ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

21 julho 2014

A coisa mais importante do mundo



Tenho uma amiga que namorou durante anos com um Romeu encantador, simpático, alegre, ótima pessoa. Mas o namoro acabou na porta do casamento, porque ela não aguentava mais os ciúmes dele. Os dois sofreram demais com o fim do namoro, mas depois cada um seguiu sua vida.

Quando eu a conheci ela namorava esse Romeu e desde o começo me dei bem com ele, sempre rolou uma grande simpatia das duas partes.

Já com seu atual Romeu nunca consegui trocar mais de duas palavras, sério, fechado, nunca me simpatizou. Um homem lindo, mas sem carisma nem doçura e jamais conversei com ele, mas minha amiga se apaixonou loucamente e ainda estão juntos.

Em algum momento eles terminaram o namoro, ela veio chorar no meu ombro e eu disse que era ótimo acabar com esse Romeu mesmo, ele era chato! Minha amiga defendeu o rapaz, disse que amava e iria voltar com ele. Ela já tinha bebido um pouco, estava chateada, e começou com aquela conversa de ''ele é o homem da minha vida''. Eu quis saber o que fazia dele o ''homem de sua vida'' e ela respondeu:

-Lembra do anterior? Eu achei que era o homem da minha vida, namorei por dez anos, amei muito. E acabou por que? Pelos ciúmes dele. Depois conheci esse que estou namorando, ou estava, mas vou voltar com ele e sabe o que descobri? Ele é meu grande amor, aprendi a diferença.

E que diferença foi essa?

-Ele me aceita. Simples assim, ele me aceita. Vamos fazer as contas, quantas pessoas podem te amar na vida? E quantas vão se apaixonar por você? Mas quem realmente te aceita? É isso que aprendi com ele, sei que me ama, mas acima disso me aceita como eu sou. É fácil a gente amar sonhando em mudar a pessoa, ou se apaixonar tentando melhorar alguma coisa ali, mas aceitar, quem aceita?

Dias depois ela voltou com ele e acabaram se casando.

Mas sempre me lembrei dessa conversa, nunca esqueci.

Como mulher sei bem o que ela queria dizer, somos educadas desde pequenas a aceitar todos e trabalhar duro para que nos aceitem, parece que as mulheres sempre estão pedindo licença para fazer qualquer coisa e implorando para serem aceitas. É a maneira tenebrosa na qual muitas de nós somos educadas.

E quantas de nós podemos dizer que somos aceitas pelo Romeu que amamos? Minha amiga tem razão, se apaixonar ou amar alguém pode ser mais fácil do que olhar nos olhos dessa pessoa e aceitar ela do jeito que é.

Dos Romeu que eu amei nenhum me aceitou, sempre tinha alguma coisa em mim que eles não aceitavam e não me faço de vítima, nessas épocas eu ainda vivia arrastando uma autoestima no chão e era masoquista emocionalmente, tive Romeus que eu sei que me aceitavam e não dei bola, fui atrás dos que não aceitavam.

O ser humano é complexo, contraditório e volúvel e podemos amar mas isso não significa aceitar.

Muitas pessoas dizem que o amor é tão grande que a aceitação já vem ali, mas nem sempre é assim, amar é uma coisa, aceitar é outra. Eu amo algumas pessoas na minha vida, mas não aceito o jeito de algumas delas, acho que aceitar é bem mais nobre do que o amor.

Nesse aspecto minha amiga tinha razão de amar tanto seu namorado, realmente deve ser um luxo neste mundo encontrar alguém que te aceite e também te ame.

E aceitar não é fácil, a maioria dos namoros que conheço vem cheios de frases ''você podia melhorar isso'', ''você devia parar com aquilo'', ''esse teu jeito hem?'', ''quem mandou ser assim?'' . E as mulheres sabem, essa munição sempre está virada na direção delas.

Todos parecem tão enlouquecidos em achar o amor que nem passam por esse estágio de aceitar o outro.

Hoje pensando na minha amiga vejo como ela teve sorte e foi inteligente, percebeu que para construir uma vida com alguém só amor não resolve nada, é preciso alguém que te aceite.


Claro que a primeira chave não está na mão de ninguém, está na nossa, somos nós que temos que nos aceitar primeiro, para que depois os outros nos aceitem, mas as mulheres sofrem muito com isso, porque somos educadas desde pequenas a nos odiar e caminhar na linha da auto-aceitação nem sempre é uma escolha simples.

A coisa mais importante do mundo é se aceitar e depois procurar alguém que nos aceite, não apenas que ame, isso alguns podem fazer, mas aceitar é para poucos e são esses que devem ser os escolhidos.

Iara De Dupont

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu sempre achei que era pra isso que o namoro servia, pra conhecer o outro e saber se é aquela pessoa ou não. Tem algo que elx não quer mudar e você não suporta? Ok, valeu, parte pra outra. O duro é quando um reclama que ninguém o aceita mas faz questão de não aceitar xs outrxs...

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...