ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

NOVIDADE!

NOVIDADE!

Nota:O formato PDF dos livros acima pode ser acessado em qualquer plataforma, inclusive Windows, Mac OS e plataformas móveis como Android e iOS para iPhone e iPad.

Os posts mais lidos viraram livros e não estão mais disponíveis no blog.

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

29 março 2013

Aulas gratuitas para sinhás e coronéis



Burguesia brasileira, pode tirar essa pose de chique, agora vão lavar seus banheiros

Foi questão de horas. A nova PEC das domésticas nem foi anunciada e a burguesia já surtou.
Já saiu o Sindicato dos Patrões reagindo, dizendo que o ideal é que a PEC inteira seja derrubada, mas como isso não vai acontecer eles querem mudanças na nova lei.
O que está difícil explicar para a classe média e alta é que a mudança não vai, nem tem porque acontecer do lado das domésticas, a mudança vem do lado dos patrões, são eles que vão ter que mudar.
O sindicato dos patrões alega que vão começar as demissões, já que muitos patrões não tem como manter os empregados com as novas regras nem investir em pontos eletrônicos, que possam garantir o horário de entrada e saída.
Independentemente desses detalhes, o sindicato não percebe que são eles que vão se ralar, não os empregados.

Essa história de empregada que tem que chegar na casa da patroa antes do café da manhã, acabou. Se a empregada chegar as seis da manhã, então seu turno de trabalho acaba oito horas depois, não quinze horas depois.

Em um sistema americano, inglês, sueco, holandês, que com certeza vamos acabar copiando, as coisas funcionam assim, eles tem diarista que vai uma vez por semana ou mais, ela dá uma geral e pronto, o resto é a família que se vira.

As pessoas estão acostumadas a sair da cama e a arrumar, depois vão para a cozinha e fazem seu café. Isso de empregadas colocando o pãozinho na mesa apenas a Rainha da Inglaterra e os brasileiros ricos e médios têm, ninguém mais no mundo tem alguém fazendo isso.


Então todos saem para trabalhar, comem fora na hora do almoço, quem tem criança coloca em escola integral, senão for assim dá um rolo desgraçado, mas tem que buscar a criança e fazer o almoço. Em uma sociedade sueca o dever é dos pais, eles se viram.

Mas como se viram? Fazem o arroz e feijão de noite e na hora do almoço só fritam um ovo ou carne, cortam um alface e pronto!

De noite todos chegam e fazem seu jantar. Colocam a roupa suja no cesto e no dia livre cada um lava e seca a sua, se quiser também pode passar. Toda a bagunça que se faz, se limpa.

Simples assim, isso mostra como eu sou uma alma generosa, explicando a burguesia como se virar, porque vão ter que fazer isso e não vão morrer nem derrubar nenhuma lei apenas porque se recusam a não ter o queijo fatiado na mesa ou pior ainda, ter que levantar a mesa.
Essa nova vida inclui também lavar louça e varrer o chão, dá tempo de fazer tudo, e se for usar o tempo que fica nas redes sociais, dá tempo então até de fazer faxina na casa.

Mas e a empregada que ia no banco, no supermercado? Pois é, sinhá e coronel vão ter que mudar sua rotina, colocar algumas contas em débito automático e fazer supermercado de noite, paciência, mas sinhá vai perder a novela e o coronel o jogo de futebol? Mas e a feira, a empregada ia na feira! Ah, mas comprar frutas e verduras frescas é um luxo, ou começam a ir na feira nos fins de semana, manda o coronel acordar cedo ou vão como o resto do planeta comprar legumes congelados. Tudo isso é mudança demais! É verdade, mas para uma sociedade avançar precisamos de mudanças e até que enfim elas batem na porta do classe mais privilegiada.


Sinhá e coronel vão aprender muitas coisas, uma delas é que casas grandes são um saco para manutenção, depois que juntar todas aquelas tralhas que trazem de Miami também causa sujeira e que diversos ambientes podem ficar cheios de pó. Sinhá vai perder o tesão por roupas, assim que perceber a enchação de saco que é lavar, passar e guardar. E coronel também vai se irritar com as camisas, que são um porre para passar, mas essas coisas acontecem. E cerveja, carne para churrasco e coisas que coronel ama ele vai descobrir que não chegam sozinhas em casa nem se congelam ou descongelam por ordem divina. E o carro do coronel e da sinhá? Xi, melhor nem dizer nada.


E o banheiro? Bom, essa parte vai ser uma experiência carmática, essa sim vai ser difícil. Para começar acabou isso de toalha no chão para o empregado pegar, agora vai usar a toalha e pendurar (não machuca a mão fazer isso) também vão ter uma revelação espiritual, toalhas limpas e brancas só aparecem no banheiro se você lavou, secou e guardou elas, caso contrário elas não se materializam sozinhas.


Sinhá, na hora de ir a festa não adianta jogar todos os vestidos na cama, se não guardar vai dormir em cima deles e maquiagens e perfumes não andam sozinhos para a gaveta do banheiro nem do super closet, vai ter que guardar.

E as crianças? Vão sofrer quando perceberem que ter animais inclui limpar a sujeira deles e quando se derem conta que o cereal e o leite não chegam sozinhos no prato.

Mas perto de tanta exploração que esses coronéis fizeram, tanta dor que causaram, sou obrigada a dizer que não é verdade isso de castigo divino, porque eles não estão tendo seu merecido. Não é a lei que tem que mudar e se adaptar aos patrões, são eles que tem que mudar e se adaptarem a uma sociedade diferente, a vida na fazenda acabou. Agora vão ter que enfiar o pé na lama e adaptar sua rotina burguesa, como o resto do mundo já fez. Mas vai doer! Ah, mas isso é cortesia da casa, tomara que doa mesmo.


Iara De Dupont 


2 comentários:

Lakrizia Hamlet disse...

Se a classe media,que nao tem dinheiro suficiente e quer ter empregada reclame,eu nao aceito mas entendo,e acho mesmo que nao deveriam ter empregada,mas gente rica,que nao sabe o preco do arroz nem da passagem de onibus ,fazem compras no exterior,reclamar de um poucos e basicos direitos para as empregadas e o fim,muita mesquinharia,esses que tem mais deveriam pagar mais,diminuir a linha de pobreza daqueles que fazem por eles coisa que nem a familia deles fazem. Vejo uma luz no fim do tunel,creio que talvez eu nao veja,mas minha filha ( para a qual ensino que nao ha nada que ela nao possa fazer por si mesma com praticidae,bons produtos e bons eletrodomesticos),veja uma sociedade brasileira onde cada um limpe sua propria m***** e de o devido valor aos empregados domesticos.
Pare de reclamar sinha,hahhaha
Bjs

Anônimo disse...

Ótimo texto, vontade de imprimir e pedir pra minha mãe (que é empregada doméstica)entregá-lo para as "sinhás" com quem ela trabalha...

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...