ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

17 fevereiro 2014

Rapazes, esqueci de avisar, o dinheiro é meu!

O dinheiro é meu!

É inacreditável a beleza de um encontro, quando as respostas abraçam as perguntas. Acho todas as explicações a coisa mais linda do mundo, adoro pessoas que sabem me explicar coisas que eu nem tinha ideia do porquê. E pode ser de qualquer coisa, adoro escutar.


E conversando com um amigo cheguei a outra terrível conclusão, até onde o machismo vai em todos os aspectos, eu tinha uma questão em aberto, que não encontrava resposta e de repente do nada, apareceu e fechou a dúvida.


Disse ao meu amigo que faz tanto calor que adoraria morar em uma casa com piscina na  frente da praia. E ele me disse:


- Então tem que casar com um empresário, pra que te sustente e pague essa casa!

Oi? Casar com alguém para comprar uma casa? Mas eu não sou capaz de comprar ela sozinha? Não, para o mundo não. De repente se deu uma discussão em cima disso e percebi as milhões de brigas que tive com meus namorados.


A questão sempre foi a mesma, dinheiro. Uma vez eu disse para um namorado que meu sonho era um banheiro gigante cheio de prateleiras de vidro para colocar uma coleção infinita de perfumes. Lembro que ele se virou e disse:


- Porra, tá achando que eu me arrebento de trabalhar e vou gastar nessa merda de ideia?

Ele nunca me sustentou, mas hoje percebo que jamais tive um namorado que escutasse meus sonhos materiais e pudesse me olhar nos olhos e dizer:


- Vai em frente, você é talentosa e trabalha duro, um dia vai ter tudo o que sonha.

Nunca escutei isso, o que eles começavam a berrar era que eu queria ser sustentada, que era outra igual a milhões e que deveria então procurar homens ricos, em vez de ficar atormentando meu namorado.


Eles nunca entenderam e eu não sabia explicar, porque não via o machismo ali, estava morta na ignorância, não pude me defender e dizer que eram meus sonhos materiais e eu compraria com meu dinheiro, não preciso de um homem para comprar o que quero.


E não é só nos amores, na família também escutei de homens quando eu dizia que sonhava com alguma coisa sempre tinha alguém para me dizer para encontrar um marido rico logo, então eu teria meu sonho realizado. Nunca se aproximaram e me parabenizaram por trabalhar e ter meu dinheiro.


Percebi nos últimos tempos que esse assunto não pode ser mencionado, se uma mulher comenta o que sonha materialmente o homem se sente pressionado a dar aquilo e senão pode vira um bicho e começa a falar mil coisas.


É tanto machismo que um homem não consegue escutar um sonho, logo vira uma briga terrível. Já tive namorados que me chamaram de ambiciosa e um foi mais longe, depois que eu contei sobre um sonho material, me disse que aquilo era mentalidade de prostituta, que eu apenas dizia isso porque sabia que ele era rico. Fiquei tão chocada que o namoro acabou ali. Mas não foi o primeiro que me ofendeu por isso.


A cultura machista não permite que o homem veja, mas mulheres trabalham e têm seus sonhos materiais como qualquer ser humano, é um texto histérico da imprensa dizer que apenas queremos comprar sapatos, isso não é verdade, sonhamos com as mesmas coisas que os homens sonham, lugares, viagens, conforto, muitas coisas, nenhuma mulher trabalha apenas sonhando em comprar um batom, todo mundo quer ir pra frente.


Até hoje escuto isso do meu pai, se menciono qualquer coisa ele logo diz- Case e peça para seu marido!


E eu não estava nem pedindo, estava apenas mencionando. Sonhos femininos são castrados na saída, parece que não podemos mencionar nada nem comentar sobre o que queremos. E recentemente ao levar um fora Romeu me disse:


-Boa sorte com seu mar de dinheiro!

Hã? Fiquei sem entender nada, nunca pedi nada a ele e se mencionei meus sonhos foi porque confiava nele, não porque estivesse esperando ele pagar. A frase dele ficou tão sem sentido que me machucou.

O que podemos dizer? Nada, nada, nada. Até hoje já passei por isso de discutir com namorado sobre coisas que quero e ele achava que eu estava pedindo. E eu nunca quis o dinheiro de nenhum namorado, porque sei que até pelo machismo homens que sustentam mulheres acabam tratando mal e abusando, a liberdade econômica é a mais importante para uma mulher, caso contrário ela pode ficar presa a uma situação terrível durante anos. Não quero dinheiro de ninguém, eu queria apenas alguém que me apoiasse, acreditasse em mim, pudesse me abraçar sem se sentir inferior, pressionado ou obrigado a me dar alguma coisa. Se quis alguma coisa de um namorado foi que ele me olhasse nos olhos e falasse que acreditava no meu trabalho e na minha capacidade de conquistar o que eu quisesse.


Fiquei triste e deprimida. Minha mãe me disse para não falar nada sobre o assunto de dinheiro com os Romeus, ficar quieta e não passar recibo de ambiciosa, porque isso assusta  ''os rapazes''. Poxa, mas não tenho nem direito de sonhar? Passo na frente de uma vitrine cheia de perfumes com meu namorado e tenho que ficar quieta porque senão ele vai achar que sou gananciosa?


Não posso sonhar? Se faz um dia de calor e menciono o sonho de morar na praia, estou agredindo o Romeu apenas porque ele não pode me comprar a casa? E eu? Não sou ninguém, não trabalho? Minha vida não vale nada? É tão pouco a vida de uma mulher que ela não pode nem sonhar em voz alta que agride os machistas de plantão? Por que é tão difícil aceitar que uma mulher trabalhe e possa comprar o que quer? É tão absurdo pensar que mulheres têm sonhos e podem sozinhas realizar eles, sem nenhum homem bancando ela? Quem disse que eu não posso sozinha conquistar tudo o que quero? Só porque sou mulher isso não é permitido? 


Sou um ser humano e como todos eu gosto de apoio, acho legal quando alguém chega perto e me diz que eu posso alcançar meus sonhos, porque ser agredida e chamada de prostituta apenas porque quero uma casa na praia?


Fiquei péssima ao perceber que o machismo não me deixa nem sonhar em paz. E para que seguir o conselho da minha mãe? Vou dividir uma cama com alguém que eu não posso sonhar em voz alta? Não quero viver assim, se tiver que dormir do lado de um Romeu e engolir minhas palavras, prefiro estar sozinha, milionária, mas sozinha. Se meus sonhos fazem alguém se sentir mal, se sentir pressionado ao ponto de terminar um namoro, então prefiro a solidão, porque eu posso renunciar a um amor, mas não posso renunciar ao meu direito de sonhar em voz alta.



Iara De Dupont


Um comentário:

Danilo M. M. disse...

Ao noivar recentemente uma de minhas preocupações que tive em conversar com minha noiva foi que não queria ficar nesse negócio de meu, dela, ou qualquer coisa. Que o dinheiro é nosso, ou mesmo que não juntássemos nossas granas, que ela se sentisse livre para fazer as coisas dela, sonhos e afins, não é uma questão de permissão, mas de compartilhar uma vida, penso assim. Não queria impor nada.

Há machismo, há um pensamento de séculos impregnado na sociedade e que nos antecede e muito antes de termos alguma consciência já somos influenciados por estes. Eu entendo o que diz e está certa. Mas ali no meio quando disse que o homem se sente pressionado a dar as coisas para mulher, penso que tem muito dessa pressão histórica que infelizmente é mais difícil do que parece se libertar. Ainda mais quando atitudes não ganham o nome correto, se vc for reparar, ralar para comprar ou realizar o desejo da mulher é nomeado de cavalheirismo e não machismo.

Sempre respiro fundo ao pensar em tudo e saber que ainda vai demorar para nossa sociedade mudar, demorar muito.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...