ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

20 agosto 2014

Que se dane o ''jeito'' do outro





















Namorei durante três anos um Romeu. Foi o namoro mais importante que tive porque me libertou de tudo o que estava errado na minha vida. Não houve no namoro abuso físico ou sexual, mas o resto foi cortesia da casa. Depois de anos de relacionamentos abusivos verbalmente esse me serviu para levar tudo ao limite e finalmente entender o que estava de fora de lugar. Foi uma sequência de dor, de desespero, humilhações e frases grosseiras.

Não tive muito apoio porque as pessoas me diziam que ''homens eram assim'', meio nervosos e grosseiros. Então peguei no ar uma frase e gravei ''é o jeito dele''. Me parecia que ele tinha um bom coração, mas um péssimo gênio. Até era educado com os outros, mas não comigo, mas eu ignorava todas as agressões verbais, porque era o ''jeito dele''.

Na minha direção só vinham as críticas e reprovações. Tem gente que ainda me pergunta porque namorei alguém assim, mas que mulher não cresce escutando que ''homens não são perfeitos e nos temos que entender seu jeito?''. Quem nunca ouviu por aí que homens são reprimidos na infância e crescem sem saber lidar com suas emoções, por isso são grosseiros, não sabem se expressar?
Comprei todas essas desculpas baratas e furadas, até porque via elas sendo usadas na minha família. Quando um dos meus tios ficava nervoso era normal, porque ''homens sofrem muito stress'', mas se um das minhas tias perdesse a linha diziam que ''é louca de tpm (tensão pré-menstrual)''.

Vejo isso até na televisão, se a namorada mata o namorado, coisa rara, mas acontece, isso vira o caso da ''maluca doente'', mas se ele mata a namorada é porque ''ficou com ciúmes e não aceitou o fim do namoro''. Essa é uma das bases de tanta violência, o mundo se convenceu que qualquer coisa que aconteça de ruim a uma mulher é culpa dela.

Nos últimos tempos venho limpando minhas gavetas mentais, principalmente aquelas ligadas as estupidezes que cresci acreditando e recentemente aconteceu uma coisa que me levou a limpar outra gaveta.

Tenho um amigo que perdeu sua mãe no ano passado e eu dei o apoio que pude. Este ano quem perdeu o pai fui eu e ele não disse nada. Fiquei na minha, ninguém é obrigado a dizer nada nem demonstrar apoio, isso é uma coisa que tem que sair do coração, se não for assim não vale. Tinha até esquecido essa história quando encontrei uma amiga em comum e contei a ela que ele nunca ligou nem disse nada. E ela respondeu ''ah, não se preocupe, é o jeito dele''.
Uma semana depois ela deve ter dito alguma coisa porque ele me mandou um e-mail me convidando para sair e bater um papo. Deletei o e-mail na hora, porque a frase da minha amiga me ligou o sinal vermelho ''é o jeito dele'', ora, até quando eu vou ser obrigada a aguentar o ''jeito dos outros?''

Cansei dessa palhaçada e de jeitos que não se alinham com minhas crenças. Não preciso de amigos que na hora que do apoio não apareceram, estou cansada de desculpas na base de ''é timidez'', ''é não saber o que dizer'', ''ficou sem graça''.

No momento que analisei tudo cheguei a conclusão que essas mancadas vinham na maioria da ala masculina, por isso cortei algumas amizades. Conheço gente tímida que não é de falar, eu mesma fico constrangida em algumas situações, mas para que eu quero alguém perto de mim que não sabe ou não pode demonstrar apoio?

Lembro de uma situação na faculdade com um rapaz que perdeu sua irmã em um acidente. Na mesma turma tinha uma moça que não falava com ninguém, de tão tímida que era. Mas no dia que ela ficou sabendo vi quando se aproximou da mesa do rapaz e colocou um chocolate ali, ele sorriu e agradeceu. Ela não disse nada, mas o gesto revelou sua consideração em um momento tão difícil.

Passei a vida inteira perdoando os Romeus porque era o ''jeito deles''. Cansei desse lixo cultural, onde homens podem ignorar tudo ao redor deles enquanto as mulheres relevam o que acontece e fingem que tudo está bem, apesar das respostas cortadas que recebem dos Romeus. O mesmo direito e vontade que eles têm de receber apoio eu também tenho.

Procuro maneiras mais simples de viver e de estar próxima a pessoas que pensem e sintam de maneira parecida, quero estar alinhada ao que acredito. Se não sinto apoio em um amor ou amizade não me interessa mais, dane-se se é o ''jeito dele''.

Vejo cada vez menos motivos para tolerar comportamentos que eu não entendo nem justifico. A vida é muito curta para estar perto de pessoas que na hora de demonstrar alguma coisa boa não conseguem. Timidez não é justificativa, se a pessoa quiser ela acha um jeito.

Não quero amizades nem amor do ''meu jeito'', porque isso não existe, quero apenas gente que tenha necessidades parecidas as minhas e não queira passar a vida justificando os outros nem entendendo o ''jeito'' deles. Demorei para entender que a maioria das vezes o jeito de ser da pessoa demonstra que ela não se importa com você.

Se eu tivesse tido essa ideia clara há anos teria me livrado de muitos Romeus e seus gestos rudes, que eu interpretava como ''jeito deles’’, hoje quero que explodam com sua má educação.

Ninguém tem que aguentar o ''jeito'' de ninguém, para isso existe a famosa química, aquela que nos indica quando a pessoa pertence ao mesmo universo que nós.

E conheço poucos homens que tolerem o ''jeito'' dos outros e outras, isso fica mais nas costas da mulher, que é educada desde pequena para se adaptar ao mundo e aos seus ''jeitos''. Mas hoje cansei, a duras penas lido com meu ''jeito'' para agora ter saco de lidar com o ''jeito'' de pessoas que no fundo não estão nem aí para mim. Chega.

Iara De Dupont


2 comentários:

C.Belo disse...

O que posso dizer? Tá certa! Tô contigo nessa empreitada de largar de mão pessoas que justificam seu descaso para conosco como sendo " o jeito" delas!

De fato não existe isso de "jeito", jeito cada um tem o seu, isso é lógico, mas quando nos importamos com uma pessoa o nosso "jeito" não nos impede de demonstrar nosso apoio e solidariedade, oras! A forma como damos nosso apoio, aí, sim, faz parte do nosso "jeito"; não dar apoio nenhum, isso não é "jeito", isso é o mais claro indicativo de que não estamos nem aí pra pessoa!

Patrícia disse...

Timidez, jeito de ser, realmente na maioria das vezes é desculpa para as mancadas, acredita quem quer, e não querer mais isso faz muito bem, pois afasta quem não vale à pena. Dizer "chega" faz bem, preciso fazer isso também.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...