ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

29 agosto 2013

Médicos cubanos vocês não são o alvo do nosso ódio (nos desculpem!)


Médico cubano Juan Delgado foi hostilizado na chegada ao Brasil
Tenho um amigo que pratica arco e flecha.Uma vez fui com ele e não lembro de ter achado nada no mundo mais chato do que aquilo.Eu perguntei porque ele fazia e ele me disse que gostava,além disso tinha aprendido a grande lição de sua vida,acertar no alvo,tanto para bem como para mal.Ele dizia que a gente se concentra e tenta acertar,mas se erra,perde a energia e a oportunidade.Acertar a flecha é uma lição de vida,não temos todo o tempo do mundo para conseguir acertar e quando erramos as conseqüências podem ser ruins.

Não sou puritana e não acho que o ser humano deva apenas expressar amor infinito.Todo mundo têm seus momentos de ódio,raiva e mágoa.Mas hoje entendo meu amigo,quando erramos a flecha perdemos a chance e acabamos ferindo outra pessoa.

Uma vez eu recebi um paquera para jantar na minha casa.Não sei o que aconteceu,não lembro dos detalhes,mas de repente eu disse alguma coisa estúpida que acabou em uma discussão,ele se levantou e foi embora.Levei anos sem entender a história,mas um dia lembrei que  nesse dia do jantar,de manhã eu tinha recebido uma ligação de um ex-namorado cretino,alguma besteira ele me disse,eu não reagi e desliguei.Mas fiquei morrendo de ódio,quando o meu paquera chegou aquela emoção estava ali,no fundo,e alguma coisa trouxe isso a tona.

Errei o tiro e dei na pessoa errada.O cara que estava na minha casa não tinha nada a ver com o que tinha acontecido de manhã e não tinha porque escutar o que eu disse,era uma flecha direcionada ao meu ex,mas ele não estava ali.
O meu ódio saiu sem o alvo por perto e foi direto em quem não merecia.

E hoje vi uma foto e lembrei disso,a foto de um médico cubano chegando ao Brasil e sendo vaiado por umas médicas brasileiras.
Não conheço Cuba,mas tive a sorte de trabalhar com cubanos e poucas vezes conheci um povo tão parecido ao brasileiro.Como nós eles vivem em dificuldades e instabilidades,apesar dos sistemas econômicos serem opostos.São um povo musical,alegre,colorido.Quem conhece música sempre diz que a música cubana e brasileira são as melhores do mundo.Os cubanos tem sofrido demais,conhecem como nós a prostituição infantil e já apanharam tanto quanto nós,também conhecem as injustiças e a fome.Não são nem deveriam ser jamais o alvo do ódio de algum brasileiro,pelo contrário,são muito mais nossos irmãos do que podemos imaginar.

Pensei nessas médicas,não acredito que elas estavam vaiando o médico cubano,elas deveriam estar jogando todo seu ódio de outra coisa nele,mas erraram o tiro.Não tem motivo real para odiar tanto uma pessoa que não se conhece e vaiar desse jeito.Os meus amigos cubanos me contam sobre o país deles e parece bem mais difícil morar lá do que aqui.Nenhum médico cubano chegou da Suécia,com a vida resolvida,são todos trabalhadores e não tinham porque ser chamados de `escravos ´,nem serem vaiados.

Esse é o ponto do arco e flecha,quando a flecha erra.O ódio quando erra é como um cano de esgoto que arrebenta e suja tudo por perto.
Duvido que essas  médicas conheçam Cuba e sua realidade.E duvido que tenham algum motivo para vaiar um estrangeiro que chega ao Brasil.E posso apostar que essas médicas passam suas férias em Miami e não sabem o que é ter seu passaporte controlado pelo governo,assim que chegaram os médicos cubanos foram obrigados a entregar o passaporte a representantes do governo cubano,são tratados pelo seu própio país como se fossem bandidos que podem fugir a qualquer momento.Esses médicos cubanos deixaram sua família,não vão receber o salário integral porque o governo cubano bloqueia mais da metade e ainda chegam aqui e são vaiados.


Meu amigo tinha razão,todos nós deveríamos ter aulas de arco e flecha,para aprender a acertar mais e fazer os outros sofrerem menos,porque quando erramos o alvo muita gente sai machucada.

É deprimente ver o ódio sem direção,sem sentido,só ali,navegando perdido.Uma flecha que erra o alvo é como um tiro que mata um inocente.Todos saem machucados.E parece ser especialidade do ser humano fazer isso,sempre magoamos as pessoas erradas que não tinham nada a ver com o que os outros nos fizeram.

Mas o ódio não é como amor,que mesmo errando de alvo não causa tantos estragos.Então se vai atirar todo seu ódio,seja preciso,exato,sem erros,atire para acertar ao alvo que quer,porque o erro sai caro demais.

Iara De Dupont

Um comentário:

Anônimo disse...

Tenho que concordar com o cliché que no final das contas tudo tem a ver com educacao,muitas vezes falamos do que nao entendemos e o pior,contruimos nossa opiniao com base no que nao conhecemos ou entendemos. Me identifiquei com o que voce disse,logo que soube da vinda de medicos cubanos,senti raiva,muita raiva,direcionei a eles minha raiva do Fidel,canalha da pior especie,do regime comunista que tolhe o direito sagrado do individuo a liberdade,raiva do nosso governo por compactuar com esses crapulas,enfim,o que o povo cubano tem a ver com isso?Eles devem ter todo o meu respeito e compaixao. Toda vez que eu sentir raiva,vou pensar melhor sobre o objeto dela.
Muito Obrigada Iara.
Bjs

Anna Lara

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...