ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

27 maio 2014

Amigas gordinhas: isso os filmes não mostram....


Recebi um e-mail de uma garota de treze anos contando um pouco sobre sua vida e os problemas que está vivendo pelo excesso de peso. E termina o e-mail me fazendo uma pergunta:

''Sempre leio seus posts sobre os Romeus canalhas e cafajestes que você namorou. Alguma vez você pensou que se fosse magra talvez teria encontrado homens melhores?''.

Pensei em responder o e-mail, mas resolvi fazer um post sobre isso porque não é a primeira vez que me fazem essa pergunta e não respondi antes porque não tinha a resposta clara na minha mente, mas hoje tenho. E só posso falar disso de uma maneira direta, não existem mais curvas e desvios nesse assunto.


É verdade que namorei cafajestes, canalhas e não me orgulho disso. E também acreditei na mesma coisa que essa garota acredita, pensei que não conseguia homens melhores porque não era magra e o mundo parecia me confirmar isso. Uma vez uma pessoa me perguntou se eu conhecia algum homem bem sucedido namorando uma gordinha, fez questão de me dizer ''pensa bem Iara, um ator, músico, empresário, qualquer homem bem sucedido, você já o viu com uma gorda?''.


Eu olhava ao redor e via isso, homens legais com garotas perfeitas. Conheci diretores, atores, produtores, ótimas pessoas, homens meigos e generosos, mas sempre com uma namorada ''magra'' ao lado. Para mim parece que sobrava o lixo, os piores homens.


E o mundo me confirmava isso, nas novelas, nos filmes, nos livros, as mulheres gordinhas eram apenas as amigas das protagonistas, essas sim sempre ficavam com os homens lindos e incríveis.


Tudo isso ia se juntando na minha mente, também pesou muito o fato de ter crescido em um ambiente machista e misógino, onde me deixavam claro que mulheres não valiam nada.


E meu histórico de namorados comprovou isso, nunca, nunca, nunca namorei um cara incrível, daqueles que todas suspiram quando passa e além de tudo é ótima pessoa, esses nunca me deram bola.


Mas minha avó dizia que burrice só é eterna se a gente não quiser mudar isso.


Muitas coisas aconteceram, perdi oportunidades e vi a vida escorregar pelos dedos até entender o que envolvia essa questão dos meus amores e hoje posso dizer na maior tranquilidade, eu nunca deixei de namorar pelo meu peso, não tive os homens que quis e não foi culpa da balança, foi por não ter autoestima. Se falhei nos relacionamentos e nas escolhas foi porque não tinha amor próprio, não tinha noção de quem era nem para onde ia.


O peso direcionou isso porque era visível para todos, mas sei que se não fosse ele teria sido outra coisa, porque autoestima a gente trabalha desde a base, não começa no topo da pirâmide.


Não tenho orgulho dos trastes que namorei, mas precisei passar por esse caminho tortuoso para entender que meu processo era comigo, não com eles, era eu que precisava urgente entender a necessidade de me amar e me respeitar.


E autoestima não tem nada a ver com peso, conheço pessoas gordas que têm mais autoestima que milhões de magras.


Ficou fácil para mim dizer ''fulano não gosta de mim porque sou gorda'', me escondi detrás  dessa frase, era melhor isso do que me olhar no espelho e aceitar que eu não gostava de mim e não me amava. Aceitar que eu não tinha autoestima era um processo mais doloroso do que dizer que homens preferem magras.


E ao dizer que ''homens preferem magras'' eu esquecia de dizer que não gosto de homens superficiais, nunca me chamaram a atenção, então no fundo reclamava de homens que podiam não me dar bola, mas também não me interessavam tanto assim.


Quando comecei a entender isso e melhorar minha autoestima esses homens canalhas e cafajestes começaram a evaporar, meu interesse neles foi desaparecendo como uma nuvem. E nem precisei emagrecer para que isso acontecesse, a única coisa que fiz foi perceber o que estava acontecendo e comecei a trabalhar minha autoestima.


E hoje sei que posso ter ''homens melhores'' porque eu sou melhor comigo, deixei de me perseguir e odiar tanto. Hoje sei que meus amores são meu reflexo no espelho, se são ótimos é porque vou em bom caminho, se são ruins é porque escorreguei de novo na falta de amor próprio. Mas isso eu não arrumo na balança, é fora dela que as coisas acontecem. Me amar e me respeitar tem sido um processo largo e não incluiu cortar carboidratos da dieta, nem correr por horas. Se reconstruir a ponto de se amar é muito mais difícil do que as pessoas pensam. E vou devagar, mas entender o processo me ajudou a descartar esse pensamento de ''poderia ter homens melhores se fosse magra''. Mereço homens melhores e não porque sou magra ou gorda, mas porque sou uma ótima pessoa e pessoas assim merecem gente incrível, mas essa parte os filmes não mostram. Ainda bem que somos nós que desenhamos nossa vida e sempre podemos fazer esse final onde tudo dá certo porque é  o que acontece com quem tem amor próprio.


Iara De Dupont


3 comentários:

Suzana Neves disse...

Ótimo ponto de vista,outra coisa que machuca quando se acorda pra vida é ter levado parte dela acreditando, que se precisa ser amada para ser feliz'amor bom é o que se sente por si.

Anônimo disse...

Pois é... o problema é que autoestima e felicidade não dão lucro nem fazem você se adaptar ao que a sociedade quer de você. Como alguém que já sofreu todo tipo de bullying por não se encaixar nos padrões que meus colegas queriam nem me importar em mudar pra atendê-los, eu digo: não gostou? Dane-se você. É libertador.

C.Belo disse...

Autoestima é tudo isso é fato. Mas pensa, deve ser MUITO difícil para uma garota de 13 anos entender que se amar é mais importante do que ser magra! Certa vez li uma pesquisa -detalhe, feita com mulheres adultas!!!- que a maioria esmagadora das mulheres entrevistadas preferiria perder uma boa porcentagem do salário todo mês do que engordar 10 quilos!!!!!!!!!!!!!!!!!

Num mundo como esse, fica difícil mesmo entender o poder de uma autoestima blindada! Mas se eu fosse tentar explicar, colocaria assim: quem ama quer o bem, respeita. E se vc se ama, logo vc SE respeita, e se respeitar significa não aceitar MERDA apenas pelo medo de ficar sozinha. Com esta atitude em mente vc canaliza todos os seus esforços no sentido de encontrar alguém na mesma sintonia. Sem contar que quando vc sabe bem dos seus pontos fortes e os aprecia, a tendência é vc evidenciá-los e, com isso, mais pessoas conseguirão vê-los e apreciá-los tb.

Enfim....podemos tentar explicar, mas fazer estas palavras entrarem no coração de alguém tão inexperiente é bem mais difícil! Afinal, a maioria de nós só atingiu este estágio vivendo na pele as duras experiências, né?

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...