ADICIONE O BLOG SMM AOS FAVORITOS! OBRIGADO PELA SUA VISITA E LEITURA!

DESDE 2010. ANO VI. MAIS DE 2.000 POSTS.

GUEST POST NO ESCREVA LOLA ESCREVA

CURTA NO FACEBOOK


E-MAIL
sindromemm@gmail.com

01 fevereiro 2013

Elas não são eu

SHEILA CARVALHO E SOLANGE FRAZÃO

Não entendo porque o Brasil é um dos países que mais têm revistas no mundo e a grande maioria faz questão de generalizar a mulher. Fiquei esperando uma pessoa e aproveitei para ler a capa de várias revistas, o assunto é o mesmo, a famosa dieta do carnaval, já que ''todas'' as mulheres querem pelo menos perder quatro quilos antes da folia.
Não vi a capa de uma revista, mas de todas que estavam penduradas. E todas diziam a mesma coisa.

Já estive em lugares onde as bancas são a coisa mais triste do mundo, três jornais pendurados e umas quatro revistas. Aqui no Brasil não temos mais o que pendurar nas bancas, é uma das indústrias mais fortes, apesar de tanta coisa na internet.


Bom, eu não sou ''todas'' as mulheres. Odeio carnaval e não faço dietas de revista, porque não confio e não vejo a importância de tudo isso que dizem.


Em um programa de televisão mostrou a rotina de Sheila Carvalho e Solange Frazão, tudo o que elas fazem pelo ''corpão''. Isso inclui malhar quase todos os dias, fazer tratamentos estéticos caros e comer claras de ovos no café da manhã. A única coisa que o programa esqueceu de avisar é que as duas vivem do corpo,  Sheila foi dançarina e agora em um programa humorístico interpreta a gostosona, tem loja de lingerie e se promove em cima do seu corpo, principalmente no carnaval e Solange é personal trainer e celebridade, também vive de mostrar sua boa forma, ou seja, elas não são ''todas'' as mulheres. É bem diferente cuidar o corpo por prazer, do que por ser instrumento de trabalho, se manter em forma para elas  é como se manter no emprego. Elas tem que investir pesado mesmo, porque o dinheiro que ganham vem disso e pela imagem tem acesso a muitos tratamentos gratuitos.


Solange e Sheila não são todas as mulheres do Brasil, elas trabalham o corpo, para o corpo e vivem disso. O resto de nós trabalha em outras coisas que não incluem três horas de malhação por dia e centenas de tratamentos estéticos. Para tudo isso é preciso dinheiro e tempo, muito tempo. Sem esquecer de alguém ajudando em casa, porque não deve ser tão simples assim acordar e ficar separando gema de clara de ovos, antes de levar alguma criança a escola e se enfiar na academia.


Têm mulheres que querem emagrecer para o carnaval, mas todas essas dietas malucas e tratamentos estranhos são ordem do dia para as pessoas que trabalham nessa época, como rainhas de bateria e todas as outras, que dependem de uma boa foto, mostrando um corpo perfeito para garantir trabalho o ano inteiro ou pelo menos uma capa de revista. Para elas é um investimento, para o resto das mulheres é uma coisa quase impossível, ter umas quatro ou cinco horas por dia para investir no corpo.


Não me acho nas revistas, por mais que eu procure. Quando não é sobre dietas, é o cabelo, as unhas, a pele, o benhê ou a maternidade. Nenhuma dessas coisas navega na minha agenda e me sinto irritada com isso, principalmente nesta época onde todas as revistas dizem em letras garrafais ''Fique linda para o verão!''.


É um país livre, quem quiser seguir esses conselhos de revista, que siga, mas existem mulheres como eu, que não estão preocupadas em parecer bonecas perfeitas e estão se lixando se é carnaval, páscoa ou fim do mundo. Mulheres, como eu, merecem mais do que um simples canto em alguma revista, merecem um espaço para discutir um milhão de coisas que não tem nada ver com dietas de verão ou unhas perfeitas.


Me procuro nas revistas e não acho, nem no inverno, nem no verão, parece que eu não existo e tudo isso simplesmente porque não dedico quatro horas por dia ao meu corpo. Quem aparece nas revistas não me representa, mas nem por isso deixo de existir, talvez só existo porque sou como milhões de mulheres no mundo, que são mais do que um corpo perfeito, unhas e cabelo impecáveis e sorrisos generosos, eu sou uma mulher inteira, não uma imagem de papel.


Iara De Dupont

2 comentários:

Anônimo disse...

realmente, essa futilidade das revistas enche o saco!
Mas o pior é que boa parte das mulheres que encontramos por aí é assim tmb, super fútil... talvez por influência da mídia, que prefere destacar tantos assuntos superflúos.
Felizmente, eu me considero uma excessão! Mas é muito difícil encontrar pessoas que não estejam contaminadas com o vírus da futilidade.

Anônimo disse...

Ola!!!
Amo meu país e como tenho saudade,mas me chamou atencao aqui na Africa do Sul,a maioria das revistas tem mulheres produzidas mas reais,acima do peso,com 40,50 anos,pouquissimo photoshop,tem algumas revistas de fora com modelos mas e a minoria,alem do mais a maioria das mulheres brancas aqui pesam pouco mais de 50 tem olhos azul piscina e cabelo loiro natural,tem negras lindissimas tambem, e nao se acham lindas,andam ate meio largadas ,acho o maximo,o que eu quero dizer com isso e o que voce diz sempre,a maldita cultura que a midia prega e que as mulheres compram como A verdade tem construido esse nosso país,uma pena...

Anna Lara
Bjss

Leia outros posts....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...