ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

12 março 2014

Bruna Giorjiani: você não está sozinha..

Bruna Giorjiani, a professora que o sistema não quis

Devo receber por dia de dois a três links contando histórias sobre gordofobia.

Se eu fosse escrever sobre todas não terminaria nunca. 
Mas ontem recebi esse LINK e fiz questão de falar sobre o assunto, para que a moça em questão, Bruna, saiba de uma coisa, ela não está sozinha nem errada. Queria eu que tivessem me dito isso, os errados são eles, não eu.
Todas as questões que envolvem Bruna perseguem todas nós que somos gordas.

Bruna prestou concurso e passou, mas sua contratação foi recusada porque o DPME ( Departamento de Perícias Médicas do Estado de São Paulo) concluiu que ela sofre de obesidade mórbida e pode desenvolver doenças no futuro.

Ela respondeu dizendo então que fumantes também não deveriam ser contratados, porque eles também podem desenvolver doenças no futuro.

A lógica é perfeita, também deveria ter incluído a questão genética, eu sou gorda porque puxei a genética da família do meu pai e se vou ser julgada por isso, então que essa regra seja aplicada em pessoas que têm diversas doenças na família e podem ''herdar'', como o caso do câncer. Se o Estado pensa a futuro, então que todos passem por esse pente fino da genética.

E esse mesmo Estado que parece tão preocupado com o futuro, que pense no presente e resolva questões ligadas a obesidade agora, não amanhã.

O mais incrível da história é pensar que o governador de São Paulo é médico e tem informações suficientes sobre obesidade para perceber a barbaridade que fizeram com a essa moça.

Espero sinceramente que ela processe todos os envolvidos, corra atrás de uma indenização, porque é apenas a ponta do iceberg.

Bruna é professora, pertence aquela categoria que ganha misérias, trabalha demais, sofre todo o stress do mundo e ainda por cima tem que passar por isso. Retrato perfeito de como um país trata seus professores em todos os sentidos.

Quanto a discriminação sofrida, eu só posso dizer uma coisa, Bruna, você não está sozinha, faz parte de 51% da população brasileira acima do peso que todos os dias passa por estúpidas humilhações.

Eu já perdi uma vaga de atriz para um ator que usava drogas e o diretor foi direto, me cortou porque eu era gorda, isso era uma realidade, o fato do outro ator usar ou não drogas era problema dele e talvez '' fofoca da oposição'', mas minha gordura estava ali, na frente de todo mundo.

Essa foi uma das mais marcantes situações que passei, mas não foi a única. Perdi tantos testes e papéis por não ser magra que nem choro mais, sequei minha alma em relação a isso.

E os Romeus? Listas e listas tenho na minha gaveta e nem posso colocar a mão na cintura  e dizer que foi superado, há menos de dois meses escutei isso de outro '' prefere magras''.

E roupa e gente comentando? E ônibus, cadeira de cinema, de teatro? Tudo risca na minha testa: Você não é bem vinda.

Já sei disso, mesmo assim acredito em lutar até o fim pelos direitos dos gordos, assim como vejo os gays lutarem e os negros também. A chave não vai ser entregue pela mão do opressor, somos nós que temos que levantar e dizer: Chega!

Sei que atrás de cada luta, especialmente essa que conheço tão bem, existe muita dor. Eu nunca fui recusada em um teste por gorda e pensei na hora ''vou lutar pelos meus direitos'',  não conseguia fazer isso, corria para minha casa e chorava durante dias. Ainda choro muito, mas hoje consigo sentir raiva e entendo que não estou sozinha e o mundo está errado.

Meu peso é meu problema, não do Estado e ninguém deve ser julgado por isso jamais, em nenhuma circunstância.

Espero Bruna que você ganhe todos os recursos, não é uma questão de merecimento, mas de justiça. E não importa o que aconteça, não esqueça disso, você não está sozinha e qualquer gesto teu vale muito.

É cansativo lutar, já pensei nisso também, na preguiça imagino que ser magra  me livraria de todos os problemas que tenho que lidar com o mundo, mas cada um tem seu destino e talvez esse seja o meu, escrever a respeito, divulgar os horrores da gordofobia, a tragédia da perseguição. Quando estou muito cansada lembro das humilhações que sofri na escola por ser gorda. E penso que talvez minha luta possa proteger o coração de alguma pequena que está pelo mundo. E nisso que me seguro, no desejo sincero de que nunca mais ninguém passe pelo o que passei. Posso ser um grão de areia, mas não sou a única, somos milhões de mulheres no mundo sofrendo preconceito, mas esse mundo vai mudar. Porque isso tenho bem claro na alma, toda minha dor e tudo que passei por ser gorda não vai ser em vão.


Iara De Dupont

3 comentários:

Alessandra Tofoli disse...

Querida Iara, faz tempo que não dou as caras por aqui ou no face né?
Saudades!
Acabei de fazer meus exames periódicos e uma das primeiras coisas que ouvi do médico, após ler toooodos os meus exames muito bons, com índices que faz inveja a qualquer magro por aí,que eu realmente precisava me preocupar com o meu peso que no futuro esses índices não seriam tão bons assim, blá, blá, blá.Se fosse antes não discutiria, mas depois de tanto ouvir merda por aí discuti com ele sim.
Disse que ele não sabia desde quando eu tinha sobrepeso. Que já fazia algum tempo que estava daquela naquele peso e que isso nunca foi um sinal de que não cuidava da minha saúde (alimentação, exercício físico, etc).
Falei que se ele estava falando pela aparência eu sentia muito por ele.
Claro que não gostou de ouvir isso e me disse que sou responsável pelo meu corpo.
Eu respondi que sou sim responsável pelo meu corpo e que exatamente por isso não permitiria mais que ninguém falasse comigo como se meu peso estivesse atrelado a questão de descuido de saúde, sedentarismo, etc.
Tô de saco cheio de ouvir algumas coisas, isso não é apologia alguma ao sobrepeso, mas quero ter o direito de ser como sou e não dar satisfação a ninguém.
Nem estou assim tão fora do meu peso e mesmo que estivesse, isso não é sinal de preguiça.
Desculpe o desabafo querida.
Beijo enorme.
Alessandra Cabral (Tofoli)

Iara De Dupont disse...

Ale, você sumiu mesmo! Que bom que voltou! Vou te contar um segredo, eu fico mimimimi quando o pessoal some! Não gosto, fico pensando, mas sumiu por que?
Ainda bem que você voltou, isso me enche de alegria!
E não se preocupe pelo desabafo, estamos aqui pra isso e eu que agradeço o tempo que você colocou aqui, beijos e não suma, senão fico mimimimimi...

C.Belo disse...

Ela pode e DEVE entrar com um mandado de segurança contra o Estado.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...