ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

03 março 2014

" Não sou feminista'', diz blogueira. Moça, vai estudar (direito conquistado pelo feminismo)


 


Muitas informações correm pelo mundo e ninguém tem tempo para ler tudo.
Eu como  muitas, aprendi uma versão distorcida e pasteurizada do feminismo, me foi dito que tudo já estava bem, mulheres trabalhavam fora e podiam votar, usavam saias curtas e podiam se divorciar. 
Feminismo então era uma coisa ultrapassada, que não precisava de mim.

Mesmo assim senti durante anos o ar me sufocar, sempre fui rebelde e não cedia nos meus namoros, não aceitava a ''suposta autoridade masculina'', rejeitava as agressões que sofria e achava errado que sempre tudo fosse considerado culpa da mulher. Tudo me parecia fora do lugar, mas sem saber o que era achei que a errada era eu.

Isso durou décadas, a sensação de estar fora de lugar. Até que por mil coincidências comecei a ler sobre o feminismo, ir a umas palestras que achava na internet e comprar livros. Tive uma aproximação na faculdade por um professor e comecei a perceber que tudo o que me foi dito era uma ''quase mentira''. Eu posso votar, mas votar não é meu único direito, tenho muitos ainda e a maioria é negado.

As mulheres ainda ganham menos, sofrem mais violência, morrem nas mãos dos companheiros, são agredidas em salas de parto, são acossadas nos trabalhos e rua e humilhadas por todo o sistema. Sempre recomendo a leitura do blog da Lola, um dos melhores blogs sobre feminismo, aborda todos esses assuntos com uma clareza incrível.

Mas vejo muitas amigas confusas e repetindo uma frase de uma blogueira, ''eu não sou feminista, não vejo porquê brigar com homens''.

Feminismo não é sobre brigar com homens, pelo contrário, é sobre ter seus direitos reconhecidos, é a luta pela igualdade, ninguém quer brigar com homens, é apenas garantir que todos vamos ter os mesmos direitos, que sejamos todos julgamos sem estar presos a clichês de gênero.

Eu me considero feminista e não tenho nenhuma intenção de brigar com homem, prefiro ter eles como aliados, minha luta não é contra eles, é contra o sistema machista que sustenta o mundo que vivemos.

Mas essa frase de '' não sou feminista'' mostra apenas que a mulher nem sabe o que é feminismo e isso é a maior tragédia deste mundo, o oprimido negar que está preso e apanhando. 

Só peço a essas mulheres que ''não são feministas'' que por favor, tentem saber o que é feminismo, porque se vocês hoje podem abrir a boca e dizer o que pensam, é porque muitas morreram antes defendendo os direitos de vocês, que nem sabem o que é isso.

Dizer ''não sou  feminista'' é passar em cima de quem lutou e morreu pela liberdade das mulheres. É muito fácil no século XXI dizer que não ''gosta de  brigar com homens'', só dizem isso porque nunca foram vendidas nem obrigadas a se casar com quem a família quisesse, na ideia da falsa liberdade é normal achar que ''tudo está bem''.

Mas os números são assustadores em relação a toda violência que  a mulher sofre, além do stress atual de levar emprego, casa e benhê nas costas.

Feminismo não é um movimento de ódio com os homens, nem de ressentimento, é luta pela igualdade, a mesma que ainda oprime os negros e os gays, que também tentam nessa sociedade  conquistar seus direitos.

E uma blogueira jornalista dizer isso, que não é feminista, me fez subir paredes, como é possível a pessoa se formar e não saber que o acesso das mulheres as faculdades é recente? E como ela poderia ignorar  a quantidade de mulheres que escreveram escondidas, debaixo de pseudônimos para não serem perseguidas? Essa blogueira está na frente de um computador novo escrevendo o que quer e acha que aquilo ali foi dado pelos duendes ou que ao nascer todos seus direitos foram reconhecidos.

Não preciso nem adivinhar que a tal blogueira é paulista, cheia de privilégios, desconhece a realidade das mulheres árabes, das mulheres africanas mutiladas, do tráfico de mulheres no mundo inteiro. Deve achar que todas vivem e amam como as paulistas cafonas, que adoram shoppings e café com as amigas.

Se uma mulher abre seu perfil dizendo ''não sou feminista'', eu paro a leitura ali. Não me interessa nada do que tenha a dizer, porque também sou paulista e piso no radicalismo e pouca tolerância, acho o fim do mundo gente que não respeita o passado e quem morreu por ele.

Eu faço o que quero da minha vida, mas gerações anteriores não tiveram essa mesma sorte. Tive bisavó, avó e mãe condenadas, em prisões domiciliares, às ordens do patrão e se apanharam muito foi para que eu pudesse ser alguém e não cair na mão do machismo.

Ser feminista para mim é mais do que a luta pela igualdade, é a luta pela honra dessas mulheres que viram sua vida ser massacrada por homens machistas em um sistema de patriarcado. Lutar pela justiça e para que todos sejam considerados iguais não é apenas feminismo, é vontade de ver um mundo mais justo e igual para todos.

Mulheres da minha família morreram nas mãos de homens e eu vou chegar aqui e dizer ''não sou feminista?'', que porra é essa? É como dizer '' eu não me importo com elas''.
E quem não se importa com elas não se importa com ninguém, são péssimas pessoas, péssimas cidadãs.

E como feminista não me incomoda a estupidez masculina no assunto, entendo que  a liberdade nunca virá da mão do opressor, mas ver uma mulher dizendo que '' não é feminista'' me desespera. Só aceito essa frase de quem argumentar sobre o assunto e me mostrar politicamente porque ''não é feminista''. Estou cansada de escutar essa frase como se fosse a mesma coisa que dizer '' não como lixo'', parece que é uma coisa ruim ser feminista, isso para não mencionar a confusão entre feminismo e feminino, duas palavras totalmente diferentes, feminismo é o que está no começo do post, na parte amarela e feminino é 

  ''Próprio de mulher.
2. Próprio de fêmea.
3. [Gramática Que é do .gênero feminino.
"feminino", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/feminino ''

Se hoje essa blogueira é relativamente livre, porque ela não sabe, mas não é, e pode sair gritando que ''não é feminista'' é porque alguém morreu pela causa ontem. Mas é por isso que às vezes deixo de acreditar no ser humano, as pessoas morrem por um mundo melhor e depois chegam outras desfrutando de tudo que foi conquistado e ainda por cima dizem ''não sou feminista''. Essa é a grandeza do feminismo, ele luta pela igualdade de todas as mulheres, não apenas das que merecem, até essas que não merecem são beneficiadas pela luta de todas. 

Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...