ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

30 setembro 2014

A confusão das palavras (cavalheirismo ou gentileza?)




Cresci em um ambiente machista e misógino. Tento todos os dias limpar da minha mente tudo o que foi dito, mas nem sempre consigo e às vezes sem querer tenho uma atitude machista.
Me considero uma humanista em construção, feminista em obras e não tenho como dizer que estou pronta e já superei todos os horrores da minha educação e varri de minha mente a maneira como me ensinaram a viver.

Dependo ainda de explicações e de pessoas que sabem mais do que eu, para que me mostrem as possibilidades de uma nova realidade.
Durante um tempo cometi um erro e ninguém me dizia que estava errado, apenas me criticavam dizendo que era uma ''mulher machista'', mas eu não entendia onde estava a falha.
Em algumas conversas mencionei que gostava de ''homens cavalheiros''. E o circo pegava fogo. Homem cavalheiro, me diziam, é exigência de mulher machista.
Eu ficava confusa, sem saber o que dizer e ainda por cima os homens pareciam mais confusos do que eu, então a questão não se resolvia.

Isso aconteceu até que um dia conversando com uma professora perguntei onde eu errava tanto ao dizer isso e ela respondeu:

-Homem ''cavalheiro''  remonta a aquelas histórias das princesas inúteis esperando por seus príncipes, como se a mulher fosse inferior a ele e o cavalheirismo parece um falso cuidado com a ''mulher frágil e delicada''. É uma maneira do homem dizer  ''você é inferior e eu tenho que te cuidar como um bibelô''.

Perguntei a ela qual seria a saída,  não gosto de homens mal educados e não posso dizer ''cavalheiros'' porque é machista, então o que eu digo?

-Fale apenas gentil. Todos nós gostamos de pessoas gentis, mas não é só na rua, em casa também queremos viver com pessoas gentis. Gentileza não tem gênero, nem idade, não precisa de um compromisso, a pessoa aprende desde pequena a ser gentil ou não.

Comecei a pensar sobre isso e cheguei a conclusão que ela tinha razão. É apenas gentileza, não é o discutível  e polêmico cavalheirismo.

O outro dia estava correndo em direção ao elevador, cheia de sacolas, tinha uma moça dentro do elevador e segurou a porta para mim. Ela foi gentil, mas e se fosse homem? Eu teria que dizer que foi ''cavalheiro''? Também aconteceu em uma loja, uma senhora na minha frente ia comprar muitos produtos, enquanto eu estava na fila para comprar apenas um chocolate, quando ela percebeu me deixou passar na sua frente. Foi gentil, mas e se fosse homem? Seria coisa de cavalheiro?

Isso pode ficar confuso porque o cavalheirismo confunde muitas mulheres, inclusive eu, nunca sei se é educação ou o exercício constante do machismo.

Tenho uma amiga que sempre faz reuniões e convida um rapaz odioso, não sei de onde saiu, é insuportável e grosseiro, mas  com fama de ''cavalheiro''. Um dia ele ficou bêbado em uma festa, mas insistiu em se levantar e puxar uma cadeira para uma moça se sentar. Eu o vi fazer isso e comentei com minha amiga que não entendia essas duas personalidades dele, como podia ser cavalheiro ao mesmo tempo que era um idiota?
Ele escutou o que eu disse, a antipatia no nosso caso era mútua e ele se virou e respondeu:

-Sou menos idiota do que parece. Só puxo a cadeira pelo mesmo motivo que todos os homens o fazem, é uma questão de panorama, se eu puxar a cadeira ou abrir uma porta tenho mais tempo para olhar de perto a bunda de uma mulher sem que ela se irrite e se eu abrir a porta do carro posso olhar os seios. Idiota é você que acha que isso é cavalheirismo.

Poucas vezes me irritei tanto com alguém, mas nunca esqueci do que ele disse e acho que ficou tão marcado que nunca mais depois disso passei na frente de um homem. Comecei a reparar nos ''cavalheiros'' que conhecia e vi que era verdade, eles aproveitam abrir uma porta para olhar o bumbum da mulher, os olhos descem automaticamente.

Hoje acredito que a palavra ''cavalheirismo'' deveria ser cortada do vocabulário, não serve para nada. O que precisamos é de mais pessoas gentis no mundo, gentileza é a única coisa que faz a convivência tolerável e quem conhece pessoas gentis sabe a diferença que elas fazem. Isso vale para todos, não é machismo, nem feminismo, é apenas uma coisa que faz a vida de todos um pouco melhor.

Não penso mais em homens cavalheiros, gosto é de homens gentis, porque eu sou uma pessoa gentil e procuro a mesma coisa em todos. Cada um sabe o que procura em sua vida e relacionamentos, mas vejo muitos homens reclamando que mulheres exigem homens ''cavalheiros'', mas sinto que essa confusão se dá apenas nas palavras, tenho quase certeza que a maioria das mulheres procuram homens gentis, assim como eles procuram mulheres gentis. 

Educação não depende de genêro e a gentileza nasce na educação que a pessoa recebe. 

Às vezes sinto que o ser humano é tão pequeno e mesquinho que uma coisa como gentileza vira uma discussão política, como se fosse coisa de outro mundo, parece sempre vir à tona aquela famosa incapacidade que todos parecem ter de conviver com o outro. Gentileza deveria ser regra, mas em um mundo de egoístas e individualistas parece um luxo, coisa para poucos.

Iara De Dupont 

2 comentários:

Anônimo disse...

Tem que ver que tipo de gentilezas.. pq tem muita mulher que acha que a função do homem é viver pra servir a ela.
Eu só sou gentil com mulheres que são gentis comigo.
Agora puxar cadeira pra mulher sentar é coisa de homem idiota, afinal nenhuma mulher puxa cadeira pro homem sentar.
É igual aqueles homens que ficam em pé pra mulher sentar, acho ele um tremendo otário. Direitos iguais ué.

Anônimo disse...

A moça do elevador fez isso pra te ajudar, agora o homem poderia ter feito isso com a intenção de se aparecer, se pagar de bonzinho, pensar que iria conseguir alguma coisa.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...