ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

14 maio 2013

Não existe estupro em baile funk? (mulher séria vai a esses lugares?)







Estão dizendo que isso não é estupro, é baile funk
Para mim o ser humano só entende as coisas quando sente na pele, mas nem sempre precisa chegar nesse extremo.
Sempre tenho sido a favor de mostrar imagens de animais em laboratórios, porque quem não viu não sabe do que está falando. Superando essa fase é bom ver vídeos, porque eles tem áudio e ai a coisa começa a fica pior.

Eu cansei de ver imagens e vídeos,mesmo assim,décadas depois ainda não consigo evitar o enjoo que me causam e a revolta.

Um professor me garante que a melhor coisa é que esses vídeos não sejam tão conhecidos, porque o que não vemos todos os dias não entra na nossa educação social, então ao ver aquilo pela primeira vez nos impactamos. Se víssemos em todos os lugares fotos de animais em laboratórios um dia nosso cérebro ia assimilar aquilo como normal e não iríamos ficar tão chocados. Senão ficamos horrorizados nos acostumamos e jamais causaria  revolta a ponto de querer mudar a situação.

Tenho a impressão que essa teoria deve se aplicar a violência com as mulheres. É tão comum, tão dita, tão falada, que as pessoas acham normal agredir, qual o problema? Alguém ainda se espanta com mulheres de olho roxo? Eu tive uma vizinha que vivia apanhando, me assustei muito a primeira vez que vi ela, mas depois de um milhão de vezes que cruzei com ela no elevador, já estava acostumada a ver ela sempre de rosto deformado. E ela não se separava porque não queria, isso fiquei sabendo depois, amava loucamente o marido, então para ela a história era essa.

E saiu no Facebook um vídeo sobre um baile funk, uma menina no meio de uma roda de homens, os vocalistas do grupo e eles empurram a moça, tiram sua roupa, tentam tirar sua calcinha, apesar do desespero dela de tentar fugir. Antes que eu pudesse abrir a página já tinha lido as reações das pessoas, ora, a menina de vestido curto em um baile funk, tá reclamando do que?

O vídeo é nauseante, porque a menina luta para fugir, mas é cercada, empurrada e segurada por quatro homens fica difícil. Quando consegue fugir outra menina do público é puxada para a roda e sofre a mesma violência, arrancam sua roupa, até ela conseguir fugir, isso sem contar nas apalpadas que ela leva e na maneira como eles empurram a cabeça dela para simular sexo oral.

E os comentários se repetem e dizem a mesma coisa:se fosse uma mulher séria não estaria ali, se estava é porque gosta,quem mandou? Mulher que se dá valor não frequenta esses lugares de vadias. E ainda tem gente nos comentários da página que diz que as mulheres que vão ao baile funk sabem muito bem o que vai acontecer, então não é estupro,porque elas estão pedindo por isso.

Então a violência com a mulher é tão comum, que estranho seria que nenhuma mulher fosse estuprada em um baile funk? Porque a mensagem parece essa, o que tem de anormal um grupo de funk abusar de uma menina que estava assistindo o show? Não fazem isso em todos os shows?
Parece que todos estão tão acostumados a ver uma mulher apanhar e ser violentada, o fora do comum seria se as moças saíssem inteiras do lugar?

É, sempre são as mulheres. Se estão em um show funk é porque estão em um show funk, por isso foram estupradas, se vão a uma Igreja e o pastor estupra é porque foram a uma igreja, se sobem em um ônibus e são estupradas é porque subiram a um ônibus, é sempre a mulher que está no lugar errado na hora errada, atravessando o caminho de um homem, então ele não pode evitar e estupra.

E ainda mandam fazer uma reportagem e acontece uma coisa inédita, procuram entrevistar quem foi, quem deixou de ir, mas não procuraram o grupo que violentou as meninas, não se fala deles na reportagem.

Elas não foram estupradas porque estavam em um show de funk, se fosse assim nenhuma mulher em nenhuma parte do mundo seria estuprada, apenas as que frequentam show de funk. Elas foram estupradas porque são mulheres em um mundo doente, que se acostumou a ver a violência e acreditar a mulher é um brinquedo, nada que mereça consideração.

E se as imagens do baile funk parecem normais para muitos é porque o mundo é anormal e vê a violência como uma coisa aceitável. Mas ela não é. O que aconteceu com essas meninas foi terrível e merece ser investigado, é crime 
e não acontecem apenas em bailes funk, acontece em todos os lugares em que apareça uma mulher.


Iara De Dupont


5 comentários:

Anônimo disse...

Iara,

Comcordo com voce,nao existe justificativa para a violencia e monstruosidade,estupro entao,e crime hediondo,a mulher nao tem culpa,foi uma vez ao baile funk,viu que e lugar de selvageria,claro que nao tem culpa,mas porque volta,insiste,acha que sera tratada com respeito,nao estou culpando so fico cada vez mais abismada como as mulheres estao se deixando tartar como lixo,voce nao vai falar sobre isso?

Lia

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

As desculpas intelectuais são sempre ridículas, quando se começar a ler qualquer artigo ou matéria desse assunto você já sabe o final.
Quando alguém aqui for estuprada, peguem o Foucault pra ve se ele vai salvar vocês. Que imbecilidade.

Eu não vou em um lugar desse primeiro pq nao gosto, mas se gostasse, eu seria uma mulher que não se importaria em ter uma mão passando na minha bunda tentando se apronfundar. É muito fácil criticar o ato que é de repúdio, mas agora vitimizar essas gurias? ninguém força elas a irem lá. O discurso feminista às vezes é contraditório com o que ocorre na prática, vendo as funckeiras, essas mulheres que procuram isso e tudo mais, aí a resposta de tudo é que tudo é cultuiral e construção histórica? faz favor.

Carol

Gabriela Barbosa disse...

O que vc me diz de quem vai ao baile sem calcinha? É gente séria que faz isso? Não quero dizer que com isso,ela estaria pedindo pra ser estuprada,mas não creio que uma pessoa que vá ao baile sem calcinha seja séria.

Anônimo disse...

Amiga, não dá certo intelectualizar e repetir o discurso feminista mecanicamente...
De fato, se vc já ouviu algo de funk e inclusive viu as roupinhas sabe que a sexualização está no ar, tanto que o povo transa enquanto dança mesmo - infelizmente é assim: uma grande suruba com música então a linha que divide a agressão (o estupro) do que é apenas mais uma brincadeira convencionada entre eles é BEEEEM TÊNUE! De fato, nunca ouvi falar de gente que vai para um lugar desses pra "assistir show musical", não viaja! Aliás, só em vestir aquelas roupas as mulheres já deveriam se sentir agredidas e usadas.

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...