ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

09 março 2014

Codi, cansei de te odiar (e me odiar por isso)



A vida é simples, eu é que sou complicada. Foi só uma ligação tua de manhã e parece que o mundo mudou.
Não reclamo da hora, sei que você está em um lugar onde horas estão a frente, ou atrás. Nem vou te dizer que odeio ser acordada de manhã, você sabe disso.

Mas depois que levantei da cama abri o armário e vi um pacote de Doritos. Pensei que não devia mais comer isso, faz mal, não me traz nada positivo. E pensava em você e na tua tímida ligação para me parabenizar pelo dia da mulher. Sei que não reagi como você está acostumado, achei engraçado quando me perguntou se eu ''estava bem''. Antes talvez eu teria te dito um monte, não vejo nada para comemorar no dia da mulher, mas preferi agradecer e mudar de assunto.

Depois sai para caminhar um pouco e senti uma coisa estranha. Codi, não tenho mais energia para te odiar. Desde o começo do ano passado venho esperando o dia de te ver de novo e dizer um monte sobre a última vez que a gente se viu. Minha vontade era de te encher a cara de tapas, dizer que você é um canalha babaca e te jogar uma praga. Pensava nisso ao mesmo tempo que uma parte de mim achava que nós tínhamos alguma coisa ''especial'', uma energia que parecia que ligava nossas duas vidas, apesar de tudo nossos caminhos sempre se cruzam em momentos que ninguém nunca conseguiu me explicar. Eu guardei isso no fundo da alma e resolvi me divertir por aí, escondi de todos que já tinha encontrado meu grande amor e um dia ficaríamos juntos, achei mesmo que você era questão de tempo.

Mas hoje percebi que estou exausta. Tenho mais raiva e ódio na minha gaveta do que amor por você. Se você voltasse eu teria que atravessar rios de pântano para confiar novamente nos teus sentimentos. Codi, não dá mais. Cansei, minha cabeça doí quando penso em você. Depois da tua ligação minha barriga começou a apertar. Liguei para uma amiga que conhece a história e ela me disse- Solta esse cara!

Como dizem por aí ''teje solto''. Não quero mais pensar em você e ter dor de cabeça, me sentir magoada por aquelas declarações que tua namorada espanhola coloca no twitter (ridícula viu, pronto falei!).

Não dá mais Codi. A vida anda e não consigo mais carregar as palavras que não te disse, os tapas que não dei, o ódio que nunca despejei, a raiva que sinto. Decidi que vou lutar contra tudo isso e guardar apenas as coisas boas, tudo bem que a gente nem teve tantas assim né? Mas desenterrei aquela vez que você me conseguiu uma coca-cola no meio do nada, quando minha pressão desceu. A primeira vez que vi tua tatuagem, aquela linda na altura do quadril e aquele teu sorriso aberto, sempre que batia na minha porta e eu descia correndo você sorria da maneira mais linda do mundo, até hoje nunca vi alguém me sorrir assim.

Minha amiga me perguntou, se você tivesse oportunidade de resumir tudo em uma frase o que diria para ele?

Pensei o dia inteiro e seria esta:

- Acabou. E não foi por mim, você que não quis.

Só isso. Cheguei no meu limite, te amei, não fui amada, te quis, você não quis, me amou, eu não amei mais, enfim, não interessa mais qual foi o descompasso, mas a nossa música não aconteceu. Me aperta o coração, queria no fundo da minha alma ficar com você, mas entendi hoje que já acabou.

Codi, vamos que vamos, não sei se um dia poderemos ser amigos, mas se considere livre do meu ódio assim como eu me considero solteira novamente, depois de um período de meses sonhando com tua volta.

E não sou de promessas, mas gostaria de pensar que você foi o último homem que eu odiei, não quero mais carregar essa energia nem treinar o que vou dizer o dia que '' falar um monte''. Quero andar pra frente e me livrar de tantos sentimentos ruins que ficaram, quero pensar e me concentrar apenas nas coisas boas que um dia senti.

Lembrei de uma coisa que aconteceu uma vez, vi umas crianças brincando com umas bolas de gude, eu nem lembrava mais disso, tanto fiquei ali que elas vieram me mostrar e peguei uma que era da mesma cor que teus olhos. Você acabava de chegar na minha vida, com esse azul, o mais incrível. Era como um mar diante de mim e de todos meus sonhos. Pedi para as crianças e elas me deram essa bola de gude, grudei ela em um papel e coloquei do lado da minha cama. Ficou ali durante anos, o teu olho que me cuidava. Codi, ainda te amo apesar do ressentimento, mas hoje entendi, esse olho se fechou. Te deixo ir, me desculpe a demora, mas segurei um tempo a esperança oca.

O cansaço me venceu, se um dia a gente era ''para ser'' esse dia aconteceu hoje. A gente ''foi'' Codi, mas acabou. Nem todos são eternos e minhas gavetas precisam ser esvaziadas e limpas.

Daqui pra frente de você e de todos que vierem quero o melhor, o lixo eu vou jogar fora, nunca mais vou carregar.

E pode ler o post e ter certeza disso, eu te amo, mas é apenas isso que quero levar de você. Obrigado pelas lições que aprendi e por esses olhos azuis, que um dia me fizeram mergulhar no melhor mar que já conheci.



Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...