ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

21 fevereiro 2014

Meus catorze anos (um dia vou ser adulta!)


Quando eu tinha catorze anos fui expulsa da escola, acusada de uma coisa que nunca fiz, de ter ''colado'' e passado o gabarito de uma prova de ciências. Ninguém da minha sala disse nada, mas a orientadora achou que tinha que dar o exemplo me expulsando.

Foi tão grande o choque que desenvolvi em questões de horas síndrome do pânico e fiquei fechada em minha casa por um ano. Quando sai  desse buraco minha vida era outra, entrei ao teatro e comecei a conviver com gente mais velha. Isso tudo moldou minha maneira de ser, mas com o tempo eu comecei a perceber que não tinha feito uma transição emocional a vida adulta, não tive esse tempo nem espaço e nunca mais voltei a ter convivência com pessoas da minha idade.


Procurei psicólogos, psicanalistas e todo tipo de ajuda, diversas vezes escutei que eu tinha ficado ''congelada'' no tempo, o trauma não foi trabalhado a tempo e fiquei na idade emocional de catorze anos, antes da expulsão, como se minha mente tivesse preservado meu coração.


E conto isso porque a coisa que mais escuto em relação ao meu blog são pessoas dizendo '' tem post lá que parece de uma menina de quinze anos''. Quero esclarecer que não são quinze anos, são catorze.


Na minha  vida familiar e profissional manter meu coração estacionado nos catorze anos só me ajudou, mantive minha frescura, indignação e vontade de aprender. Consegui reverter essa parte, meus amigos não reclamam, sabem que sou ótima mentalmente, mas com coração de menina.


Mas na parte dos Romeus tudo deu errado e por isso meus posts parecem de meninas de catorze anos. Não  tive convivência com meninos da minha idade, pulei logo para homens mais velhos, então a transição nunca aconteceu, porque nunca conheci meninos inocentes, já fui direto nos lobos maus da vida.


E os Romeus dão com os burros na água, porque eu sou alta, imponente e sei me comunicar, eles esperam naturalmente a mulher  bem resolvida e sem questões pendentes, mas de repente ao me conhecer topam com uma adolescente que não tem a menor ideia do que faz ali, nem de como agir.


Já tentei ser adulta, copiei amigas que são, me arrumei do jeito que me falaram para me arrumar, falei do jeito que me mandaram falar e até usei o perfume indicado, mas não deu certo.


Nos meus sonhos eu convido Romeu para jantar, abro a porta e estou com um vestido bem sexy e poderosa, com aquele olhar fatal, o cabelo maravilhoso, já cozinhei vários pratos chiques, tenho melhor vinho na mesa e sei seduzir o suficiente para ele nunca mais ir embora, na verdade ele fica mudo diante de tanta sedução, como se fosse um sonho perfeito e nesse momento conheço todos os truques das cafetinas tailandesas, surpreendo ele de todas as formas e não esqueci de fazer a sobremesa, que é absolutamente fantástica, coisa de outro mundo. E não acaba ali, também faço um strip-tease, com roupa íntima de seda, daqueles que nem profissionais de Las Vegas fazem.


Mas minha realidade sempre foi outra. Se eu convido um Romeu para jantar experimento tantas roupas que acabo usando a pior e que mais me cobre, pensando em esconder minhas estrias, nesse dia fico tão ansiosa que meu cabelo já acorda péssimo. Fico tão nervosa de errar na comida que acabo apelando para o paladar infantil, pizza e sorvete. Não sei nada de vinhos porque não bebo e prefiro suco de abacaxi. Nem  de música sei, eu coloco Shakira. Não consigo nem tirar a roupa de luz acesa, quanto mais um strip-tease. E depois acontecem mil coisas, me atrapalho, tropeço, derrubo o suco, digo o que não deveria dizer, fico nervosa e sem saber o que fazer. Aquele mulherão que eles acharam que ia abrir a porta e fazer a noite mais incrível do mundo acontecer desaparece da mente deles em questões de segundos, por isso eles vão embora e nunca mais voltam.


Eu também faria isso se fosse eles, digo mais, deveriam me processar por propaganda enganosa. Parece que sou um mulherão bem resolvida e aparece uma menina desajeitada de catorze anos na  frente deles, posso entender a decepção de todos.


Sofri demais com tudo isso durante muito tempo, fiz o que pude para virar um mulherão rápido e esfriar as ideias, assim eu saberia como levar a situação, sem ser levada por ela, eu poderia calcular os passos e finalmente realizar um sonho, poderia seduzir um Romeu, coisa que nunca consegui fazer e ainda me parece incrível. Eu escuto minhas amigas contando de noites que elas seduziram e acho aquilo ali a coisa mais fascinante do mundo. Vejo os namorados hipnotizados por elas, totalmente seduzidos e penso que aquilo ali deve ser uma coisa muito interessante de fazer.


Mas eu me atrapalho nessa hora e não sei o que fazer, vem à tona toda minha insegurança, um pouco de carência e minha total e absoluta falta de noção do que fazer. A única vez que tentei seduzir quase morri em um ataque de riso, não aguentei, me senti patética e perdida.

Não sei seduzir, mas acho lindo, respeito  quem consegue e adoraria aprender, acho uma coisa forte, intensa.

E de tanto procurar a cura, eu só queria superar meus catorze anos e virar uma mulher de pelo menos vinte e cinco anos, mais consciente do que uma adolescente, de tanto rodar o mundo perguntando achei uma pessoa que escutou o meu problema e me disse:

-Nenhum espírito aguenta ser quebrado duas vezes, te quebraram aos catorze anos e agora você quer se quebrar de novo, se forçando a ser uma coisa? Não faça isso, espere teu espírito determinar seu tempo, um dia você vai acordar e teu coração não vai mais ter catorze anos, andou pra frente, mas deixe ele fazer isso sozinho. Não se agrida como os outros te agrediram.

Resolvi fazer isso, até porque sei que o dia que acordar e meu coração de catorze anos não estiver mais lá vou sofrer um pouco. Mas até esse dia chegar, os Romeus que se aguentem, paciência, não sei seduzir nem cozinhar pratos franceses. Posso oferecer apenas pizza, suco de abacaxi, uma noite divertida, simples e um amor sincero, daqueles que o tempo não sujou ainda. Coração de catorze anos tem essa vantagem, ainda guarda sua pureza.



Iara De Dupont

Um comentário:

Elisane disse...

Bom dia Iara. Eu tenho uma amiga que é linda, inclusive já foi modelo, inteligente, divertida e também não consegue ter relacionamento sérios, os homens saem com ela uma vez e não mais a procuram. Eu não compreendo porque, não consigo entender o motivo que as coisas, neste sentido, não dão certo para ela. Vi muito dela no seu relato. Ha coisas na vida, que simplesmente não tem explicação.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...