ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

08 junho 2013

O homem invisível (desculpa Marcelo!)







Às vezes a gente dá uma mancada com uma pessoa e não percebe. Mas anos depois lembra da história e vê que aquilo que fizemos, mesmo sem maldade, foi péssimo.

Lembrei disso ontem e nem sei o porquê. 

Muito tempo atrás uma amiga queria me apresentar um amigo, ela cismou com aquilo e vivia me enchendo o saco com essa história. Acabei topando e saí com o amigo dela,  Marcelo, umas três vezes. Ele era um doce de pessoa, era educado, gentil, meigo e inteligente. Foi legal sair com ele, mas naquela época eu não gostava desse perfil de homem, achava tedioso e pouco divertido. Mesmo gostando de sair com ele nunca vi futuro ali, até porque as noites não eram assim tão inesquecíveis.

Até que chegou ''a noite'', a mais estranha, a mais louca e talvez até por isso a última vez que o vi.

No quarto encontro ele me contou de seu melhor amigo, um rapaz que tinha terminado com a namorada e andava meio chateado. E me perguntou se eu não tinha alguma amiga solteira. Uma, que era quase minha irmã estava solteira, então resolvemos combinar uma saída, mas o amigo dele, o Pedro, não poderia saber porque não topava esses encontros.

No dia marcado Marcelo passou na minha casa e dirigiu até a casa da minha amiga, no outro lado da cidade, uma viagem de quase 50 minutos. Chegando lá, pegou minha amiga e fomos os três ao escritório do Pedro. Marcelo ligou e disse que tinha me encontrado por acaso com uma amiga e perguntou se ele estava disponível para sair e tomar com café com a gente. Ele topou e ficamos ali, esperando.

Estávamos sentadas nas escadas da entrada do prédio quando Pedro chegou e cumprimentou. E o que aconteceu ali não tem explicação, não sei se foi a lua, o eclipse, o mundo. Mas eu fiquei absolutamente encantada com ele, com o jeito dele. Lembro que quando entrei no carro já estava gamada.

Fomos comer um sorvete e minha amiga me puxou ao banheiro, assim que a porta fechou ela disse: 


-Quem é esse cara,esse Pedro?


Respondi que não sabia e ela me disse: 

- Com ele eu caso!Gamei!


Como era minha quase irmã dei risada e disse que também tinha gamado nele. Ele não era bonito, era até comum, mas não sei o que ele tinha aquele dia, mas sobrava um charme inacreditável.

Voltei pra casa e não conseguia deixar de pensar nele. Mas como o Marcelo continuava me ligando, eu pr
eferi ser honesta com ele e dizer que estava apaixonada pelo Pedro. Ele me desejou boa sorte e nunca mais me ligou.


Minha amiga dizia estar  a fim do Pedro, mas não parecia tanto, não ligava, não o procurava e finalmente quando perguntei ela me disse que eu poderia ficar com ele.

Fui atrás dele, liguei, mas ele fugia de mim. Eu achei que era para não magoar o Marcelo, mas um dia o destino ajudou, o carro de Pedro quebrou na frente da minha casa e ele teve que me pedir ajuda. Acabamos conversando e ele me disse que estava apaixonado por minha amiga.

Contei isso pra ela e eles acabaram se vendo, foram namorados uns meses, mas não sei bem o que aconteceu ali, ela depois conheceu o rapaz com quem se casou.

Desencanei com o tempo, me afastei dela durante o namoro, mas depois a amizade nunca mais foi a mesma. Quando ela conheceu o rapaz com quem ia se casar, se afastou, ele não gostava de mim e ela foi atrás do que ele dizia.

O engraçado é que ontem pensando nisso lembrei do Marcelo e da noite terrível que ele deve ter tido. Imagina, tentando ajudar um amigo e de repente a garota que ele estava a fim e a sua amiga, caem de amores pelo seu amigo. E o pior é que eu não sou de disfarçar nada, nem minha amiga era, então fico pensando se fomos tão claras ao ver o Pedro e se babamos muito. Éramos muito cúmplices e tenho certeza que eu e minha amiga deixamos olhares e risadas escaparem essa noite, já que estávamos enfeitiçadas pelo mesmo homem e no fundo isso divertia as duas, lembro que dei muitas risadas esse dia e com certeza devo ter grudado meus olhos no Pedro, tanto assim que até lembro da roupa dele e ele na mesa, mas nem lembro da roupa de Marcelo, nem onde ele estava sentado.

Durante o processo de quem gostava de quem, Marcelo ficou invisível, porque ninguém pensou nele.

Só agora lembro dele e no meio da confusão nunca pensei nele. Achei que ter sido sincera era suficiente, mas hoje penso que essa noite deve ter sido uma das piores de sua vida.

Também já fui invisível muitas vezes, mas nunca nesse grau. Não sei o que aconteceu, até porque eu e minha amiga não tínhamos o mesmo gosto em nada, aquela noite foi estranha, diferente, parecia que tinha alguma coisa no ar.

Só a peça ''Sonhos de uma noite de verão'' de Shakespeare pode explicar o que aconteceu ali. Parecia isso, um bando de duendes, ninfas e fadas, como na peça que aprontam pra todo mundo, jogando poções mágicas em dois casais que ao acordar se apaixonariam pela primeira coisa que vissem e quando acordam começa uma enorme confusão. E dizem que noites assim acontecem, onde tudo é virado, parece que alguém mexeu e remexeu.

Mas a pior parte ficou para o Marcelo, ele deve ter recebido uma poção mágica e desapareceu naquela noite, justo ele, que era ótima pessoa e de caráter muito melhor que seu amigo. A vida é assim, às vezes os melhores somem.

Iara De Dupont 

2 comentários:

Kcal GorDivah disse...

Loucura essa noite hein rsss....fiquei com dó do Marcelo. Tadinho!

Claudia disse...

Acho que todo mundo tem alguma história assim, eu tbm tenho, acho que o pior é ver o tempo passar e deixar a história lá atrás junto com a pessoa, e ficarmos sem a chance de nos desculpar e e dizer coisas que só o tempo nos fez perceber....

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...