ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

03 setembro 2013

Burguer King: como começa a cadeia do ódio





Tenho uma dificuldade enorme em entender algumas atitudes. Eu tento, mas fico pensando, por que a pessoa fez isso? Ganhou o que fazendo isso?

E não estou posando de santa, muitas atitudes extremas eu entendo e apoio. Recentemente no Texas um fazendeiro encontrou sua filha de quatro anos perto da área dos cavalos,sendo estuprada por um rapaz. Ele pegou um pedaço de madeira, foi pra cima e matou o rapaz. Como estava defendendo a filha não foi condenado a pena de morte, nem ficou preso, mesmo assim o Estado processou. Eu não tenho filhas, mas entendo perfeitamente o que ele fez.

Mas ontem aconteceu uma coisa em escala menor e eu fiquei pensando, por que fazer isso? O que leva uma pessoa a dizer uma coisa dessas?

Eu estava na fila do Burguer King que fica no Shoping Frei Caneca, no centro de São Paulo, ou seja, não é área nobre,fui comprar um sorvete. O Burguer King tem o mesmo sistema do Brasil inteiro, contratam um funcionário para fazer o trabalho de cinco pessoas e se acham muito espertos, então o resultado sempre é mesmo, a demanda de público é maior do que os funcionários podem atender, isso resulta em longas filas e tempo de espera.

Na minha frente tinha um casal, típico classe média. Fiquei na fila o mesmo tempo que eles, uns 20 minutos. Quando chegamos ao balcão onde as funcionárias colocam a bandeja, o rapaz já estava de saco cheio, já tinha passado esses 20 minutos bufando e disse - Tá demorando!

Ele disse isso mesmo vendo que eram apenas duas funcionárias e a moça do caixa que estavam ali para atender pelo menos vinte pessoas. A namorada dele emendou bem alto - Esse pessoal da periferia é lento demais para trabalhar, não sei porque vem pro centro atrasar nossa vida.

Fiquei chocada, horrorizada. E não gosto de barraco, nem de briga, mas fiquei tão enojada que logo respondi - Mas não é? Por isso que o Brasil não anda pra frente, porque você diz que o pessoal da periferia é lento e eu digo que vocês, classe média são uns vermes.

A moça me respondeu - Se você gosta de esperar o problema é seu, eu paguei e isso aqui é comida fast-food, não tenho porque esperar.

E eu disse - A questão não é esperar ou não, é que não têm funcionários suficientes e se você estão tão irritada vai reclamar com o gerente!

Então o rapaz pegou sua bandeja e puxou a namorada pra longe da discussão. Eu já estava fervendo, maluca pra jogar uma bandeja na cabeça dela.

Quando a funcionária me entregou a bandeja percebi que estava chorando e não deveria ter mais de 18 anos. Eu disse para ela não ficar chateada,ela sorriu e me disse que era assim todos os dias, que não tinha gente suficiente para atender e ela levava toda a bronca dos clientes.

Eu fiquei a noite inteira pensando, por que alguém diria o que a moça disse?Quem mora na periferia e vem ao centro trabalhar faz por necessidade, não por gosto. Não consigo entender como esse ódio classe média deixa as pessoas tão cegas a ponto de serem estúpidas e não perceberem que a culpa não é da funcionária,mas da lanchonete, que no seu horário de pico estava com apenas três funcionárias.

E também não entendo porque é tão difícil perceber o esforço das pessoas. Essa menina que foi humilhada deve morar longe e eram as oito da noite, aquilo ali fecha as dez da noite, ela deve ser liberada as onze da noite e volta para casa de transporte público, nesse horário e sendo mulher em um mundo de tubarões machistas.

É tão difícil olhar essa realidade e respeitar? Se a pessoa quer pensar que os outros são lentos, que pensem, mas não tem o direito de sair dizendo e humilhando. Ninguém é obrigado a reconhecer o esforço alheio, mas deveria ser obrigado a respeitar.

E no fim das contas o casal estava sentado na mesa e se levantou para deixar o lugar, quando um grupo de adolescentes que estavam ali, passaram perto e falaram bem alguma coisa que eu não entendi para a moça, ela respondeu e começou uma discussão ali. Só escutei quando eles se afastaram e um deles gritou:

 - Sou da periferia com muito orgulho e você ficou nervosa porque teu hambúrguer demorou porque é uma gorda nojenta e peidona!

É verdade que a moça era gordinha, mas não era gorda. Foi feio ver os rapazes chingando a moça, pricipalmente porque usaram a questão da gordura, ela com o seu comportamento anterior tinha mostrado que era um péssimo ser humano e isso não tem nada a ver com o peso, tinha muita coisa que poderia ter sido dita para ofender que não fosse o peso.

O que aconteceu ali foi o que algumas religiões chamam de cadeia do ódio. Ela começou tudo, ao humilhar a funcionária, eu reagi e esses adolescentes estavam atrás de mim e reagiram, mesmo que depois. Foi ela que deu início a tudo isso e com certeza teve seu jantar estragado, porque essas energias perturbam qualquer um, eu estava lá por um sorvete e não comi do mesmo jeito, já estava morrendo de ódio.

E tudo por que? Eu não sei e não entendo o que leva uma pessoa a humilhar a outra, que não te fez nada. Eu não entendo essa mentalidade classe média no Brasil que acha que a humilhação faz parte da divisão de territórios, só quem humilha o outro é alguém.

E vou morrer sem entender porque as pessoas são capazes de humilhar a toa e parecem cegas diante da realidade. A funcionária não tem nada a ver com a exploração que sofre, no mundo inteiro essas cadeias de fast-food são um desastre em termos de respeito ao trabalhador, então pra que humilhar quem está lá tentando trabalhar?

Vou dar cinco minutos e sei que vou receber email de uma pessoa me detonando por falar mal dos paulistas, mas eu cresci aqui e conheço bem do que estou falando. Não são todos assim, é verdade, mas tem uma camada de classe média aqui que dá vontade de jogar no óleo que frita as batatas. Talvez assim eles respeitem o esforço alheio.

Iara De Dupont

2 comentários:

Pituca disse...

O pior é que a raiva e a burrice andam juntas, em todos os seguimentos da sociedade. Não existe a preocupação de observar, antes de de se manifestar.É um agredindo o outro.... Abraços millll

Anônimo disse...

Eu tenho uma explicacao para o por que de muitas pessoas sentiram necessidade de humilhar os outros,problemas emocionais,sentimento de inferioridade,claro que nem todos que se sentem inferiors humilham os outros,mas a grande maioria sente essa "necessidade" de humilhar, de tentar se sentir melhor e maior sobre a dor e a humilhacao do outro. A pessoa pode ter grana,ser bonita,bem sucessida,e mesmo assim se sentir a pior das criaturas e humilhar os outros passa a ser um exercicio constante,conheci gente assim,em 2 casos ate vi uma grande mudança quando elas mudaram a visão que tinham delas mesmas,queriam apreço e consideração e como nao tinham se dedicavam a humilhar e desprezar os outros.Nao sou psicologa,mas o na minha opiniao o ser humano se comporta com os outros de acordo com o que ele pensa de si mesmo.

Anna Lara

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...