ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

14 fevereiro 2014

Tom, me desculpe e por favor diga isso ao menino



Sei que talvez amanhã eu receba um email teu reclamando dessa mania que tenho de te responder em aberto. Mas faço isso porque não tenho como mudar o mundo e queria que minha história com você pudesse servir para ajudar outra pessoa, que ela possa ler  e tentar remendar o amor, não perder tudo como eu perdi. Se já conheci o horror que pode ser passar por essa dor, por que desejaria isso a alguém?

Tenho a esperança, mesmo vaga, que isto possa servir a alguém no meio de um amor tumultuado, que meu texto possa ajudar a pessoa a refletir e pensar duas vezes antes de largar o amor de sua vida. Fazemos isso com uma facilidade, como se existissem milhões deles nos esperando. Jogamos o amor para o alto como se ele fosse nos perseguir a vida inteira.


Uma vez você me perguntou se eu iria me desculpar pelo o que deu errado no namoro. Fui orgulhosa e disse que não. Nos últimos dias lembrei disso e resolvi que viria aqui me desculpar pela única coisa que fiz sem perceber, o resto você sabe, não posso me desculpar por coisas que nem tem explicação.


Mas te devo uma desculpa sim e estou aqui  para isso, queria teus olhos esverdeados na minha frente para poder dizer tudo isso te olhando, mas sei que você vai ler com calma.


Sempre te vi como um homem, você parecia um, é alto, forte, cheio de marras e vontades. Nunca vi o menino que você levava dentro. Aqueles teus adesivos do Homem Aranha na geladeira sempre mereceram de mim os piores comentários. Quando te escutava dar risada ao assistir desenho animado cansei de te perguntar se você não tinha um livro para ler. Sempre que via você e teus irmãos se jogando no chão para brincar de lutas eu me desesperava, mas teu pai achava engraçado. Você entrava na cozinha da tua mãe e enfiava a colher em tudo, mesmo ela gritando atrás de você. Cansei de te pedir para se comportar como um ''homem''. 


Fui histérica quando te pedi para não desenhar na parede do quarto com teu sobrinho, pedi para você não jogar pilha na ideia do teu afilhado de acampar no jardim, critiquei o fato de você achar que hot-dog era almoço e detonei quando você gastou aquela fortuna em um poster de um filme que nem lembro o nome.


Fiz a pior coisa que uma namorada poderia ter feito, olhei e amei o homem, mas ignorei o menino, nunca protegi, nunca cuidei, quando ele aparecia era alvo da minha fúria, nunca me joguei no chão para brincar com ele, não preparei nada do que ele gostasse. Eu queria o tempo inteiro o homem, esse para mim era o trato, o menino que me arrastava para lojas de brinquedos procurando chaveiros do Yoda me irritava. Odiava aquela mania de jogar futebol com amigos como se tivessem quatro anos de idade, gritando como se fosse um jogo importante. Eu não queria esse menino, tratava mal e rejeitava, nunca dei colo, nunca cuidei, pelo contrário, quando ele aparecia diante de mim eu chutava longe.


Imagino que isso te sufocou, mas eu também me sentia sufocava quando o menino aparecia, quando ele ria e eu queria falar sério, quando ele não queria nada e eu queria tudo.


Mas era o menino que me fazia rir, que fazia a brisa do mar encostar no meu cabelo. Era o menino que não reparava nos meus erros, nas minhas angústias, era o menino que procurou na internet a Barbie que eu não tive de pequena. Era o menino que fazia planos para construir uma casa na árvore para nossos filhos. Foi o menino que cansou de me comprar sorvete e assistir filmes comigo.


E eu tive isso diante de mim e não protegi. Hoje caminhando no parque vi um menino bem pequeno cair da bicicleta, sai correndo para ajudar, ele não se machucou, apenas sorriu e me pediu ajuda para subir de novo na bicicleta. E eu vi nele teus olhos, teu menino, aquele que eu nunca ajudei, nunca corri para tranquilizar, nunca consolei nem enchi de beijos e nem aceitei.


Pensei que tinha sido muito cruel, como é possível alguém ver uma criança pequena e não sorrir? Mas eu não via teu menino, eu via um homem na minha frente.


Vejo tudo com tanta clareza hoje! Que amor pode sobreviver se a pessoa que amamos não protege nossa menina ou menino? Que tão longe duas pessoas podem ir se não cuidam desses pequenos? Quem disse que são dois adultos se relacionando? Não são, adultos não amam com a pureza que o amor precisa, só uma criança pode amar assim. O planeta gira e o amor são apenas duas crianças que se acham no espaço e decidem fazer a única coisa que se faz de puro no mundo, amar alguém sem interesse.


Tom, me desculpe sinceramente, eu não soube amar nem proteger teu menino e a minha maneira paguei por isso. Mas queria te dizer uma coisa que nunca disse, é segredo, conte apenas para teu menino, minha menina te amava, queria a casa na árvore e a Barbie que nunca teve, queria estar com você e ficava feliz de escutar tua risada na sala com aqueles desenhos estranhos. E foi a menina que me convenceu de tirar toda aquela coleção de brinquedos e limpar, deixar tudo brilhando para você.


Hoje a noite Tom, quando você conversar com teu menino diga a ele que eu pedi desculpas por ter tratado ele tão mal, diga que adultos não podem fazer isso e eu errei. Mas não esqueça de chegar perto dele e dizer- Ela errou, mas nos amou muito.



Iara De Dupont

10 comentários:

Kcal GorDivah disse...

Simplesmente lindo! Me emocionei lendo.

Suzana Neves disse...

Visão linda,somos todos crianças.

Anônimo disse...

Lindo e profundo.


Anna

Poeta da Colina disse...

Quando amamos tudo que podemos, mesmo que acabe, tudo vai ficar bem.

Carolina disse...

Ai, que coisa mais linda! Estou aqui profundamente emocionada e agradecida pelo meu marido ter tanta paciência com a menina que sou. Qd eu tiver filhos, esse com certeza vai ser um dos textos seus que vou dizer:"Filho (a), quer aprender muito sobre a vida? Leia isso".
Beijos,
Carol

Tadeu Diniz disse...

Iara, chorei ao ler seu post... Quando um homem ama de verdade ele deixa a pessoa amada conhecer o lado criança dele... Se minha namorada soubesse disso...

Iara De Dupont disse...

Gente, obrigado pelos lindos comentários, mas eu posso jurar de pé junto que se vocês se emocionaram com o menino do post é porque todos vocês tem um coração gigante cheio de amor. E como conheço e falo com vocês sei disso, são seres cheios de luz que entenderam que este mundo é cheio de crianças se vestindo de adultos...

C.Belo disse...

Eu tb já me irritei com alguns "meninos"...mas a minha "sorte" foi que, no caso, os homens que abrigavam estes meninos eram verdadeiros traste humanos.

Alessandra Tofoli disse...

Adoro seu jeito de escrever, alma e coração abertos, sempre. Essa é você!

Anah Vizoto disse...

Que lindo, Iara!
Seu post realmente me fez abrir os olhos e passar a cuidar e amar mais meu menino e não só o homem por trás dele! ♥

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...