ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

26 março 2013

Coronéis e sinhás, dia ruim hem? Não pode mais ter escravo......



Libertando o pensamento escravista este país pode avançar
Não acredito que boas intenções, corações cheios de amor e mensagens no Facebook possam mudar a humanidade. A coisa só vai melhorar com leis e suas conseqüências.

Sempre falo que o caso mais incrível que vi aconteceu no México.O governo passou anos fazendo campanha para que as pessoas economizassem água e ninguém deu bola, mesmo sendo um lugar com problemas de abastecimento. Então o governo decidiu começar a cortar a água duas, três vezes por semana. Foi questão de tempo as pessoas acordarem e pararem de desperdiçar. Hoje os mexicanos são exemplo de economia de água.

Se as pessoas não entendem o discurso, entendem suas conseqüências. E hoje está para ser aprovada uma nova lei aqui no Brasil sobre as empregadas domésticas, incluindo dezesseis direitos, que vão desde horas extras até acordos e um máximo de jornada de oito horas por dia.
Caso tudo isso se concretize vou aplaudir de pé. É fundamental para o avanço deste país tirar, limpar, queimar, jogar fora, todos os resquícios que ainda carregamos de casa grande e senzala, coronéis e escravos. As empregadas domésticas aqui no Brasil viviam ainda escravas, a mercê da sinhá, dormindo em empregos, acordando cedo, dormindo tarde, trabalhando de cozinheira, babá, faxineira e muitas vezes até de secretária, de sacoleira, indo no supermercado, banco, farmácia.

A classe média vai surtar, muitos vão se defender dizendo que pagam bem suas empregadas e precisam delas, nunca maltrataram as moças, até deixam sair de vez em quando, uma vez por mês e que elas são fundamentais em sua vida. Eu aviso, qualquer discurso da classe média é perigoso, até porque eles são aprendizes da classe alta, que precisa de escravos para que a máquina funcione.

Muitas mulheres trabalham fora e dependem de uma doméstica, que faz tudo, além de levar e pegas os filhos da patroa na escola, vão reclamar com certeza, mas a escravidão não faz um país avançar. O governo também tem que fazer sua parte, proteger as domésticas e garantir um sistema que sirva a todos, se existissem boas creches ou escolas públicas decentes, com horários integrais, muitas mulheres não precisariam ter babás, nem empregadas. Está todo o sistema baseado na escravidão e na ausência de Estado, quem trabalha fora precisa da ajuda do governo para poder ter uma boa estrutura, ninguém consegue sozinho isso.

Mas essa nova lei só tem coisas para comemorar, é o primeiro passo para acabar com a mentalidade de sinhás e coronéis, que exploravam sem dó seus empregados. Sei de gente que viaja para a casa de praia levando a empregada, que fica lá cozinhando e limpando sem receber por isso, tratada como acessório.

Em um país de mentalidade escravista essa nova lei vai gerar protestos, apenas porque afeta as camadas mais fortes economicamente e elas não vão abrir mão tão fácil de seus escravos, mas saber que a lei ampara as domésticas vai fazer muita gente recuar de cometer tantos abusos a essa classe.

E como sou vidente posso garantir, ninguém vai morrer por isso. Americanas, inglesas, mulheres e homens no mundo inteiro conseguem viver bem sem precisar de escravos, nem manter senzalas em seus apartamentos de classe média e alta.
É uma porta que se abre neste país, chega de achar que empregados são escravos e seus direitos são um gesto de boa vontade dos patrões.
Quanto aos coronéis e sinhás, o caminho continua aberto, ainda mandam muito, batem o pé e controlam a política e economia do Brasil, mas tirar seus escravos pode ser o começo de um novo mundo, agora vão ser obrigados a pegar sua própria roupa do armário ou jogar na cesta de roupas sujas, nesse movimento vão dobrar os joelhos, é assim que um país muda, progride, quando seus coronéis e sinhás são obrigados a dobrarem os joelhos e assim percebendo que são iguais a todos, não existe diferença, principalmente essa que machuca tanto este país, a diferença entre coronéis e escravos. Só assim as coisas mudam, quando chegamos ao ponto onde somos todos iguais.


Iara De Dupont

2 comentários:

Anônimo disse...

Eu acredito que em 10,15 anos nao teremos mais empregados domesticos do Brasil,e se tivermos sera a preco de ouro,como voce disse nos países desenvolvidos eles se viram e chegaram aonde chegaram. Se a mentalidade de casa grande senzala nao acabar com educacao e cultura,que o tratramento acabe com leis,nao vejo a hora desse dia chegar,vejo um luz,ja nao temos segunda geracao de empregados,muitos ja estao na universidade,terao um futuro melhor,espero que nao queiram ser senhores um dia.
Anna Lara

Anônimo disse...

Vi uma entrevista uma vez de uma familia muito rica que vive nos EUA ha muitos anos,o casal tem 5 filhos,uma casa enorme e nao tem nem faxineira ,claro que os eletrodomesticos de ultima geracao e os produtos d elimpeza altamente eficientes ajudam muito,mas ainda assim. A reporter,brasileira perguntou a filha adolescente se ela nao achava estranho ter que dividir as tarefas da casa e nao ter empregada,ela respondeu:Acho estranho no Brasil todos terem empregada,ate a empregada tem empregada,hahaha.Achei o maximo.

Anna Lara

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...