ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

08 julho 2014

Em família: de novo Globo? Tá difícil de entender hem?


Depois de quatro anos de blog me surpreendo em ver o mesmo assunto voltando a mesa da mesma maneira, não mudou nada.

Fui e sou a favor de um conselho ético na televisão, gente de lá mesmo que possa conversar com os autores e produtores quando estão com alguma dúvida e não é censura, é apenas alguém que durante uma reunião diga ''não acho isso boa ideia''. Mais nada, é só jogar essa frase, se o autor e o diretor quiserem continuar com a besteira que façam, mas pelo menos foram avisados.

Quantas novelas já assisti e quantas vezes já escrevi sobre a mesma coisa? A frase é simples ''ESTUPRO NÃO É FOFICE, É CRIME''.

Tenho vontade de escrever um e-mail com essa frase e mandar para todos os autores da Globo.

Hoje eu estava assistindo a novela ''Em Família'', o maior fracasso da Globo desde a fundação da emissora. Fracasso merecido e conquistado, porque uma decisão ali é pior do que a outra.

Na novela tem um personagem, o Felipe, moço meigo, gentil, educado, médico com problemas de bebida. É apaixonado pela sua sócia, a Dra. Silvia, mas ela ama outro rapaz, Cadu. Felipe sabe que Silvia ama Cadu e sempre está escutando o quanto a moça quer ele. No capítulo de hoje Silvia conseguiu convidar Cadu para um jantar, mas chegando lá viu Cadu beijando outra moça e saiu aos prantos. Felipe encontrou ela e resolveu consolar a moça, mesmo sendo um alcoólatra em recuperação levou a moça para beber. A moça bebeu e Felipe se ofereceu levar ela para sua casa, chegando lá a moça não parava de chorar e dizer o quanto amava Cadu, mas conversa vai, conversa vem, Felipe beijou a moça, pegou ela no colo, quase inconsciente, levou para o quarto e teve relações.

No dia seguinte quando Silvia acordou e percebeu o que tinha acontecido chamou ele de ''abusador'', mas ele riu, disse que tinha sido sua melhor noite e teria valido sua vida inteira. Ela ficou constrangida, confusa e no fim sorriu e relevou a situação, porque a mensagem é clara, Felipe ama Silvia e quem ama não estupra, tem o direito de fazer amor com a pessoa mesmo ela estando inconsciente.

Já escrevi o mesmo parágrafo sobre outras novelas, a mesma ideia circula na cabeça de todos os autores, quem ama não estupra, estava no seu direito de transar com a pessoa.

O correto seria Silvia acordar e procurar uma delegacia, fazer uma queixa, mas o que vai acontecer segundo os sites é mais interessante, ela vai se casar com Felipe! Mas isso é lógico e quero parabenizar o autor, finalmente as brasileiras têm os mesmos direitos que as iraquianas e vamos ser sinceras, que mulher não se apaixona pelo seu estuprador? É um privilégio para Silvia se casar com um homem que a estuprou e atacou quando ela estava bêbada. Aplausos para a direção da novela e o autor! Que ideia tão genial, Silvia vai descobrir depois do estupro que ama Felipe? Nossa!

Ele ama a moça e não estuprou, apenas quis ter relações com ela, mas a moça não queria, mas como ele ama tinha esse direito! Com certeza, amor dos bons, tanto que foi capaz dessa covardia. A única coisa que posso aplaudir no autor é o alerta, cuidado mulheres com esses amigos ''fofos'' que ficam por perto esperando uma chance de atacar. Pesquisas foram feitas no mundo inteiro e a grande maioria dos homens têm certeza que sexo com mulher bêbada não é estupro.

E esta semana recebi um e-mail anônimo, meio estranho, de uma moça que disse ser enfermeira de um hospital próximo a Vila Madalena. Me contou que estava assustada com o número de mulheres atacadas sexualmente durante os jogos da copa, segundo a enfermeira essas garotas estavam assistindo os jogos da copa no bairro de Vila Madalena, que concentra muitos bares e está atraindo a maioria dos estrangeiros no país, as garotas vão ali para curtir o jogo e se divertir, os homens se aproximam e tentam beijar, quando elas resistem apanham, e algumas já tiveram a mandíbula quebrada, marcas nos braços e depois são puxadas a canto para serem estupradas. Achei meio estranho o e-mail, mas hoje saiu no portal da UOL (não consegui grudar o link), uma repórter contando sobre o acosso sexual que as mulheres estão sofrendo na Vila Madalena e toda a agressividade dos homens que estão ali, ela conta detalhes bem parecidos ao e-mail que recebi.

Não li uma palavra sobre isso na imprensa, tudo dito sobre o bairro são flores e diversão, não vi nada na televisão nem no rádio sobre o assunto.

Grande parte da imprensa é composta por homens, quem vai dizer alguma coisa? E o que dizer se meninas assistem a novela e olham quando Felipe levou Silvia para a cama mesmo ela estando bêbada e falando sobre outro homem?

Quantas novelas ainda vou assistir e quantas vou ter que vir aqui e escrever a mesma coisa? Para quem eu tenho que dizer na Globo e na Record, ''estupro não é fofo''? Que parte dessa frase esses homens não entendem?

Não existe amor no estupro, quem ama não estupra e se aproveitar de uma mulher que bebeu não é fofo, é estupro.

O mais deprimente é que essas novelas são feitas no Rio de Janeiro, lugar com um índice alto de estupros, me pergunto se os autores, diretores, produtores não têm um segundo para pensar que não é assim que se aborda o assunto? Mulheres só casam com estupradores em países onde isso é obrigatório, caso contrário matam a mulher, mas essa lei não existe no Brasil e jamais uma médica bem sucedida como o personagem Silvia aceitaria quieta se casar com um homem que a estuprou.

Mas ele é meigo! É, esse foi outro erro do autor, o personagem era simpático, normal, podia ter ficado com a moça pelo jeito certo, mas estuprando não era a solução.

Sei que é uma contradição, mas nessa horas eu agradeço a Deus não estar trabalhando em uma novela, porque jamais e sem importar o dinheiro eu gravaria uma cena onde uma mulher dá risada depois de perceber que foi estuprada. Jamais aceitaria fazer um personagem que se casa com seu estuprador apenas porque na visão do autor o amor é isso, mistura de dor e paixão. Prefiro cortar meus pulsos a gravar uma cena que mostra todo o desequilíbrio que este mundo vive em relação a mulher. Nunca aceitaria um texto que tivesse a coragem de mostrar o estuprador como um cara legal que só teve a noite que sonhou, ele amava loucamente a moça e só queria isso, um pouco de seu amor.


Meu único consolo é que fui uma das cinco pessoas que assistiu essa novela, porque ninguém assiste, nem o pessoal da Globo, menos mal que ninguém viu. Mas a semente está lá e com certeza vai aparecer em outra novela, até que as leis mudem neste país e seja proibido mostrar o estupro como uma experiência de amor que a mulher desfruta. Um dia o estupro vai aparecer nas novelas exatamente como é na vida real, um crime terrível que deve ser punido.

Iara De Dupont

Um comentário:

Patrícia disse...

Graças à Deus não vejo esta novelinha lamentável. Concordo com tudo que voce disse, e digo mais, se a audiência estivesse bombando, ainda assim, talvez mais umas cinco pessoas pensasse assim também. Para o resto, isso é romântico, a médica ainda é sortuda de ter encontrado um novo "amor" no dia que se decepcionou com o outro. Tudo é distorcido e as pessoas parecem que tem a mente invertida.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...