ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

15 março 2014

''A gente se deve isso''


Em uma festa de um grupo de teatro conheci um ator e fiquei com ele algumas vezes, quando a gente se encontrava sempre rolavam uns beijos, mas por questões técnicas, lugar e tempo, nunca passamos dos beijos.

Eu achava ele atraente, a pele dava uma química maravilhosa e ele parecia ser um cara legal.


Fiquei muitos anos sem ver ele até que encontrei casualmente na fila de uma peça de teatro. Eu estava ali parada com minha mãe quando ele se aproximou e me puxou para conversar. Foi direto e me perguntou o que eu faria depois da peça e eu aceitei ir jantar com ele.

No meio do jantar voltamos a lembrar dos velhos tempos e ele me convidou para ir a seu apartamento. Na época eu namorava um idiota, mas não sabia disso e recusei o convite na hora, imagina que eu ia trair meu amado namorado.

Ele levou na boa, não insistiu, mas na saída do restaurante me disse:


-Não quer mesmo? Sabe o que eu acho? A gente se ''deve'' isso.


Voltei a recusar e fui embora. Esqueci a história, até que semanas depois meu namoro terminou e lembrei dela, essa frase '' a gente se deve isso'' me atormentou um bom tempo.


Eu era sentimental demais, não sabia separar as coisas, achava que sexo e amor eram a mesma coisa, apenas expressões diferentes da mesmo sentimento.


Levou anos, mas entendi o que ele disse aquela noite, existe uma coisa simples, é tesão e ponto. Na minha educação machista ir para cama com alguém sem sentir nada por ele seria a etiqueta de que eu era uma vagabunda que não respeita nem a educação que recebeu. Absorvi isso e pensei que sexo era só com sentimentos, só depois de décadas entendi que tesão é um sentimento e bem poderoso. Fui educada para pensar que o coração ''sente'' e ignorar a pele, como se ela não existisse ou fosse consequência do coração. Levei muito tempo para perceber que minha pele não está ligada ao meu coração o tempo inteiro, posso sentir tesão por alguém e ter química com essa pessoa e isso não quer dizer que gosto ou amo. Algumas pessoas provocam mesmo reações químicas na gente. 


E esse ator não é o único na minha vida que fiquei nessa. Hoje mesmo ao conversar com uma pessoa pensei isso ''a gente se deve isso'', porque parece ser que às vezes fica uma transa pendente no meio de duas pessoas.


E por que transar? E por que não? Química não é  pra isso? Ou é só pra ser usada em laboratórios?


Já me disseram que ao morrer a pessoa lamenta o que não fez ou deixou de fazer por besteira, o que vem sendo a mesma coisa  e eu penso nessa frase '' a gente se deve isso''.


Química de pele é uma das mais raras de existir, por isso mesmo deveria ser pecado desperdiçar. Eu não tenho uma lista extensa, mas posso pensar em alguns homens que conheci e me perturbaram quimicamente e eu recusei porque minha educação me obrigou. Nunca me vi indo pra cama com um homem e dizendo para mim mesma no dia seguinte '' só transei por tesão''.


Tudo isso que foi tirado e levado de mim foi culpa da educação machista que recebi e ainda permanece em alguns pontos da minha corrente sanguínea, ainda sinto umas células dessas correndo pelo meu corpo. Mas entendo cada palavra da frase '' a gente se deve isso'' e penso em umas pessoas. No momento dois circulam pela beirada da minha vida e vou estar atenta, porque não vou ficar devendo pra mais ninguém que um dia mexeu comigo quimicamente e principalmente, não vou mais dever nada a vida.



Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...