ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

03 novembro 2013

Amor também se esgota




Algumas vezes escuto umas coisas que preferia não ter escutado. Não seria má ideia ter uma orelha biônica que possa funcionar como um computador e assim só escutaria o que está programado e permitido escutar, sem nada adicional, quando for lixo deleta na hora.

Mas eu tenho umas orelhas que parecem máquinas, escuto tudo com clareza, posso estar em uma fila e consigo escutar perfeitamente o que os outros dizem, isso de vez em quando me desespera.
Estava lá eu em uma fila quando uma senhora conversava com sua neta, falava sobre o amor da mamãe e de Deus. Cansou de dizer a menina que o amor é uma energia que move o mundo e nunca acaba, ele sempre está fluindo, como se fosse um rio gigante.

Já me falaram isso, o amor é uma força que supera tudo e gera apenas coisas boas. O único ponto que esqueceram de me avisar é que o amor é uma energia que se gera, mas você tem que trabalhar por ele e merecer, não é um rio que cobre todas as margens, ele precisa ser alimentado, bem como aquela história cafona que todos os casais escutam no seu casamento: Não esqueçam que o amor é uma plantinha que precisa ser regada todos os dias!

É bem por aí mesmo, mas não dizem isso em relação a família, amigos ou trabalho, mas a realidade talvez seja diferente. Amor é uma força enorme e linda, mas a mesma capacidade que tem de ser criada tem de ser esgotada, podemos amar alguém muito, muito além de tudo, mas se a pessoa não souber lidar com aquilo ela acaba nos esgotando, amar uma parede não é tão produtivo como amar um animal.

Nos últimos tempos algumas pessoas andam esgotando meu amor. E não é fofo falar isso, porque amor não se esgota, ele flui, no mundo cor-de-rosa dizer que algumas pessoas esgotam teu amor faz os outros pensarem que você é um ser inferior que mede o amor, ora se nem Deus mede o amor, por que a gente teria que medir e regular?
Pois é, mas me apoio na ideia de que sou uma das últimas humanas neste planeta, então ainda circulo com a energia da contradição, no meu caso o amor esgota, não se renova e as pessoas que usam e abusam dele me cansaram.

Dar o amor sem pensar, sem esperar nada é lindo e parece que funciona bem para os monges budistas, mas neste mundo as coisas não parecem  tão simples assim. As pessoas podem negar, mas a maioria está cercada de pessoas que ama e sabe que essas pessoas esgotam, puxam  o amor, se aproveitam dele e não renovam nada. 

Muitos amam sinceramente quem não ama igual e fica ali apenas por conveniência. E amamos seres que temos que amar porque são nossa família, mas fica difícil negar que eles nos esgotam e se aproveitam.

Uma vez escutei alguma coisa assim, que amor é como água, o ser humano fica onde achar um dos dois. Mas também existem plantas na natureza que puxam toda a água, matam as que estão por perto e não deixam nenhuma florescer. Se isso acontece no mundo das plantas, que parece tão inocente e matematicamente calculado, imagine o que deve acontecer no mundo dos humanos, onde tudo vai de acordo com a conveniência e amor não é mais do que outra peça para se mexer a nossa conveniência.

O amor pode estar no ar, no sangue, mas é como tudo, se esgota. Só quem sentiu esse esgotamento sabe que é real. Até a vida se esgota, por que não o amor?

Iara De Dupont

Nenhum comentário:

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...