ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

17 julho 2014

Homens que ''gostam'' (não é a mesma coisa que ''homens que amam'')



Na novela ''Em família'' apareceu a história do Cadu, um homem lindo casado com Clara. Desde o começo ficou claro que era um homem sem iniciativa, ia empurrando a vida, sonhando com um restaurante, mas não tinha dinheiro e no fim foi Clara que arrumou o espaço para ele realizar seu sonho. Quando ele ficou doente era Clara que o levava ao hospital. Mas ela se apaixonou por uma mulher e largou o Cadu, que ficou deprimido, sem ter onde morar aceitou o convite de uma amiga de trabalho, Verônica, que ofereceu sua casa e dividir as despesas. Ele não percebeu que ela estava apaixonada e desfilava pijamas insinuantes, ficou tão desligado que ela foi lá e o beijou. Como ele não soube o que fazer ela se desculpou no dia seguinte e ele disse que ia procurar outro lugar para morar. Como sempre enrolou, nunca fez nada, então Verônica partiu para o segundo ataque e o levou para a cama. No dia seguinte ele resolveu que não ia mais se mudar, ia ficar por lá mesmo.

Se fosse só novela eu diria que é a famosa fantasia masculina, viver em uma casa sem pagar nada, só enrolando e uma mulher linda disponível na cama. 


Não é novela, estou vendo muitas mulheres entrando no mesmo barco furado. Homens como Cadu não amam, gostam, e não é da mulher que gostam, é do conforto, da vida mansa e da cama quente. Fica fácil para eles, conheço algumas mulheres que conquistaram sua independência, tem sua casa do seu jeito e de repente abrem a porta para um Romeu encostado.

Já me mudei sozinha para um apartamento e posso dizer, é muito fácil chegar depois dos perrengues. O duro é se mudar e pintar o apartamento, achar alguém para arrumar chuveiros e canos entupidos, ligar para o gás, procurar supermercados e coisas assim.

Infelizmente faz parte da cultura latina as mulheres morarem com suas famílias e depois saem para morar com namorado ou amigas, não tem esse espaço no tempo para morarem sozinhas, o que é fundamental, porque nesse período se constrói a identidade da pessoa, é difícil saber quem somos se estamos rodeados de centenas de pessoas desde que nascemos. Por isso para muitas mulheres é tão fácil abrir a porta de sua casa para um Romeu preguiçoso.

E não falo só do aspecto técnico, a mudança em si, mas esses homens que encostam não amam a mulher, para eles não faz diferença quem é, eles vão pulando de galho em galho até achar uma que banque todo seu conforto e seja boa na cama, achando isso eles encostam e ficam ali. Pode parecer amor, mas é só conveniência.

E talvez seja a idade ou o cinismo, mas hoje vejo isso de outra maneira, se eu encontrasse um homem que me colocasse a vida em uma bandeja e eu gostasse dele, talvez me mudaria a sua casa, não penso mais no ''amor'' como elemento fundamental, já que nem sei onde fica o amor nos relacionamentos estranhos dos dias de hoje. Mas tenho bem claro isso, ''gostar'' é uma coisa, ''amar'' é outra, já não confundo mais as duas nem levo uma por outra.

E a quem podemos culpar se somos nós as otárias e trouxas?

Tive um colega na faculdade que sua namorada sempre ia buscar ele no fim de noite, chegava na mesma hora todos os dias e ficava no carro esperando, em uma área cheia de faculdades e por isso mesmo perigosa.

Uma vez ficamos conversando sobre um trabalho de grupo quando lembrei da namorada dele, fiquei preocupada com a moça e disse a ele que depois mandava as coisas do trabalho por e-mail para que ele pudesse ir embora, mas para não parecer grosseira expliquei porque estava cortando a conversa. Ele me respondeu que não tinha problema, eu podia acabar de explicar, porque a namorada não se importava de esperar. Falei para ele que era perigoso, a moça ficava no carro todos os dias e ele me respondeu:

-Mas ela vem porque quer! Nunca pedi nada!

Isso virou uma discussão, na minha cabeça eu não entendia porque ele não era nem agradecido com esse gesto, mas hoje entendo perfeitamente o que ele quis dizer e estava certo, a moça ia porque queria, ou seja, otária profissional, como dizem por aí ''formada em trouxisse''.

No desespero, na carência e nas conversas erradas muitas mulheres abrem suas casas e colocam um encosto lá dentro. E nem sempre pode ser carência, eu já escutei muito que deveria morar com namorado para deixar de ser chata e perder essa mania de arrumar tudo, como se homem fosse a solução para minhas manias.

Como hoje fez sol eu posso dizer, sou a favor do amor, se os dois estão apaixonados podem se grudar com super-bonde e morar juntos, acho lindo. O problema desses Romeus encostados é que eles não amam as mulheres, é essa parte que me causa tanto desconforto. E eles sabem que as mulheres estão dispostas a amar quem não as ama, então embarcam já na vantagem.

O único jeito é não dar moleza, se vai morar junto coloca o Romeu na parede com sua parte das contas para pagar e as coisas que possam acontecer.

Uma amiga minha caiu na conversa de um Romeu e deu abrigo ao namorado, mas cada vez que acontecia alguma coisa no apartamento, um cano entupia, dava um vazamento, ele não consertava nem chamava ninguém para consertar, depois dizia a minha amiga ''eu não fiz nada porque a casa é tua e não sei que decisão você quer tomar''.

Ah, mas assim fica mole né? Graças a isso minha amiga acordou para a vida e o colocou para fora, porque começou a juntar as peças e ver que ele colocava o mínimo de dinheiro na casa, não ajudava em nada, levava os amigos para o churrasco, mas se alguma coisa quebrava a casa ''era da namorada''.

É mentira que homens são raros no mercado e por isso vale pegar qualquer coisa, o mundo está cheio de homens, e nenhuma mulher é obrigada a morar com um traste.

Na dúvida é só fazer a lista das despesas e da iniciativa diante dos problemas, se Romeu aparece na lista como convidado então é bom colocar para fora e não precisa ter dó, eles não dormem na rua, sempre tem outra casa aberta esperando.
Amor é o que acontece entre duas pessoas, não a vida mansa que um coloca no colo do outro. Se está muito bom para um e muito ruim para outro alguém está tirando proveito. E amor não é isso.

Iara De Dupont

2 comentários:

Anônimo disse...

Engraçado que ninguém ensina os meninos desde pequenos a pensarem nos outros, né? São sempre as meninas que tem que se preocupar com a disponibilidade, as sensibilidades, os sentimentos e o ego dos outros. São as meninas quem tem que pensar se estão sendo inconvenientes, se aquele favor que elas queriam pedir não vai atrapalhar o dia do outro, se não é muito perigoso pra carona esperar naquele estacionamento, se é ok ou não dizer que aquela roupa não caiu bem, se pedir um empréstimo vai deixar a outra pessoa apertada de dinheiro... aí as crianças crescem, os homens viram um bando de egocêntricos que não pensam nos outros e as mulheres viram as otárias que se esfolam por gente mal agradecida que vê o sacrifício delas como algo a que tem direito. Não que o contrário não aconteça, há homens otários ou mulheres mimadas, mas isso só mostra o quanto é preciso ensinar as crianças desde pequenas a terem bom senso. Tanto de um lado quanto de outro.

Patrícia disse...

Penso exatamente assim. E nem moro sozinha, mas nem precisa para eu ver que a maioria das mulheres estão fazendo isso. Não sei que desespero é esse, que eu não sinto. Pegam qualquer porcaria e levam para casa.
Jamais se eu morasse sozinha, eu ia suportar isso, nem por um dia, acho até que é falta de amor próprio. Pior são aqueles que nem trabalham, enquanto as trouxas estão madrugando e enfrentando ônibus lotado todos os dias. Como diz o ditado, enquanto tiver cavalo São jorge não anda a pé!

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...