ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

23 maio 2013

Mesmo com pouco ou quase nada, temos que decidir se vamos contra ou a favor





A lenda ''La quemada''

Uma vez em um ensaio estava vendo o trabalho de uma amiga. Quando ela acertou o tom eu disse para um ator que estava do meu lado:


-Tá vendo? Isso é talento.


E ele respondeu:

-Não, talento é o que fazemos com o que temos, ou jogamos contra ou a favor.

Difícil para uma menina de vinte anos, como era meu caso, entender a profundidade da frase, mas ela revela uma coisa importante na vida, o que fazemos com o que temos.

Jogar contra é como uma história, uma lenda muita famosa na Cidade do México, um lugar cheio de lendas e fantasmas. Tem uma rua que se chama ''La Quemada''(A queimada ). A lenda conta que o terreno foi comprado por um milionário, viúvo, que se mudou com sua filha, lá pelo ano de 1700. A moça era deslumbrante e rapidamente os homens da cidade se apaixonaram por ela. Um dos seu apaixonados era tão obcecado com ela que ficava na porta de sua casa o dia inteiro, esperando a moça aparecer uns minutos na varanda. Mas ela gostava de outro e esse rapaz um dia foi visitar ela e se encontrou com o rapaz que era também apaixonado e ficava na sua porta. Eles brigaram e o rapaz que era apaixonado por ela matou o rapaz que ela amava. Chocada com a situação ela pegou uma espécie de panela, encheu de carvão em brasas e mergulhou o rosto, ficando assim queimada e deformada. Colocou o véu e acabou se casando com o rapaz que era apaixonado por ela, mas ele nunca mais viu o rosto dela, nos seguintes anos ela nunca tirou o véu. A rua ficou conhecida por essa história, até que ganhou esse nome, mas hoje já mudaram de novo o nome.A casa ainda está lá e dizem que a moça circula pela varanda, implorando para que o rapaz não mate seu amado.

Isso é jogar contra. Ela tinha tudo e preferiu se mutilar.
Recebeu dos céus dinheiro e beleza, mas jogou contra, estragou sua vida à toa e sofreu o resto até morrer.

E jogar a favor o que é? Apesar do horror da comparação, é a Mulher Melancia. A moça não tem nada além da bunda, não é um exemplo de beleza, nem de talento, mas tem uma bunda gigante, com isso fez seu patrimônio, vi isso em um site hoje, de show em show e capas de revista Playboy a moça já comprou casas, apartamentos e vive muito bem, ao contrário da Mulher Melão que recentemente reconheceu estar falida.

Em termos mundiais a Mulher Melancia não tem o que se precisa para vencer, não é uma beleza excepcional, não tem diploma de nada e tem uma bunda em um país onde todas têm e dançar a velocidade seis até uma criança de dois anos consegue. Mas ela não pensou nisso, foi em frente, acreditou e se construí com o mínimo do mínimo. E tem um patrimônio excelente e menos de vinte cinco anos de idade.

Algumas pessoas vão dizer que ela fez programa. Ora e desde quando fazer programa deixa alguém rico? Se fosse assim todas as prostitutas seriam milionárias. E se foi fazendo programa algum diferencial deve ter tido, porque prostitutas tem muitas no mundo e nenhuma está na lista das mais ricas.

Jogar a favor com a barriga cheia e pais que podem ajudar tem seus méritos, mas não é tudo. Agora pessoas que saem do nada, sem nenhum talento excepcional e conseguem com o mínimo sobreviver sempre são admiráveis. E não importa a área, mas é incrível de ver alguém como Silvio Santos, que começa vendendo canetas e monta um império de comunicação.

Não é uma coisa ligada ao sistema americano, na base de se construir, é bem mais ligada a saber quem é e usar o que têm.
Um padre uma vez disse em uma missa que Deus não manda ninguém a Terra sem uma arma para se defender, algum talento a pessoa têm.
Já minha amiga esotérica diz que não é bem assim, tudo depende do carma, do destino, da sorte.

Isso ajuda, mas não é tudo. O tudo é a pessoa e uma inteligência que mostra como se virar com o que têm, principalmente quando não têm o que os outros dizem que têm que ter.

Quando me falaram da Bruna Surfistinha, do livro dela, imaginei uma moça igualzinha a atriz americana Farrah Fawcett, um ícone dos anos setenta. Pelo nome de Surfistinha imaginei uma mulher linda, deslumbrante, típica surfista, bronzeada e maravilhosa.
Fiquei chocada quando vi ela em um programa de entrevistas. Parecia o oposto do nome, sem graça, meio feia e ainda por cima dizendo que seu primeiro livro, sucesso de vendas, tinha sido escrito pelo seu editor.
Mas aplaudo o que ela fez, do nada, com o mínimo, conseguiu fazer uma carreira de escritora e ter seu patrimônio.

Outro amigo me diz que essas pessoas são fascinantes porque do nada tiram o tudo, não são previsíveis como gente que nasce em berço de ouro e se dar bem é uma questão de tempo, não de talento.

Penso nisso todos os dias, em como usar a favor o que tenho. Em contra já usei e muito, não preciso mais fazer isso. E o meu desafio nem está em ir contra, está em ir a favor.

E como se faz isso? Não sei. Eu observo muito pessoas que sei que não estão preparadas em funções importantes, penso em como eles conseguiram usar a favor o mínimo e tornar o máximo. Isso me atormenta o dia inteiro, a semana inteira, o mês inteiro. E sei que não sou a única, muitas pessoas neste mundo devem se virar na cama, todas as noites, pensando em como sair pra frente usando o que têm, mesmo que isso seja quase nada.

Não importa o que se têm, mas o que se faz com isso e onde te leva. Talvez por isso o Brasil me fascine, por ver tantas pessoas sem nada construindo coisas incríveis, apenas porque souberam usar o mínimo que tinham a favor delas mesmas.
O que se têm ou não, só a pessoa sabe e não faz diferença. A única coisa que muda nossa vida é o que fazemos com isso o vamos contra ou a favor.

Iara De Dupont 


5 comentários:

leaveinsilence disse...

nossa, me fez refletir muito esse texto, vou pensar a respeito disso tb.

Kcal GorDivah disse...

Também acho fascinante quando vejo, como minha avó dizia, pessoas tirando leite de pedra, fazendo algo que todos julgavam impossível para ela.
Excelente texto.
Boa semana.
Bjs

Anônimo disse...

Iara,pra mim a diferenca dessas pessoas que fazem do minimo muito e que acreditam muito nelas mesmas,acreditam que tem um potencial muito mas muito alem do que realmente tem e por acreditarem nisso vendem essa imagem e as pessoas compram. Ao meu redor vejo pessoas com tao pouca inteligencia se dando tao bem,enquanto outras genias,sim genias sao donas de casa e nao fazem nada alem ( sem menosprezar as donas de casa,ja que sou uma) mas eu pdoeria alem de ser dona de casa ser uma brilhante escritora,dramaturga ou sabe-se la mais o que.Por falar nisso,porque voce nao escreve um livro? oras bolas voce escreve muito bem,com um bom marketing venderia horrores,tem tanta porcaria best seller ,falta a gente acreditar no nosso potencial,ai esta o segredo,mas como faze-lo? Desconfio que as pessoas mais interessantes sao modestas ,exigem tanto de si e do mundo que acabam nao saindo do lugar,enquanto muitos mediocres avancam e avancam mais,sera que Freud explica??
Bjs

Anna Lara

Iara Sindrominha disse...

Pois é Anna,meu irmão diz uma coisa parecida,que as pessoas mediocres não tem ego e se jogam na vida,por isso levam mais chances de ganhar do que pessoas contidas...a vida é assim,tem que arriscar o tempo inteiro..

Quanto ao livro,eu só preciso achar uma editora que aceite,quando isso acontecer vou publicar e ainda te mando um!Beijo

Anônimo disse...

Oba!!!!!!
Anna Lara

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...