ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

28 abril 2014

Canso de dizer, com dinheiro a pessoa sofre menos..

Tori e seu marido Dean

Depois de quatro anos de blog começo a ter uma ideia, mesmo que vaga, sobre assuntos que encostam em alguns nervos.

Posso falar à vontade sobre o dinheiro que ninguém reclama, mas se isso envolve um ''casal'' ou a importância de discutir sobre isso em uma relacionamento é questão de minutos para receber emails me chamando de ''vadia'' e ''prostituta''. Falo que gosto de dinheiro e todo mundo entende, mas se falo que dinheiro é fundamental para curtir o amor, então o mundo desaba e me mandam emails ofensivos. Mulheres entendem meu ponto de vista, a questão econômica em uma relação tem que ser discutida, não adianta ignorar.

Há uns anos lembro de uma colega na universidade, era casada, com três filhos, e descobriu uma traição do seu marido. Lembro dela chorando no banheiro e já naquela época eu não pensava em ''traição'' no contexto burguês, acho que todos têm o direito de fazer o que quiserem com seu corpo, o que me incomoda da ''traição''  são as mentiras que acompanham e os comportamentos covardes, mas não tenho a ilusão de que seja possível manter um relacionamento com a mesma pessoa a vida inteira.

Essa moça acordava de madrugada, deixava os filhos com a sogra, corria para o emprego, ficava lá até a noite, quando ia para a faculdade e voltava para sua casa depois da meia-noite. Uma amiga dela sugeriu que ela se separasse, já que estava tão magoada com o marido, mas ela disse que não podia, contava com a sogra para ajudar com os filhos, o casal dividia milhões de carnês, estavam construindo uma casa juntos e qualquer movimento deixaria ela em uma situação pior, até porque sua família não era de São Paulo, então era obrigada a relevar a situação.

E esse filme já vi, se o homem sabe que a mulher é obrigada a tolerar aquela situação por estar amarrada economicamente ele abusa mesmo, o que começa com uma traição termina com centenas delas, aí é que ele vai à forra. Homem só recua e se intimida diante de mulheres que podem reagir a uma situação e se resolver economicamente, mas se a mulher está presa a falta de dinheiro, eles trituram até o fim.

E li agora sobre uma ATRIZ americana, Tori Spelling que descobriu que seu marido Dean McDermott estava sendo infiel. A história ali é enrolada, ela estava casada com outro ator quando conheceu Dean e se apaixonou loucamente. O ponto é que ele também é ator e sua carreira nunca foi a lugar nenhum, imagino que isso deve ter afetado sua autoestima, porque quem banca a vida de luxos dele é a mulher, herdeira de um império deixado pelo pai, Aron Spelling, um dos maiores produtores de televisão, responsável por séries como Dallas, A feiticeira e As panteras. Tori vai precisar de umas vinte vidas para gastar o que o pai deixou. Quando ela se casou com Dean o pai não gostou e a tirou do testamento, logo morreu, e ela levou anos brigando com a mãe, mas conseguiu recuperar sua parte.

A moça descobre que seu marido está sendo infiel e o que acontece? Vai para o hospital porque teve uma ''crise de tensão''. Deve estar chorando pitangas em um hospital caro, agarrada a um travesseiro de centenas de dólares, enquanto seu marido espera do lado de fora se sentindo péssimo, um merda pela traição e por causar tanta dor a esposa.

E minha colega de faculdade? Teve que engolir em seco a traição. Não pode perder a casa nem a ajuda da sogra e o marido hoje deve estar mil vezes pior. Mas Tori está cobrando do seu marido, porque sofrendo no hospital vai fazer ele morrer de culpa e duvido que as crianças ficaram com a sogra, devem estar cercados de babás, já que são quatro herdeiros, todos cuidados com se fossem de ouro (praticamente são).

A vida é isso, não adianta negar, dinheiro muda a situação e como vemos ela. Minha amiga teve que aguentar a pulada de cerda do marido, Tori vai cobrar essa pulada, até porque deve ter sido com o cartão de crédito dela, já que ele trabalha muito de vez em nunca.

O dinheiro vai fazer Tori sofrer menos, pode pagar um bom psicólogo, viajar pelo mundo e arranjar outro homem e podia nesse intervalo crescer para a vida e perceber que não existem ''almas gêmeas'', porque ela insiste em dizer isso dele. Já minha colega está destinada a ralar mais um pouco, trabalhar para poder se livrar do marido e não precisar da ajuda da sogra para cuidar as crianças.

É, depois sou eu que falo né? Mas é o mundo que é assim, com dinheiro a pessoa leva um tapa de pelica, sem dinheiro leva uma surra. O dinheiro é tão maravilhoso, milagreiro, que até uma traição ele pode aliviar. Fiquei pensando na minha colega, teve que limpar o rosto e ir trabalhar no dia seguinte e ainda encarar a faculdade a noite, já Tori ao saber da traição correu para um hospital para relaxar e pensar no que tinha acontecido.

Dinheiro é a fonte da alegria, da vida, do futuro e a amizade mais sólida que se pode ter. Sem dinheiro a pessoa fica como minha amiga, abandonada e correndo atrás, mas com dinheiro a pessoa é mimada e chora à vontade.

Minha colega voltou a sua casa e foi obrigada a ver seu marido, Tori vai ver se quiser. Essa é a ponte dos milagres que o dinheiro constrói, você faz as coisas se quiser, não porque está preso a questões econômicas.

Tanta gente por aí dizendo que ''a verdade liberta''. Tá bom pra quem acredita nisso, mas eu penso que a única coisa que liberta neste mundo é o dinheiro.

Iara De Dupont

4 comentários:

Alessandra Tofoli disse...

Tudo o que poderia ser muito ruim, com dinheiro fica menos pior.
Não adianta virem jogar pedra, chamar de interesseira, blá, blá, blá, mas é isso mesmo, na prática a coisa funciona assim, quer achem fofo ou não.
Bjs.

C.Belo disse...

Olha não é à toa que existe aquele ditado que diz que "amigos, amigos. Negócios à parte".

E creio que isso se aplica ao relacionamento amoroso tb. Eu quando casei pensei nisso, embora eu acreditasse (e ainda acredite) no amor sincero do meu marido. Casei com comunhão parcial de bens e tratei bem de alguns assunto antes do casamento.

Quando eu falo isso pras pessoas ela me olham torto, principalmente mulheres! Se até meu marido compreendeu na época e ainda compreende esse meu pensamento, pq será que é tão difícil pras pessoas entenderem?

Gente, vou falar algo óbvio, mas que justamente por isso acho que é difícil pra entender: COISAS ACONTECEM. E a gente nem tudo pode controlar. Isso se aplica à nós mesmos, que dirá aos outros! E vamos combinar que o término de um relacionamento, ainda mais uma relação de anos e que envolve filhos, é dura demais, seja por que motivo for, imagina ainda ter de lidar com "pendengas" legais! Aff! Pq não resolver logo o que puder ser resolvido?

Anônimo disse...

Depois os românticos incorrigíveis do amor eterno veem o Felizes pra Sempre ir por água abaixo por causa de traição, violência, abuso, dinheiro e entendem que as "interesseiras" estavam certas em alguns aspectos. Na boa, já não tá na hora desse povo crescer e entender de uma vez que Príncipe Encantado e Cinderela são personagens de contos de fadas e não retratos da realidade?

Anônimo disse...

Por isso casei em comunhão universal de bens, ele já tinha bens, eu não kkkkk

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...