ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

29 dezembro 2013

A calçada na qual choro de vez em quando

Todo mundo tem sua calçada

Uma vez me disseram que vivia melhor quem lidava com sua  ''calçada de lamentos''. Isso seria uma coisa que acontece com todos, temos coisas que lamentar, que não deram certo e não pudemos fazer nada, apenas sentar na calçada e chorar. Quem lidasse melhor com sua dor sentaria menos nessa calçada e seria mais feliz. Mas os chorões sofreriam sempre nela.


Tenho poucas coisas para sentar na calçada, aprendi a lamentar pouco, porque não resolve nada, mas tenho uma que sempre me faz pensar e sofrer um pouco, especialmente se o dia está nublado com chuva.


Gostei muito de um cara, mas ele não gostou de mim. Ficamos amigos e eu nunca disse nada, mas sempre pensei em silêncio sobre isso, hoje lamento profundamente que ele não tenha gostado de mim. Uma amiga sempre me pergunta porque nunca disse nada  a ele, mas eu não precisei dizer, as coisas foram assim, ele teve todas as oportunidades comigo e até hoje me trata com aquele carinho de amigos, é extremamente doce, mas jamais insinuou nada.


Quanto mais tempo se passa, mais eu lamento. Hoje tenho a precisão de dizer que talvez teria dado certo, não posso garantir, mas acredito que teríamos feito uma boa dupla.


Mas quem manda no coração? Assim como ele não gostou de mim eu já tive amigos que gostaram de mim e eu não gostei deles, acontece, não mandei nisso, ninguém manda.


Só posso sentar na calçada e lamentar, às vezes me pergunto porque ele não gostou de mim ou porque não mudou de ideia depois de me conhecer um pouco, mas o que se pode fazer?


Quando alguém que me conhece quer me consolar em relação a essa história diz que o tempo não acabou e tudo pode acontecer, tenho apenas uns anos de conhecer ele, uns quinze anos talvez.


Não tenho garantias de mudança nem de nada assim e sou daquelas pessoas mais práticas, não queria esperar até fazer oitenta anos para que ele se declarasse.


Meu tempo é agora e o meu tempo com ele foi a primeira vez que o vi, fiquei desde esse dia apaixonada, até hoje suspiro quando lembro do sorriso.


Mas a vida é assim, todos têm seus motivos para sentar em uma calçada e lamentar o que aconteceu, esse amor que nunca foi amor é meu motivo para chorar nas noites longas e geladas.


Talvez as coisas mudem um dia e eu não lamente mais essa história, mas no momento é a calçada onde sentei. E aqui é um lugar frio e pior ainda, sem ele.



Iara De Dupont








Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...