ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

22 abril 2014

Homens: tratem esse assunto com seriedade ou aguentem em silêncio


Qualquer assunto que é jogado na roda sem seriedade fica difícil de entender a dimensão do problema, não dá pra fazer piada de tudo, porque isso diminui o problema e ninguém sabe como agir diante de uma ''piada''.

De todos os trabalhos que já tive nenhum superou trabalhar na produção de uma peça, a pior coisa que fiz na vida, a mais irritante e cansativa, fora o grupo maldito dos atores que faziam parte.

Mas tinha um que merecia todos meus sorrisos, o Jaime, lindo, educado, parecia um lord.

Era uma peça de época, sem grandes recursos e pouca gente na produção, então fazíamos praticamente de tudo e um dia antes da estréia Jaime me procurou para arrumar seu figurino. Quando a peça é grande, com patrocínio e fica em um teatro fixo os figurinos são responsabilidade da produção de figurino, mas quando é uma peça pequena, que vai rodar vários lugares, os atores se encarregam de uma parte do figurino, pelo menos quando tem que levar pra lavar.

Jaime me pediu para ''consertar'' seu figurino, quando vi estava todo rasgado, o estrago foi tanto que dei o figurino a uma das produtoras que tinha máquina costurar em casa, mas não perguntei nada ao Jaime, naquela época já tinham se passado meses de ensaio e o clima não era dos melhores, eu evitava entrar em conversas com atores e atrizes porque me tiravam do sério.

Semanas depois antes de uma apresentação Jaime me procurou de novo, precisava de ajuda, porque em uma cena ficava de costas sem camisa, mas estava machucado nas costas e precisava de maquiagem. Quando ele tirou a camisa quase vomitei, ele tinha todas as costas mordidas e feridas que ainda sangravam. Foi corajoso porque maquiagem em feridas é um perigo, pode dar infecção, mas ele insistiu e aguentou quieto, mesmo assim não deu para resolver muito porque algumas ainda sangravam, nem pareciam mordidas humanas, porque dava para ver as marcas de dentes, mas tão fundas que pensei que devia ter sido atacado por um lobo. Nesse dia não disse nada porque não deu tempo, tive que correr com o iluminador da peça e explicar a situação e ele conseguiu arrumar, foi só descer um pouco a luz, assim de longe não daria para ver as feridas nas costas.

Dois dias antes do fim da temporada Jaime se atrasou em uma apresentação. Era um teatro velho e tínhamos que subir escadas e descer no escuro, como eu fazia parte da produção tinha que ir levando os atores conforme eles entravam em cena e cada vez que eu chegava na parte dos camarins alguém dizia '' O Jaime não chegou''. Poucos minutos antes de começar a peça ele chega correndo e com o pulso engessado, mas era uma peça de época, não poderia aparecer o gesso. Foi uma correria para disfarçar aquilo, ele interpretava um lenhador, imagina um sem braço? Tivemos que pegar um saco de batata que era parte da cenografia e embrulhar seu braço.

Mas foi um dia péssimo, tudo atrasou, deu errado e no fim eu me estressei com uma atriz, ela vivia pegando no meu pé porque na peça tinham crianças e eu fiquei sabendo que ela dava tapas no bumbum de algumas e em outras atrizes, foram tantas reclamações que eu passei isso pro diretor, como comportamento inadequado, ele foi lá, deu bronca nela e ela se virou contra mim, me chamando de paranoica, mas eu sempre achei que o comportamento dela era fora do normal. E esse dia na pressa eu grudei um papel no banheiro, pedindo para as atrizes jogarem no lixo o algodão com maquiagem, mas na pressa escrevi ''maquiajem'' e essa atriz arrancou o papel e saiu gritando, dizendo que eu era uma analfabeta, ignorante e tal, a discussão esquentou de tal maneira que só não acabamos no tapa porque outras pessoas perceberam e entraram no meio para separar, porque ela chegou a puxar meus cabelos.

Fui para outra sala onde estava outros atores, para tentar me acalmar, estava nisso quando Jaime entrou e veio me agradecer ter resolvido o problema de esconder seu gesso. Não é inteligente fazer isso, mas eu fiz, acabei explodindo em cima dele, falei um monte e disse que pensasse duas vezes antes de ser ator, porque aquela peça tinha crianças e elas nunca me deram mão de obra durante a temporada, já ele cansou minha beleza, primeiro porque em véspera de estréia me chegou como figurino rasgado, depois um lobo pulou nele e machucou as costas e fui eu que tive que passar maquiagem ali e no fim chega de gesso.

E o que Jaime fez? Rolou de rir no meio da sala, cheia de atores e atrizes, gente de produção e morrendo de dar risada me contou que o problema era sua namorada, ciumenta e meio nervosa, não queria que ele fosse ator, então destruiu o figurino um dia antes da estréia da peça, depois tiveram uma briga e enquanto ele dormia ela pulou nas suas costas e começou a morder. E finalmente um dia jogou uma cadeira na cabeça dele, que para evitar o golpe colocou a mão na frente e quebrou o pulso. E todo mundo na sala começou a dar risada. Foram tantas piadas que até eu acabei rolando de rir no chão, porque era engraçado pensar que alguém de 1,90 de altura levava essa surra de uma mulher de 1,50.

O curioso da situação é que nessa mesma peça uma das produtoras apanhava do marido, que também era da equipe e quando isso acontecia ela chegava tremendo, com os olhos inchados e evitava falar com todo mundo, parece que se encolhia de vergonha. Já Jaime dava risada.

E o outro dia assisti uma entrevista do ator Matt Damon e perguntaram se era verdade que sua mulher batia nele e ele respondeu:
-Só quando está grávida, então ela fica nervosa e me bate, mas eu penso que tudo bem, se vai fazer ela se sentir melhor tá valendo.

O estúdio inteiro e o apresentador do programa rolaram de rir, lá estava um  ator dono de uma grande produtora, ganha milhões por filme e assumindo que apanha da mulher.

E todo esse assunto vem porque recebo com uma frequência que não me agrada e-mails questionando meus princípios humanistas, já que me posiciono contra a violência com a mulher, mas fico quieta em relação a violência em relação aos homens, mas se os homens não levam a sério isso, por que eu deveria?

E as estatísticas mostram que uma a cada três mulheres vai sofrer abusos e violência por parte do companheiro e uma a cada sete vai morrer nas mãos deles. Já com os homens essa estatística nem é feita, porque os casos de homens que morrem assassinados pelas suas companheiras não soma nem 1% ao redor do mundo.

Entendo que nenhuma violência é aceitável e muitas mulheres abusam dos homens verbalmente, mas não é função das mulheres denunciarem isso nem correrem atrás do prejuízo, neste caso são os homens que devem se levantar e denunciar que estão sendo vítimas de violência. E sei que existem, eu tinha um tio que bebia e minha tia se desesperava tanto quando via ele chegar bêbado em casa que começava a bater e chutar ele, se não fossem os vizinhos minha tia teria matado ele, porque até uma panela de pressão ela chegou a jogar na cabeça dele.

Mas eu fico aqui no meu canto pensando, poxa, o mundo odeia as mulheres, o mundo é machista e misógino e mesmo assim as mulheres conseguiram  denunciar os horrores que vivem e os homens estão no mundo deles e ficam quietos? Ah, mas eles ficam quietos pelo machismo, porque é vergonhoso apanhar de uma mulher, então eles dão risada e disfarçam. Pois é homens, esse machismo é uma merda né? Se vão aguentar essa violência em silêncio, por vergonha, bem vindos ao mundo da mulher.


Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...