colocou nenhuma negra no seu comercial. O racismo não é privilégio deles, a maioria das empresas de cosméticos cometem o mesmo crime, ainda usam o argumento de que as negras são minoria e são poucos os produtos direcionados a elas, então preferem as modelos brancas, padrão internacional, isso acontece no mundo inteiro, o racismo no mundo dos cosméticos é uma das coisas mais vergonhosas que existem neste planeta.

Como consumidora considero ''O Boticário'' uma caso de tragédia nacional, apesar dos lucros que a empresa tem.

Não sei quando ela foi fundada, mas lembro desde criança de sua existência e ver como foi se ajoelhando e perdendo sua identidade diante do planeta me deprime. Até onde sei empresas ficam vivas porque trabalham na sua essência, colocam seus produtos no mercado e tentam se segurar neles, não saem fazendo os mesmos da concorrência.

Há uns vinte anos ''O Boticário'' tinha uma das melhores linhas de perfumes, eles desenvolveram seus produtos e conseguiram de maneira brilhante traduzir o gosto das brasileiras. Eram colônias frescas e com boa fixação. Essa foi a base do império, em qualquer lugar se reconhecia o cheiro do perfume deles.

Talvez o Brasil ficou pequeno, não sei. É impossível adivinhar o que aconteceu nos bastidores, mas eles resolveram entrar no mercado internacional e fizeram mudanças.

No mundo inteiro o mercado de perfumes é imprevisível, não se sabe ao certo quando um perfume vai funcionar e virar um clássico, mas existem mapas de consumo no mundo inteiro, um deles mostra a preferência das brasileiras por cheiros florais, frutais, leves e frescos.

Mesmo com esse mercado estabelecido ''O Boticário'' empurrou para longe das prateleiras seus perfumes e começou a colocar outros ''inspirados'' em grandes clássicos da perfumaria internacional, doces, fortes, intensos, longe do gosto da maioria das brasileiras, que preferem perfumes mais ''leves''.

Dizer ''inspirados'' é elegante demais, não é bem assim. Perfumistas do mundo inteiro trabalham durante anos para desenvolver uma fragrância, testam matérias primas, investem pesado em pesquisas e caso a fragrância desenvolvida se torne um clássico marcas inferiores copiam, e isso não tem nada de ''inspiração''.

Quem usou a palavra ''inspirado'' foi uma vendedora da loja, quando eu experimentei um perfume e disse que era parecido ao perfume Paris de Yves Saint Laurent e ela respondeu:

-Parecido não, inspirado nele.

Ah, tá, desculpa!

Sempre usei e gostei dos perfumes da loja, mas depois que eles foram varridos e substituídos por tanta ''inspiração'' nunca mais comprei nada.
No desespero de concorrer com marcas internacionais e entrar em outros mercados ''O Boticário'' perdeu a identidade, a essência e o que poderia hoje fazer toda a diferença. Seus perfumes leves e de cheiros diferentes poderiam ter sido reconhecidos no mundo, já que o mercado de perfumes é volúvel e aberto a novidades. Mas tudo isso foi enterrado daquela maneira conhecida no sítio Brasil, a jequice da corte, em vez de preservar a própria cultura se troca ela pelo o que a corte diz, como se tudo o que fosse brasileiro estivesse em um nível inferior.

Não sei até onde foi a conquista da marca no mercado internacional, mas não aparece ao lado de grandes marcas mundiais, o que indica que alguma coisa deu errado. E deve ter dado mesmo, porque lá fora o mercado não precisa de perfumes ''inspirados'' nos que já existem, está saturado de sub-marcas fingindo serem grandes marcas.

E na sua correria pela ''internacionalização'' a marca investe em comerciais racistas, que insistem em mostrar a consumidora apenas branca, como se isso fosse possível em um país de maioria negra.

Se um dia ''O Boticário'' conseguiu traduzir o gosto das brasileiras, hoje é uma empresa se dobrando e mendigando atenção internacional, correndo atrás de um mercado que jamais vai prestar atenção nas suas ''inspirações''.
Essa é a grande diferença de marcas internacionais para marcas brasileiras, que rapidamente perdem sua essência para tentar imitar a alheia, por isso é tão difícil o Brasil se colocar no mercado lá fora, porque ele não se impõe, tenta se adaptar ao outro como se isso fosse a saída, ficamos como os plebeus que se ajoelham diante da corte portuguesa, implorando para sermos aceitos.

Perguntei a um amigo porque essa mudança tão drástica aconteceu nesse empresa e ele me respondeu:

-Faça as contas, o Brasil é um mercado de 200 milhões de pobres coitados, se ''O Boticário'' conseguir se estabelecer lá fora se abre para um mercado de seis bilhões.

É mesmo! Mas por que não se abrir ao mercado com os perfumes que fizeram a marca ser conhecida aqui? Por que tem que se abrir copiando os outros? O que tem de tão vergonhoso na identidade brasileira?
Havia dois caminhos para ''O Boticário'', um era ter se mantido fiel as suas origens e vender isso ao mundo, se firmar como uma marca diferente e própria, o outro era copiar alguma marca grande e virar uma sub-marca, como um plebeu que insiste em usar a mesma roupa do nobre.

Tudo isso é minha visão como ex-consumidora, hoje acho a loja um tédio, os produtos ultrapassados e sem nenhuma identidade. Seus comerciais racistas me irritam e sempre que os vejo lembro daquela frase clássica do revolucionário mexicano Zapata  ''É melhor morrer em pé do que viver de joelhos''. Parece que isso vale até para vender perfumes.

Iara De Dupont

Um comentário:

anita psvone leite disse...

Nós anos 80, quando os importados era uma raridade, chic era ter um boticário na penteadeira, hoje nem tanto. Taí o desespero dela.
Você falou de perfume, eu falei de cabelo:http://opeitopensante.spaceblog.com.br/2590405/A-EVOLUCAO-DOS-CABELOS-MESTICOS/

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...